Oficina da Suécia cria Indian Scout turbo com 200 cv

Batizada de Super Scout, a moto presta homenagem ao sucesso da marca nas pistas e também a Oscar Hedström, engenheiro sueco cofundador da Indian

Por Alexandre Ciszewski

Quando questionado sobre como é pilotar a Super Scout, Anders Lundgren sorri e diz: "É incrível! Parece que você voltou no tempo para a década de 1920, mas com um foguete entre as pernas". Construída por Lundgren da oficina Fullhouse Garage Shop, em Estocolmo, capital da Suécia, em cima de uma Scout atual, a moto customizada ganhou um estilo vintage e também um turbo Garret 25 arrefecido a água. A Super Scout agora produz entre 150 e 200 cv de potência máxima na roda traseira, dependendo da pressão do turbo. 

"Queríamos construir uma moto que estivesse relacionada com a história da Indian nas pistas de corrida e, ao mesmo tempo, incluísse a nova era de tecnologia que a marca representa hoje”, explica o sueco. Feita sobre a base de uma Indian Scout moderna, a showbike recebeu o nome de Super Scout para homenagear os antigos modelos que eram quase imbatíveis nas pistas de corrida.



Boardtrack do século XXI
Entretanto, da Indian Scout atual restaram apenas o motor V2 de 1.133 cc, a bomba de combustível, o farol e o pedal de câmbio. Já o quadro é único e foi construído a partir de três peças por Lasse Sundberg, da Roth Engineering. “Foi a parte mais difícil de toda a moto, surpreendentemente ainda mais complicado do que a montagem do turbo”, garante Sundberg.

O turbo Garret 25 possui um controle externo da pressão. Os tubos de admissão e escapamento foram feitos todos em aço inoxidável e fixados o mais próximo possível do quadro para não interferir na silhueta esguia da moto. Afinal, eles queriam criar uma boardtrack, inspirada nos modelos utilizados para corridas em pistas ovais de madeira no início do século XX.

Anders, da Fullhouse Garage Shop, explica o motivo de terem instalado um turbo: "Queríamos dar à moto um impulso adicional de potência e também mostrar que podemos combinar um look antigo com tecnologia moderna".



A Super Scout sueca ainda tem um impressionante sistema elétrico. Anders instalou uma ECU totalmente programável e há um sistema com Bluetooth para monitorar dados do motor e permitir ajustes na ECU por meio de um tablet.

A cor escolhida foi a Springfield blue, antigo tom de azul utilizado pela Indian, que foi fundada na cidade de mesmo nome no estado de Massachusets, nordeste dos Estados Unidos, em 1901. 

Anders garante que a Super Scout deverá ser sua moto de uso diário, mas ainda tem trabalho a ser feito. "Estou fazendo alguns testes com a moto para terminar os ajustes no motor", diz ele. Afinal, em uma moto de corrida, mesmo que retrô, a busca por mais desempenho nunca termina.


Fonte:
Agência Infomoto

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br