moto.com.br
Publicidade:

Ducati - Hyperstrada 821 - 2016 - Vermelha - R$ 38,400.00

Usada - 5500 Km - Estilo: SuperMotard

Observações

Ducati Hyperstrada em estado de nova, ano/modelo: 2015/2016
- COM GARANTIA DE FÁBRICA e ASSISTÊNCIA 24H ducati ATÉ 02/05/2019;
- todas revisões na concessionária, em dia;
- Acompanham as malas laterais originais de 26l cada, que estão em perfeito estado;
-IPVA 2018 pago;

- com manual e chave reserva;
. Isso mesmo!!!! Valor a baixo da tabela FIPE. Entretanto, aceito apenas pagamento em dinheiro. NÃO TENHO INTERESSE EM TROCA com qualquer outro veículo.

Segue um resumo do que é esta "ferrari" das motocicletas, puro-sangue italiano:

"O modelo ganhou um completo pacote eletrônico (Ducati Safety Pack) que integra acelerador eletrônico com três modos de pilotagem, controle de tração e freios ABS com diversos níveis de atuação. Outra novidade na famosa linhagem de supermotards italiana é a Hyperstrada, uma inédita versão dotada de alguns acessórios e mudanças ciclísticas que evocam sua capacidade touring, um alternador mais potente para permitir que permitiu a instalação de duas tomadas de 12V; conta com reservatório de expansão em separado e fácil ajuste na pré-carga da mola. Mas são nos itens opcionais que a Hyperstrada se destaca como um modelo mais versátil, feito para quem quer viajar. Há de série duas malas laterais semi-rígidas (com capacidade de 26 litros cada) que podem ser retiradas, cavalete central para facilitar a manutenção, um banco mais largo, baixo e confortável, o guidão está 2 cm mais alto, além de um pequeno, porém útil parabrisa.

Os 110 cavalos de potência a 9.250 rpm chamam a atenção, porém é a curva de torque quase plana e disponível em diversas faixas de rotação que torna a Hyperstrada divertida de pilotar. A impressão que se tem é que, embora o pico de 9,1 kgf.m seja atingido a 7.750 giros, há força o suficiente para acelerações vigorosas já a partir dos 4.000 rpm. ; na embreagem é capaz de empiná-la até em terceira marcha. Em primeira e segunda então, qualquer giro mais empolgado no acelerador (ride-by-wire) já é suficiente para tirar a roda do chão.

A faixa de torque é tão ampla que, não importava se estava em quarta, quinta ou sexta, o motor parecia responder da mesma forma: com força para crescer de giros e fazer a próxima curva chegar com mais rapidez. Aí entravam em ação os freios Brembo: dois enormes discos com pinças radiais monobloco na frente têm uma mordida bastante arisca, digna de superesportivas.

Para domar esse L2 a Ducati trouxe a eletrônica de outras famílias para a linha Hypermotard. Composto pelos três níveis de pilotagem; Sport, Touring e Urban -, a vantagem do Ducati Safety Pack é a facilidade em ajustar as respostas do acelerador e também o controle de tração e o funcionamento dos freios ABS com o simples toque de um botão no punho esquerdo.

Desempenho com conforto
Já acostumado com as respostas bruscas do acelerador no modo Sport fui me divertir com a Hyperstrada por uma via de mão-dupla com uma centena de curvas. O cenário perfeito para uma moto que foi projetada com o objetivo primordial de ser divertida. E, no caso dessa versão Strada, confortável para uma jornada um mais longa.

O conjunto de suspensão Kayaba tem garfos de 43 mm invertidos e combinam bem longo curso de 150 mm na roda dianteira (de 17 polegadas) com desempenho. Absorvem os impactos da estrada, mas não comprometem uma pilotagem esportiva. A Hyperstrada aceitava contornar as curvas da forma que eu arriscasse.

A embreagem ajudava nas reduções de marcha mais bruscas e o controle de tração dava conta de manter o pneu traseiro na sua trajetória, ajudado pelo monamortecedor Sachs que, de início estava um pouco mole demais, mas que foi facilmente ajustável na pré-carga, garantindo mais rigidez.

Logo se percebe que, apesar da proposta touring, a Hyperstrada manteve sua alma motard. Em resumo: uma devoradora de serras bastante precisa, que ainda conta com a segurança dos controles eletrônicos.

A única observação nesse trecho sinuoso vai pro banco, mais largo nessa versão, que dificultava a movimentação nas entradas das curvas. Por outro lado, mesmo depois de 300 km rodados não senti cansaço e nem dormência nas partes baixas.

Estrada aberta
Em rodovias de mão única com pistas largas e asfalto bom pela frente, pode-se notar o fôlego deste L2: empurra até os 9.000 rpm e pode chegar a mais de 200 km/h. Oportunidade para testar a proteção aerodinâmica do parabrisa.

Mesmo pequeno, mostrou competência para desviar o vento do capacete, contribuindo para a sensação de conforto ao final da viagem. Mas vale dizer que, na Hyperstrada, assim como em outros modelos da família, o piloto assume uma postura trail, ereta e com braços abertos. E aí o parabrisa não faz milagre e sente-se a pressão do vento nos ombros.

Mas a estabilidade da Hyperstrada mesmo em altas velocidades impressiona. Explico: motos com suspensão de longo curso na frente costumam ficar instáveis em velocidades de três dígitos. Nesta, pelo menos, até 180 km/h, era possível sentir a frente no chão, sem flutuações.

A luz de reserva acendeu com 176 km no hodômetro e era hora de abastecer. Depois de 188,9 km, coloquei 11,33 litros: consumo de 16,7 km/l em um ritmo rápido, o que daria autonomia de mais de 250 km. O consumo ficou próximo dos 16,9 km/l que o computador de bordo informava no painel digital, bastante completo e de fácil leitura.

Embora simples, o computador mostra consumo instantâneo e médio; tem dois hodômetros, mais um de reserva; relógio e ainda o modo de pilotagem e os níveis do controle de tração (DTC) e do ABS. Além, é claro, de velocímetro e conta-giros digital.

Motard touring
Embora em seu lançamento a Ducati tentou vender a Hyperstrada como uma “mini-Multistrada”, ela não chega a tanto. O banco é confortável, o parabrisa é útil e, até mesmo o conforto da garupa, em função das alças do suporte das malas rígidas, é maior do que na Hypermotard standard."

Compartilhe este anúncio:

Nome: Silvio

Cidade: Curitiba

Estado: Paraná

Enviar Proposta

           
  
Desejo receber contatos do MOTO.com.br

Detalhes da moto

Tipo de motor:
4 tempos

Cilindrada:
821.0

Potência (CV):
110.0

Refrigeração:
Líquida

Tipo de Partida:
Elétrica
Procedência:
Importado

Contra oferta:
Aceita

Documentação em dia:
Sim

Alarme:
Sim

Freios a disco:
Disco Traseiro e Dianteiro

Cargo/case:
Sim
ABS:
Sim

Computador de Bordo:
Sim

Amortecedor Direção:
Não

GPS:
Não