moto.com.br
Publicidade:

Colunistas - Eldinei Viana

Uma viagem diferente e a coluna anterior

Eldinei comenta um pouco sobre a polêmica velocidade e nos conta sobre mais uma trip 'solo'.

24 de November de 2010
Compartilhe este conteúdo:

Antes de começar a escrever sobre essa "viagem diferente" (não, não é isso que você está pensando hehehehe), quero tentar me 'defender' um pouco de algumas críticas referente à coluna anterior (Alta velocidade mata, mas você sabe disso)

Se você não leu e quiser ler, basta clicar no link acima. Aproveite para ler os comentários. Tive a 'sorte' novamente do primeiro comentário já ser uma pedrada. Ainda bem que a maioria dos leitores me dá apoio moral, senão, já tinha "chutado o balde" heheheheheh

Esse primeiro comentário dizia "Parece um relato tirado do Orkut. Tema é tratado de forma irresponsável e com conclusões sem pé nem cabeça..."

Depois vieram outras pérolas como "Tudo errado! Não concordo! vc diz um monte sobre os perigos, mas realmente não recrimina correr em estrada..." e também "Muita irresponsabilidade. Desta vez vc pisou na bola Eldinei. Sempre li suas colunas e até achava legal, concordando com suas idéias e pensamentos, mas recriminar coisas erradas e falar em média na estrada de 14,8 é ser muito irresponsável."

Mas o pior de todos foi esse "Que vc é meio bobinho eu já havia percebido, mas não achava que vc seria um tremendo I.D.I.O.T.A, por assumir publicamente seus crimes, andar a 200km/h é CRIME!!! assumir que breca nas curvas, e 100.000Km não é nada demais para um verdadeiro experiente MOTOCICLISTA!!!"

Rapaz, fui chamado de bobinho, idiota e criminoso numa única frase... ah, não vamos esquecer do "barbeiro" hauauhauhauah

Eu não sei de onde esse cara tirou que eu breco nas curvas... e claro que 100.000 Km de estrada não é quase nada... quase.

Ainda bem que de uns 50 comentários, teve uns 6 ou 7 que discordaram e o resto concordou e elogiou a coluna, ou seja, apesar dos pesares, ainda estou me saindo "ma o meno" como dizemos :-)

Mas a coluna anterior me fez pensar um pouco e eu queria comentar algumas coisas.

Às vezes você que lê minhas colunas, e pelo jeito que eu escrevo, pensa que eu sou um "santo" nas estradas. Pensa que sou aquele cara exemplar, que "nunca" passou de 110 Km/h, nunca deu uma esticadinha, enfim, o "exemplo mor de um motociclista".

Bom, devo dizer que você está enganado... Eu, como a maioria dos motociclistas que eu conheço, gosto sim de dar umas "puxadas", e não nego isso. Não sou hipócrita. Corro riscos? Sim, mas riscos calculados. Tanto que em quase 25 anos andando de moto, nunca bati e nunca tive um acidente grave.

E outra, eu "não" incentivo ficar correndo nas estradas. Vamos brincar de jogo da vida? Sabe como é? Cada um cuida da sua, oras :-)

Quem quer correr, que corra, mas sabendo dos riscos que tem. Quem quer andar devagar, que ande, mas sabendo que um tombo de bicicleta, a 20 Km/h, pode matar também.

Minhas colunas - e eu sempre deixo isso bem claro - são baseadas na "minha" opinião pessoal. Oras, somos todos bem grandinhos para saber o que é certo e o que é errado, e assumirmos o que fazemos, não é mesmo?

Vejam esse caso. Nessa viagem que vou comentar abaixo, eu estava descendo a serra (do Alto da Boa Vista indo para Florianópolis) a uns 110-120 km/h. A serra tem curvas bem fechadas. Num momento, eu encontro na minha frente um 'motociclista' de 125. Eu estava de jaqueta, luvas, botas, etc. Ele? Calção, camiseta e chinelo de dedo.

Aquela 125, nas curvas, rebolava mais que "dançarina da dança do ventre". E eu atrás do cabra. Em cada curva eu pensava: Esse loco vai cair e me levar junto com ele.

Mas o pior estava por vir... Quando ele me viu, simplesmente "deitou" em cima da moto... É isso mesmo... deitou. Uma 125, a 110-120 Km/h, naquelas curvas, e o cara "deitado"... Ah não, eu passei o cara e sumi da frente dele.

Onde quero chegar com isso? O que é pior? Você andar "forte" numa reta, com uma moto com ABS, controle de tração, sistema anti-mergulho, etc, etc (estou falando da minha BMW) ou andar a 110 Km/h numa 125, "deitado", numa descida de serra cheia de curvas?

Ou seja, cada caso é um caso. Eu aceito as críticas acima (menos ser chamado de bobinho, idiota e barbeiro hauhauauh) porque cada um pensa do seu jeito e eu respeito isso. Gosto dos elogios, mas aceito as criticas.

Mas agora chega de polêmica e deixe-me contar de uma viagem muito agradável que fiz no final de outubro.

Você que é meu leitor, e é apaixonado por motos como eu sou - ou até mais que eu - sabe que a gente acha qualquer desculpa para viajar.

Pelo menos comigo é assim, viajando eu esqueço de tudo, eu 'resseto' meu "célebro :-)", eu renovo minhas forças, eu... enfim, não tem como descrever.

Eu já tinha feito uma viagem no começo de outubro para o 14º MercoCycle, mas a gente sempre quer mais.

Nessa época a BM já estava com quase 9.000 km, e a revisão dos 10.000 km pode ser feita dos 9 aos 11 mil km. Como eu a comprei na BMW Top Car em Florianópolis-SC, e como fui muito bem atendido lá, resolvi que faria as revisões sempre lá (e claro, seria mais um motivo para poder viajar hehehehe)

De Pato Branco-PR até Florianópolis-SC são de 630 até uns 750 Km, dependendo do caminho que você escolhe.

De uns oito anos para cá (ou mais), eu sempre fui para Florianópolis por Curitiba (Pato Branco-PR -> Curitiba-PR -> Florianópolis-SC). Isso porque a estrada era melhor, pedagiada - a gente paga caro, mas anda com mais segurança - tem menos curvas, enfim, o caminho é melhor.

Mas agora eu estava com uma BMW R 1200 GS Adventure, e pensei: Vou pelo antigo caminho que eu sempre ia... Pato Branco-PR -> Palmas-PR -> Trevo do Horizonte -> Caçador-SC -> Lebon Régis-SC, depois pego a BR 116, passo por Santa Cecíclia-SC, Lages-SC, subo a 'serra' de Lages, desço e estou em Santo Amaro da Imperatriz-SC, ao lado de Florianópolis-SC.

Antigamente era uma estrada meio ruim, com asfalto ruim, buracos, curvas sem proteção... Era, pois agora que a BR 116 também está pedagiada - e os pedágios são bem mais baratos que os do Paraná - a estrada está uma 'delícia' hehehehe.

Na ida, tempo bom, temperatura média na faixa dos 20-22 graus. Que viagem agradável. Eu estava sozinho, com uma 'senhora' moto, numa estrada que me trás boas recordações (caramba, eu ia por essa estrada há uns 16 anos atrás, quando eu era "durango kid" mesmo, não tinha moto, tinha um LADA - tá, vamos esquecer isso hauhauhauhauauah - enfim, eu ia para lá somente sonhando com o meu futuro).

E agora eu passava por aqueles locais 'sentado em cima dos meus sonhos'... Tem coisa mais agradável que isso? Realmente Deus sempre nos dá mais que do esperamos!

Muitas paradas para fotos... A 'serra' depois de Lages-SC (no Alto da Boa Vista, 1057m de altitude) indo em direção a Florianópolis-SC, que antigamente era um perigo, chegando a me 'pregar alguns sustos', agora está uma maravilha. Asfalto bom, bem sinalizada, protetores nas curvas. Excelente!!!

Ah, eu tinha esquecido de contar... Além de fazer a revisão da BM, dia 26 de Outubro era aniversário do meu pai. 70 anos!!! Ele tá velho (eu não hauahuahauh). Bom, se ele chegou nos 70 bem como está, então eu acho que realmente tenho chances de chegar nos 87 andando de moto (nem que seja com um Spyder heheheheh).

Chegando em Floripa na BMW Top Car fui muito bem recebido pelos meus amigos Renato e Márcio, da área de Vendas, pelo Rodrigo que é responsável pelo agendamento dos serviços e deixei a moto nas mãos do competente Ramon (excelente mecânico da BMW Top Car).

A noite um churrasco na casa do meu irmão Acklei (que é 10 anos mais novo que eu e é médico - eu sei, é complicado, mas isso acontece nas melhores famílias hauhauhauahuahuauha). Comemoramos o aniversário do meu velho pai.

No outro dia cedo fui na Top Car e fiquei lá "sarneando" o Ramon... Ao meio-dia a moto estava pronta.

De lá fui para Brusque-SC comprar umas camisetas (quem mandou engordar?!?!?). De Brusque-SC fui para Balneário Camboríu-SC (meu pai e minha mãe são separados, e minha mãe tem uma casa em Balneário e estava por lá).

Dormi na casa da mamãe hauhauahauhu e saí cedo para Curitiba-PR.

Lá em Curitiba fui visitar meu amigo Luizinho, da Motodax (www.motodax.com.br), especializados em restauração de motos. Caramba, eu conheci o Luizinho há uns 6 ou 7 anos atrás, quando era apenas uma 'oficininha' e eles estavam praticamente começando. Hoje é uma loja enorme, cheia de motos e ainda estão ampliando. Eu fico feliz quando vejo empresários - como eu sou - prosperando, crescendo. Parabéns Luizinho e toda a equipe da Motodax.

Saindo da Motodax, me comprei um 'presente de aniversário com 4 meses de antecedência" hahahahahaha uma jaqueta linda, importada, 3 em 1, cheia de frescuras e ainda uma luva de verão (mais uma).

Lá em Curitiba eu sempre compro na Moto Savages, e sempre fui MUITO bem atendido por eles. Acho que 90% do equipamento de moto que tenho eu comprei com eles. Dessa vez quem me atendeu foi o vendedor Josuel. Gente fina, dedicado e que "conhece das coisas". Além de bom vendedor, ficamos batendo papo sobre equipamentos e você sabe, eu conheço "um pouco" disso tudo, mas notei que ele conhece também hehehe.

De Curitiba até Pato Branco o caminho de sempre e nenhuma novidade, exceto a jaqueta que funciona muito bem.

Deixa eu falar um pouco dela. É uma "Bering" importada da França. Ela tem 2 forros internos. Um impermeável e um para frio. Se você tirar os 2 forros internos, ela serve como uma jaqueta de verão (tem zipers, aberturas com velcro, etc).

Se você colocar os forros eu nem preciso explicar como funciona né? O legal é que os forros são 'pequenos', fáceis de levar. Você sai do sul com frio de 8 graus, chega em SP com calor de 32... quem aguenta? Então, com essa jaqueta eu levo apenas UMA jaqueta e os forros. E com isso enfrento frio, calor, chuva, etc. Nota 10 para a Jaqueta e para o pessoal da Moto Savages.

É isso... foram cerca de 1.000 Km em mais uma viagem solo... como eu disse no título, "uma viagem diferente".

Agora, final de novembro ou começo de dezembro, vou tentar fazer o máximo para viajar para Pedra Bela-SP, na maior tirolesa "do mundo"... São 1.900m de pura emoção. Se eu conseguir ir, conto para vocês!

Forte abraço e bons caminhos... se for numa 125, por favor, "sentado" hehehe !

Eldinei "P.P." Viana
ppviana@gmail.com
www.viajantesolitario.com.br



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Homenagem a Eldinei Viana

Algumas dicas para viajar na Argentina

Uma viagem diferente e a coluna anterior

Alta velocidade mata, mas isso você sabe!

Crianças crescidas também pilotam motos

Uma é pouco, duas é bom, três está ótimo

Rota do Sol, Cânions e uma outra FJR 1300!

Córdoba, Mendoza , Santiago e arredores

Córdoba, Mendoza, Santiago e arredores

Córdoba, Mendoza , Santiago e arredores

Opinião pessoal : TDM ou V-Strom

Algumas dicas para viajar na Argentina

Alta velocidade mata, mas isso você sabe!

Porque criticam tanto o que nós amamos?


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras