Rota do Sol, Cânions e uma outra FJR 1300!

Esse é mais um relato do nosso colunista, em mais de 2.000km de viagem 'solo' pelo Brasil.

Por André Jordão

Eu sei que estou 'mais atrasado que coice de porco' com essa coluna. De quinzenal agora ela é quase bimestral :-)

Mas o trabalho, a chuva, o frio, a mulher que me obriga a lavar a louça... ops... enfim, correria todos nós temos não é mesmo?

Eu queria fazer essa viagem já há algum tempo. Até escrevi sobre isso, lembram? Era inverno do ano passado e a tal da 'gripe porcina' tava matando gente de tudo quanto é lado.

Como a 'porcina' não apareceu nesse inverno - e esperamos que não apareça nunca mais - eu resolvi encarar o frio e fui.

Saí de Pato Branco num sábado e fui até Florianópolis (SC). Era dia 26 de Junho, aniversário do meu irmão 10 anos mais novo que eu (ele é médico, mas isso acontece nas melhores famílias hauhauauha)

Daqui até Floripa não dá nem mais graça de ir... parece que eu poderia dirigir até de olhos fechados :-) Alguém já tentou e conseguiu !?!??!?

Em Floripa, me obrigo a trocar o pneu (Lembram? Era aquele que eu tinha colocado na Argentina, quando fiquei sem pneu no meio do deserto... e era uma marca &^%%!^$!%# )

Bom, não ganho 1 centavo para falar de marca de pneu, mas para mim, para a FJR, a melhor opção tem sido o Michelin Pilot Road 2. Nunca me deixou na mão e nunca terminou antes da hora. Propaganda feita, Michelin, se quiser me mandar um par 'na faixa', eu mando o endereço, ok ? :-)

Com a FJR de 'sapatos' novos, saio em direção à Cambará do Sul (RS), isso na segunda-feira, dia do jogo do Brasil. Até Tubarão (SC) eu já tinha ido, mas de lá em diante era tudo novidade para mim.

Como estão duplicando a BR-101 naquele trecho, pense num lugar ruim de andar. Dupla, simples, dupla, simples, terra, desvio, caminhões... caramba. Mas lembre-se do ditado "Ao infinito, e além!!!"

Quando chego em Torres (RS), que eu também queria conhecer, a polícia de lá me orienta a pegar a "Estrada do Mar" e ir 'por dentro', evitando a BR-101. Sábia escolha, ótima dica!

Em Torres, um vento frio, mas frio, mas frio... dou uma volta na cidade (deserta, todos estavam vendo o jogo heheheh), faço um lanche e sigo em frente.

Depois da "Estrada do Mar" você logo 'entra' na Rota do Sol. Bom, eu não quero, de jeito nenhum, deixar meus amigos gaúchos brabos. Mas para quem já foi para Ushuaia, Atacama, Mendoza e por aí vai, a Rota do Sol fica, digamos, um pouco menos atrativa do que ela realmente é. E naquele dia eu esqueci de combinar com o sol, então parecia mais uma "Rota do Nublado" :-)

Mas eu achei legal... vários túneis, viadutos, você sai de 1m à nível do mar e vai subindo até mais de 850m à nível do mar. Valeu o passeio.

Cambará do Sul. Pelo que ela é conhecida e falada, merecia uma infra-estrutura melhor para o turismo. E o próprio pessoal que mora lá fala isso. Tem pousadas muito boas, mas preferi ficar num hotel no 'centro' (Flat Cambará Hotel).

Ah se eu fosse prefeito daquela cidade... Eles tem, na região, mais de 50 cânions, sendo que os dois principais (Fortaleza e Itaimbezinho) tem 750m e 950m de altura, respectivamente (se eu errei o número é porque a memória já me falha).

Como as estradas estão ruins (chão, cascalho) e eu não sou louco de colocar a FJR lá, contratei um guia com um táxi (o Dedé, gente fina pra caramba, mais conhecido que feijão preto lá em Cambará)

Olha, eu já vi paisagens muito bonitas, mas o cânion Fortaleza me deixou 'pasmo'. Pense em algo bonito e multiplique :-)

Fiquei lá dois dias. De lá tinha compromisso marcado: passar em Passo Fundo (RS) para conhecer pessoalmente meu amigo Rosalvo, honorário sócio número 2 do "Clube das FJR do Brasil", do qual sou o fundador e membro número 1 (só tem eu e ele até agora hauauauahah)

Lá sou recebido pelo Rosalvo. Deixamos as 'rainhas' lado a lado para as fotos, deixamos que matassem a saudades (foram importadas juntas heheheeh) e depois de descansar um pouco fomos jantar com alguns membros do "Estradeiros do Sul". Everton (presidente), Allan (mecânico-mor e consultor especializado na compra de motos usadas), Portela (vida ganha, aposentado do BB, mora em Balneário Camboríu e Passo Fundo hehehehe) e o próprio Rosalvo. Todos com suas esposas.

Ser motociclista tem isso. Nunca tinha visto nenhum na minha frente, mas me senti em casa. Comemos muito bem (Rosalvo, não lembro o nome da galeteria), conversamos um bocado, contamos casos, trocamos experiências e demos muita risada. Obrigado pessoal do "Estradeiros do Sul". Quando vocês vierem a Pato Branco eu asso uma costela (de galinha) para todos huahuahauhauh

Dormi em Passo Fundo e vim para casa no outro dia cedo. São apenas 340 Km. Tudo ótimo, não fosse...

O PRIMEIRO tombo em 24 anos andando de moto!!!!! Isso mesmo meus amigos. Esse que vos escreve estava descendo uma serrinha entre Chapecó (SC) e São Lourenço do Oeste (SC) (quem conhece essa estrada sabe das curvas hehheehe).

Sim, esse que se auto-denomina ‘Viajante Solitário’ estava com a cabeça nas nuvens e entrou muito forte numa curva à direita... e não tinha acostamento... e tinha grama... e estava molhada.

Freio. ABS funciona. Grama molhada e ABS não combinam. Consigo manter a moto em pé por uns 30 metros... cada vez mais 'indo pro mato' :-)

Até que ela derrapa e cai suavemente... comigo embaixo, claro :-) Mas caiu num 'monte' de matinho, macega, não sei como vocês chamam. Capim?

Ralou um pouco a carenagem da frente, quebrou o baú traseiro esquerdo (que tinha quebrado no Trevo em Marau (RS) para quem me acompanha) e mais alguns detalhes. Mas coisa muito pequena!

Eu? Uai... saí de baixo da moto e tentei levantar ela. Sozinho não consegui. Ataco um carro que vem passando... em dois, levantamos a moto, volto para a estrada e venho para casa - apenas com 1 hora de atraso.

Machuquei algo? Nada, além do ego hahahhahahah

Bom, meu irmão falou que, tombinho desses, no capim, nem conta como tombo :-)

Mas é isso... agora estou (novamente) na dúvida se compro ou não a tal BMW R 1200 GS Adventure. Eita moto que me persegue :-)

Ah, próximo passeio: Rastro da Serpente, entre Curitiba (PR) e Apiaí (SP). Se você já foi, deixe seu comentário. Se não foi, o que está esperando para ir?

Forte abraço e bons caminhos... sem tombos, por favor!

Eldinei "P.P." Viana
ppviana@gmail.com
www.viajantesolitario.com.br


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br