Quando um sonho passa e outro se realiza

Colunista do MOTO o convida para uma discussão: Por que trocamos de moto? Entre e responda.

Por André Jordão

Não, eu não troquei minha FJR, ainda... Mas quero tecer alguns comentários sobre o porque de trocarmos de moto, e porque muitos, assim como eu, gostam de trocar de moto 'mesmo sem motivo aparente'. Acompanhe-me e depois deixe sua opinião.

Eu já escrevi aqui no MOTO.com.br sobre sonhos... numa coluna de Julho eu escrevi que "a minha vida sempre foi norteada por sonhos".

Com a FJR eu 'sonhei' por uns 3 ou 4 anos, não tenho certeza absoluta em relação ao tempo. Mas eu conhecia a ficha técnica dela, a potência, torque, sabia que tinha ABS, bolha elétrica, cardã, tudo. Tinha fotos (já comentei isso né?), matérias de revistas, enfim, era "o meu sonho".

Estou com a FJR faz cerca de dois anos e meio. Mas confesso que estou pensando seriamente em trocá-la. Por uma BMW R 1200 GS Adventure (sim, essa da foto).

Hoje, escrevo essa coluna do quarto do hotel em Curitiba. Estou numa viagem de negócios, e quando eu venho para cá, sempre vou dar uma olhada nas motos lá na Star News Motos, revenda BMW em Curitiba. De tanto ir lá 'babar' nas motos, fiz amizade com o Eduardo, um vendedor muito atencioso e solícito.

Claro que hoje à tarde fui lá na Star News novamente. Sim, fui olhar de perto e com calma a R 1200 GS Adventure, e 'babar' um pouco mais. Novamente fui muito bem recebido pelo Eduardo, que me incentivou a fazer um test-drive com uma... ele não devia ter feito isso... não mesmo. Caramba, eu tenho lutado contra a vontade de trocar de moto e o cara me faz eu andar em uma moto totalmente diferente da minha. E que era 'o meu número' :-)

Isso 'aguça' meu sensor de 'novidades'. Mas será que é só por isso que trocamos de moto? Eu não sei quanto à você, mas eu não consigo ficar muito tempo com a mesma moto... é verdade, eu começo a 'enjoar' da moto.

E se eu te contar que a FJR é, até hoje, a moto que eu fiquei mais tempo. Dois anos e meio... quando eu paro para pensar no quanto sonhei com essa moto, o quanto me imaginei andando pelas nossas maravilhosas estradas (é, era sonho mesmo, isso não existe :-). E agora estou pensando em 'trair' a pobre motinha trocando-a por uma de um estilo totalmente diferente.

Eu entendo quando queremos trocar de moto para 'subir' de 'cilindrada' ou de 'potência'. Isso até faz sentido. Quem de nós não gostaria (ou gostou) de sair de uma 125cc, e ir para uma 250cc, depois uma 500cc e assim por diante?

Ou então trocar de moto porque quer - ou precisa - conhecer um outro estilo? Você tem uma bike e quer uma trail, ou então como um irmão motociclista que encontrei na Star News hoje à tarde me disse: “Eu tinha uma V-Strom e peguei uma K 1200 R”, eu comentei, “Mas que mudança radical hein?” e ele respondeu: “É que eu queria 'acelerar' um pouco.”

Mesmo as 'obrigações' do nosso dia-a-dia nos fazem trocar de moto. Motoboys precisam pegar uma 150 nova, pois a 125 já está no 'pau-da-viola'. Ou você mora num local com estradas não muito boas (isso na Suécia, claro, pois no Brasil só temos boas estradas) e precisa pegar uma pequena trail, estilo a Lander, ou a nova XRE 300, para poder enfrentar os 'pequenos' buracos que te esperam pelo caminho.

Até aí temos motivos suficientes para trocarmos de moto. Mas e quando a troca não tem nenhum motivo aparente? Você já se sentiu assim? Tem uma boa moto, ela anda bem, não te dá problemas, tem potência, conforto, etc e você simplesmente quer... trocar!

Aí você pode pensar “Bom, o Eldinei vai trocar de moto para experimentar um outro estilo”. Mas eu já tive TDM-850, TDM-900 e V-Strom (sim, não são do mesmo estilo da R 1200 GS, mas são parecidos). Ou seja, isso não seria motivo suficiente.

Minha pergunta é: Isso só acontece comigo? Sou eu que 'enjôo' fácil? Ou é natural que 'quando um sonho se realiza' você parta para outro sonho?

Eu gostaria muito de ouvir sua opinião, ou melhor, de saber como isso 'funciona' para você. Não importa a cilindrada, o valor da moto, o estilo. Você é como eu, que gosta de ter várias motos diferentes? Ou você é um cara 'fiel' e fica com a tua motoca por anos e anos, tipo, felizes para sempre!

Para ilustrar essa coluna, nada melhor que colocar umas fotos tiradas hoje à tarde de uma R 1200 GS Adventure 'zerinho', já equipada com as malas laterais, do jeito que eu quero a minha. E o vendedor que já me 'aturou' umas 5 ou 6 vezes é esse que aparece na foto, o Eduardo (Abração Edu, que além de vendedor é um irmão motociclista também).


Forte abraço e bons caminhos.

Eldinei "P.P." Viana
ppviana@gmail.com
www.viajantesolitario.com.br


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br