Gosto, cor e amor não se discute, se curte

Existem os apaixonados pelas 'bikes' (já vimos muitos comentários deles aqui nesse espaço). Existem os que amam suas big-trails e os que não trocam suas custom por nada. Existem os que preferem as naked e existem aqueles que sonham em ter qualquer uma delas.

Nesses últimos meses, temos visto uma 'avalanche' de lançamentos no Brasil. Isso é ótimo... quem sabe logo chegamos - pelo menos em opções - ao nível de países mais desenvolvidos que nós.

Nos últimos tempos tive a oportunidade de conhecer a GSX 650 F, a DL 650 V-Strom, a CB 300 R e dias atrás conheci ao vivo o último lançamento da Yamaha, a XVS 950 Midnight Star.

Vou confessar algo para você : Eu nunca gostei de custom. Nunca. E não tem nenhum motivo aparente, mas simplesmente esse nicho/segmento nunca me atraiu. Já andei com Shadow, com Boulevard, com LC, mas nunca me senti atraído ao ponto de pensar "Puxa, essa é uma moto que eu compraria".

Antes que você comece a pegar as pedras para me apedrejar, deixa eu te explicar. Eu também nunca tive nada contra quem gosta de custom. E nunca tive nada contra as próprias motos. É questão de gosto.

Quando comecei a ver na mídia o lançamento da Yamaha, ela logo me atraiu a atenção: bonita (para o meu gosto), imponente, 'bandidona', com um motor razoável, enfim, parecia que minha aversão à custom seria colocada à prova.

Como sou 'macaco velho' em motos, eu não olho apenas o visual. Eu sou daquele tipo que 'devora' fichas técnicas. Potência, torque, curso de suspensão, autonomia, compressão... enfim, eu analiso toda a ficha técnica da moto antes de tirar minhas conclusões.

E por essa análise que fiz, já tinha bons motivos para - mesmo sem conhecer - gostar da XVS 950.

No sábado, a revenda Yamaha aqui de Pato Branco (não, não é a "Pato Motos" hehehe) mostrou oficialmente a XVS. Foi na Agvel Motos, comandada pelo meu amigo Dalton. E lá fui eu conhecer de perto a nova XVS. Confesso que minha aversão à custom caiu por terra.

Achei a moto mais bonita ao vivo. Suas rodas, seu escapamento, seu enorme motor. Enfim, uma bela máquina que me fez pensar seriamente em tê-la como minha segunda moto.

Desde que comecei minha escalada motociclística, sempre privilegiei as motos no estilo fun-bike/big-trail (tive 2 TDM-850, 1 TDM-900 e 1 V-Strom ) e as touring ( tenho a FJR 1300 e ponderei a BMW R 1200 RT e a K 1200 GT na época). Claro que tive XT-600, Falcon, enfim, várias motos. Mas nunca tive custom. Nunca.

Naquele sábado tive que sair logo da loja. O Dalton insistiu para que eu fizesse um test-drive com ela. Eu neguei, claro... sabia que se andasse nela poderia ter que arrumar espaço na garagem para mais uma moto e, talvez, arrumar espaço na casa de algum irmão motociclista, pois minha esposa iria dizer "ou eu, ou ela".... e eu sentiria muita falta da minha esposa.

Ah, nas fotos você vai ver algumas motos que já tive... e note bem, não tem nenhuma custom!

E você? Tem algum gosto definido ou qualquer moto te serve ? Sempre sonhou em ter algum modelo? Comente, esse espaço é seu também.

Forte abraço e bons caminhos!

Eldinei "P.P." Viana
ppviana@gmail.com
www.viajantesolitario.com.br



Fonte:
Equipe MOTO.com.br




Compartilhe essa notícia

Receba notícias de moto.com.br