Córdoba, Mendoza , Santiago e arredores

Antes nunca do que tarde, dizia um velho deitado :-) Atrasei, mas consegui escrever a terceira parte desse relato (que está quase virando um livro).

Escrevi porque milhares de leitores me ameaçaram: ou eu escrevia, ou teria que ir de Honda Pop 100 até o Alaska ano que vem! Melhor escrever logo hehehehe

Se você (ainda) não leu a parte I e a parte II, leia agora clicando aqui e aqui, respectivamente.

Você, meu fiel leitor, já descobriu que até aqui eu passei por muita coisa, mas que principalmente eu sofri nas mãos dos 'hermanos policiais corruptos'. Bem, eles me deram trégua até a volta, quando você vai descobrir o 'macete' que meu amigo chileno, o Maurício, me ensinou... e também vai saber se esse macete funcionou ou não (esse suspense é para tentar fazer você ler meus próximos 576 relatos :-))

Então vamos em frente... saí de Córdoba com a alegria de ter conhecido o Mauricio e a Angélica, e por saber que agora tenho mais dois amigos em Santiago. As nossas viagens, além de nos trazerem a alegria de conhecermos lugares diferentes, nos proporcionam isso, conhecer pessoas diferentes. E amigos, meus amigos, nunca é demais.

De Córdoba meu roteiro previa ir até Villa Carlos Paz, uma pequena cidade que fica 'ao redor' de um lago (aqui chamamos de alagado, pois é formado por uma barragem). Na minha cabeça, eu pensava que iria encontrar uma cidade pequena, velha, feia... que grata surpresa eu tive ao chegar lá.

Primeiro porque era verão e a cidade estava lotada, com muita gente, e segundo porque a cidade é, na minha opinião, uma "Punta de Leste" Argentina (guardadas as devidas proporções, claro). Ou seja, uma cidade bonita, com belos prédios, muitos restaurantes, muitos hotéis, muito bem frequentada. E muita gente bonita por todos os lados (não, eu não olhei para os lados, foi um amigo que me contou sobre isso hehehehe).

Fui até o centro de informações turísticas (nesse ponto, 10 a 0 pros Argentinos... praticamente toda cidade tem um centro de informações turísticas que funciona bem) para pegar um mapa da cidade. Estava muito quente. Como diz o Galvão Bueno, tinha um sol para cada um. E aquela região já é quente por natureza.

Dei uma passeada na cidade, andei ao redor do lago - que, diga-se de passsagem, estava quase seco - tirei fotos, mas não fiquei com vontade de dormir por ali. Eu queria conhecer a tal "Ruta de Los Altos Cumbres" e chegar até Mina Clavero (aqui devo fazer uma correção : o nome correto é "Camino de Las Altas Cumbres", perdoem-me, eu estou ficando velho e a memória vai falhando).

Parei numa sorveteria que tinha wi-fi. Nessa viagem eu estava estreando um netbook que comprei para levar junto na moto. Excelente opção. Sol de rachar no lado de fora e eu dentro da sorveteria, com ar condicionado, tomando um milk-shake e conversando com a família. Viajante solitário sim, mas não ao ponto de ficar depressivo.

Decidi então que iria aproveitar o dia e seguir até Mina Clavero. Pelas minhas informações, era um balneário onde muitos argentinos iam passar as férias. Eu já não sabia mais o que esperar depois da surpresa de Villa Carlos Paz, que, como escrevi, de vila não tem nada... é uma cidade muito bonita.

Abro um parêntese aqui: muitos irmãos viajam e 'passam batido' pelas atrações que podem ter na região. Eu ouvi de um irmão motociclista, antes de ir para Córdoba : "Não vá para Córdoba, lá não tem nada, nada pra ver, nada pra fazer... é um calor dos infernos, nem pare lá." Eu creio que esse irmão nem faz idéia de que existe Villa Carlos Paz, ou Mina Clavero, ou o Camino de Las Altas Cumbres, ou mesmo as outras "Villas" que tem ao redor. Ou seja, ele passou por lá e perdeu a oportunidade de conhecer as atrações daquela região.

Aí você vai me dizer "Pô, se for pra conhecer tudo em todo lugar, tem que ficar viajando 1 ano". Eu concordo. Mas atualmente, com as facilidades da internet, você consegue escolher pelo menos uma ou duas atrações a mais da região e conhecer na mesma 'passada'. Basta digitar no Google, por exemplo, "atrações turísticas Córdoba" e dar uma olhada nos resultados. É isso que eu faço (claro que eu faço mais pesquisas, mas esse seria um primeiro passo). Fecho parênteses!

Sigo para Mina Clavero pelo dito "Camino de Las Altas Cumbres". Eu já passei por várias estradas bonitas e altas, com belas paisagens e lugares onde você tem vontade de ficar parado, apenas admirando. Mas essa estrada é muito interessante. Você chega a mais de 2.100m de altitude, com um visual lindo, com muitas curvas e muitos locais assim, onde a vontade é apenas ficar parado, olhando, admirando. Sabe aquelas estradas que você tem vontade de andar a 60 Km/h somente para curtir a paisagem ? Pois é, essa é uma delas.

E para minha sorte naquele dia tinha sol e nuvens. Então a paisagem ficava ainda mais interessante. Mas, nem só de estrada vive o viajante :-)

Chego em Mina Clavero e noto que é uma cidade bem diferente de Villa Carlos Paz. Sem querer ofender nenhum 'hermano argentino', a minha impressão foi de que Villa Carlos Paz é para gente mais, digamos, 'bem de vida'. E Mina Clavero seria um balneário mais popular.

Mas nem por isso deixa de ser interessante. Para você ter uma idéia de como é, um rio corta a cidade... rio baixo, estreito, pequeno. E do lado do rio tem... areia. Isso mesmo, como aquela região é tudo meio deserto, do lado do rio tem areia que forma uma... praia. Acertou, forma uma praia. E a cidade é 'ao redor' desse rio.

Pense num mundo de gente. É quase como ir para uma praia lotada do Brasil. E a cidade, pequena mas simpática, ao redor disso tudo. Casas mais simples, hotéis mais simples, restaurantes mais simples, mas mesmo assim uma cidade turística com boa estrutura.

Em Mina Clavero eu fiquei no Hotel Panaholma, bem no começo da cidade. Um hotel muito limpo, bonito, atendimento nota 10, e não era caro não. Cerca de AR$ 140,00 com café da manhã (bom) e estacionamento. Recomendo! (ah, a filha dos donos fez 'classe' de português, então, é fácil de se fazer entender :-))

O que eu tinha para fazer em Mina Clavero? Ir no Cassino perder uns pesos (argentinos... pena, pois se fosse uns kilos seria melhor heheheh), passear na cidade e comer a comida típica da região: chivitos.

Mas o que seria esse tal de 'chivitos'? O dono do hotel tentou me explicar "És como un cerdo, pero menor"... hummm, um porquinho  A esposa dele "No, és como un, como se diz en Brasil ??? una cabra"... ah, pronto, era um cabritinho. A comida típica da região é um cabritinho abatido ainda novo, bem novo, e normalmente assado inteiro, ou consumido de outras formas.

Bem, ir até Mina Clavero e não comer o tal 'chivito' é como ir a para a Alemanha e não tomar um chopp alemão! Ou você ir para Gramado-RS e não experimentar o chocolate de gramado.

Então eu pedi qual o melhor lugar para comer 'chivitos' em Mina Clavero. "La Parrilla de Nahuel" foi a resposta. E lá vou eu experimentar o pobre do cabritinho. Confesso que não gostei muito. Por mais que eu vá para a Argentina, ainda não me acostumei com o costume (!!!) deles de terem os cortes da carne diferente dos nossos. Aqui é tão fácil : picanha, filé mignon, maminha, fraldinha, etc :-) E lá você nunca sabe ao certo o que vai encontrar.

Mas, vivendo e aprendendo, ou no meu caso, vivendo e experimentando.

Depois de uma 'parrillada de chivito', dou uma volta pela cidade, tiro fotos e volto pro hotel. Valeu a pena o passeio e valeu a pena conhecer Villa Carlos Paz e Mina Clavero.

No outro dia meu destino era conhecer o "Dique La Viña". Mas essa parte vou deixar para depois.

Lembra que na primeira parte eu escrevi que você iria rir da minha cara ao saber que fiquei 'sem pneu' no meio do nada, no deserto, com calor de 42 graus? Pois é, vou te contar em detalhes na parte IV dessa epopéia.

Sim, eu sei que inicialmente seriam apenas 4 partes, mas escrevendo e lembrando tudo o que aconteceu, eu me empolgo e escrevo demais.

Então, por favor, me acompanhe mais um pouco... prometo que resumo mais no 'próximo capítulo' :-)

Aguardo você na Parte IV !

Forte abraço e bons caminhos !

Eldinei "P.P." Viana
ppviana@gmail.com
www.twitter.com/ppviana
www.viajantesolitario.com.br



Fonte:
Equipe MOTO.com.br




Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br