Yamaha renova TMax com motor de 530cc para 2012

André Jordão

Quem acompanha o mercado de motos, seja no Brasil ou fora, tem notado que as grandes marcas mundiais estão entrando no segmento scooter de alta cilindrada. Chamado de maxiscooter, este nicho, segundo a Yamaha, foi inaugurado pela própria marca com o TMax, ainda em 2001.

De lá pra cá, mais precisamente nos dois últimos anos, o segmento scooter de grande porte viu nascer o Honda Integra e a linha C-Series da BMW, todos muito parecidos esteticamente, mas que carregam suas características próprias.

O que importa, no entanto, é que o segmento vem crescendo muito e a Yamaha não quer ficar de fora deste boom. Para isso, o conceito de empregar o desempenho de uma motocicleta com a funcionalidade de um scooter aparece mais do que nunca na nova versão 2012 do TMax, que chegará ao consumidor final com algumas modificações mecânicas.

Novos pistões em alumínio e um novo comando de válvulas, tudo, segundo a fabricante, para aperfeiçoar o torque e deixar o piloto munido em todas as faixas do motor. Além de algumas alterações estéticas que o deixaram mais moderno e pronto para encarar a concorrência.

Propulsor repaginado
As alterações no motor começam com o redimensionamento da capacidade para 530 cm³. Já os dois cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e o duplo comando no cabeçote foram mantidos, mas agora favorecem as baixas e médias rotações. A Yamaha credita a alteração de torque a componentes nobres, como, por exemplo, o novo comando de válvulas e os pistões em alumínio forjado.

De acordo com a marca, essas melhorias serão facilmente notadas quando o condutor sair do farol, ou seja, na faixa entre 40 km/h e 90 km/h o piloto notará um real aumento na aceleração — são 46,5 cavalos de potência a 6.750 rpm, 3 cv a mais que a versão anterior. E 5,33 kgf.m de torque máximo a 5.250 rpm.

Essas melhorias no propulsor são acompanhadas por um novo desenho do cárter, com maior capacidade, uma nova unidade de câmbio (CVT), que foi redesenhada, e uma atualização do sistema de injeção de combustível.

Ainda segundo a marca dos diapasões, a transmissão secundária agora será feita por correia, uma novidade mundial do TMax. Conhecemos bem o sistema CVT (continuously variable transmission, ou transmissão continuamente variável), pois equipa a maioria dos scooters vendidos no País. No entanto, a Yamaha garante que ao usar uma correia para fazer a transmissão secundária não haverá folga e, portanto, haverá uma menor perda de potência do motor.

Ciclística
Para manter a proposta e oferecer ao comprador um scooter com jeito de moto, o TMax foi montado sobre um resistente quadro de alumínio. O motor fica rígido no “coração” do quadro, enquanto o tanque de combustível foi acoplado mais abaixo, centralizando a massa.

Outro grande trunfo da versão 2012 do TMax fica por conta do peso. Pode não parecer muito, mas os engenheiros da Yamaha conseguiram deixar o novo modelo quatro quilos mais leve do que a versão anterior. Quem contribuiu para essa redução de peso, além dos materiais nobres já citados, foi o braço oscilante, idêntico ao utilizado nos modelos superesportivos da marca. A resistente suspensão traseira tem 116 mm de curso e é auxiliada pelo tradicional garfo telescópico na dianteira, que tem 120 mm de curso.

Menos peso, menos capacidade dos freios, certo? Errado. A Yamaha equipou o TMax 2012 com dois discos de 267 mm e pinça com quatro pistões na dianteira e ainda um grande disco de 282 mm na traseira. Tudo auxiliado pelo sistema ABS, presente na versão top de linha.

Estilo
Em sua nova versão, o TMax está com um visual mais esportivo. Os retrovisores estão mais harmônicos com o design do scooter e o novo painel, que traz dois grandes medidores analógicos e computador de bordo, ganhou um espaço mais centralizado na carenagem frontal, facilitando a visualização do piloto.

Já os dois faróis, característico das motos Yamaha, estão mais compactos, porém, segundo a marca, mais eficientes. A nova lanterna traseira, em LED, enfatiza o caráter esportivo deste maxiscooter.

Outro detalhe que compõe o estilo do TMax é o novo parabrisa. Menor que na versão anterior, o parabrisa pode ser ajustado em dois níveis, o que ajuda e muito a vida do motociclista. Há também novas rodas com cinco raios e um apoio lateral em alumínio, mas as medidas dos pneus continuam as mesmas da versão anterior: 120/70 -15 dianteira e 160/60-15 na traseira.

Para finalizar, com em todo scooter, o TMax conta com um generoso espaço sob o banco e alguns compartimentos que facilitam guardar as bugigangas diárias. O maxiscooter da Yamaha foi apresentado no Salão de Milão este ano e já começa a ser vendido em sua versão standard por 10.290 Euros, enquanto que a versão ABS será vendida no mercado europeu só em fevereiro com preço de 10.790 Euros. As cores disponíveis serão preta, branca, prata e cinza.

Fotos: Divulgação



Fonte:
Agência Infomoto




Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br