Triumph lança Street Triple na Europa

Fabricante inglês aponta desempenho e estilo como principais atributos do novo modelo.

Por Leandro Alvares

Murillo Ghigonetto

Finalmente a espera chegou ao fim. Depois de muita especulação, a Triumph acaba de apresentar sua naked de média cilindrada, a Street Triple, anunciada desde maio pela imprensa especializada na Europa.

O evento de lançamento foi realizado no começo de julho, durante o Triumph Tridays, na cidade de NeuKirchen, Áustria. Dono de um estilo arrojado, o modelo deve ganhar destaque no mercado por reunir o melhor de dois mundos. De um lado está o potente motor herdado de sua irmã mais esportiva, a 675 Daytona. Do outro a semelhança visual com outra bela integrante da família Triumph, a Speed Triple.
 
Para os que apostavam em uma máquina com design comportado, a Triumph parece ter surpreendido mais uma vez. Se a Daytona 675 e a Speed Triple já arrancavam elogios e suspiros dos fãs da marca pelo mundo, imagine poder “somar o DNA” destas duas belas máquinas em um novo conjunto? Pois foi exatamente esta a idéia dos engenheiros da Triumph com a nova Street Triple.

Na frente, o grupo óptico de desenho arredondado é praticamente o mesmo que equipa a Speed Triple, com a única diferença de possuir uma pequena carenagem sobre as lanternas. Já o painel oferece a maioria das funcionalidades presentes na Daytona 675, com fácil visualização e leitura das informações.

O assento duplo acompanha o desenho da rabeta, com dimensões curtas. Ainda na rabeta estão os dois escapes, também de desenho curto, mas com estilo moderno e em harmonia com todo o “conjunto da obra”.

O motor é o mesmo que equipa a Daytona 675, um DOHC (duplo comando de válvulas no cabeçote) com três cilindros em linha de 675 cm³ e arrefecimento líquido. No entanto, graças a algumas leves modificações mecânicas, na Street Triple o propulsor está mais amansado, com o limite de rotações levemente reduzido. São “apenas” 107 cavalos a 11.700 rotações (contra os 125 cv a 12.500 na Daytona 675) e torque de 6,9 Kgf.m a 9.100 rotações (ante os 7,3 Kgf.m a 11.200).

O câmbio também é o mesmo de seis velocidades, com as relações curtas, e a transmissão final feita por corrente. Com todos esses atributos, a Street Triple tende a oferecer boas respostas em regimes de baixas e médias rotações, segundo o fabricante.

Na parte ciclística, a Street Triple também herdou alguns componentes da Daytona 675, como o quadro. Fabricado em liga de alumínio, ele contribui para o baixo peso do conjunto, 167 kg a seco, e por dar boa rigidez durante a condução mais esportiva.  Na dianteira, o modelo usa uma suspensão upside-down da Kayaba com tubos de 41 ,mm de diâmetro e curso de 120 mm. Já na traseira um monoamortecedor com 126 mm de curso é o responsável por absorver as imperfeições do asfalto.

Para parar esta bela naked inglesa, o sistema de freios utilizado inclui dois discos de 308 mm com pinças de dois pistões da Nissin na dianteira, e um de 220 mm com pinças simples na traseira.

No Brasil, o representante da marca informou que o modelo estará disponível para comercialização a partir do primeiro semestre de 2008, mas ainda não tem previsão de preço. No mercado internacional, a nova Street Triple está disponível nas cores branca, preta e verde.

Fonte:
Agência Infomoto

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br