SUPERMOTO CADA VEZ MAIS ACIRRADO

Segunda e terceira provas da temporada esquentaram o domingo em Bauru.

Por Thiago Fuganti

Se o futebol do Brasil decepcionou a torcida no fim de semana, o mesmo não pôde ser dito sobre as competições das duas rodas. Um bom exemplo disso foi visto na tarde do domingo, em que ficaram registradas intensas disputas na terceira e quarta etapas do Campeonato Brasileiro de Supermoto, realizadas em Bauru, interior de São Paulo.

O palco das batalhas do certame nacional — que mistura várias modalidades do motociclismo, como Motocross e Motovelocidade — foi o kartódromo Toca da Coruja. A SM1, categoria com as motos mais potentes, foi o principal destaque, já que os pilotos Marcel Sona e Rafael Fonseca voltaram a repetir o duelo pela primeira posição.

O pole position Rafael Paschoalin abandonou a competição antes mesmo da largada e deixou o caminho livre para um grande espetáculo de Sona e Fonseca. Nas duas provas do dia, Marcel acabou superando Rafael, que não teve um final de semana satisfatório. “Na primeira prova, deixei o motor apagar e na segunda o pneu traseiro furou, o que me deixou sem condições de continuar na disputa”, lamentou Fonseca, que na classificação geral ficou em segundo.

Para Marcel, que competiu em casa, o resultado foi difícil de ser obtido, sobretudo pelo lado físico, muito exigido nas baterias. “Tivemos várias sessões de treinos e no fim do dia estava desgastado. Mesmo assim consegui andar na frente, garantir mais uma vitória e manter a distância na liderança do campeonato”, disse o piloto. O goiano Marcio do Carmo foi o terceiro colocado.

Na SM2, para motos de até 125cc (dois tempos) ou 300cc (quatro tempos), os pilotos Paulo Stedile e Rômulo Bottrel fizeram um pega particular. A primeira prova foi vencida por Stedile, que largou na frente e liderou de ponta a ponta. Porém, na prova final, Rômulo reagiu na última volta e conquistou o primeiro lugar a três curvas da bandeirada. “Na última bateria, senti o desgaste físico e diminuí o ritmo”, explicou Stedile.
 
Rômulo, que vinha acelerando forte a cada volta, aproveitou a situação para assumir a ponta e conquistar a primeira vitória na temporada. “Estou feliz por ter vencido, já que o Stedile é um piloto rápido e muito difícil de ser ultrapassado”, comentou. Em terceiro lugar ficou o mineiro Arthur Braga Thiriet. Com o resultado, Stedile e Bottrel empataram na liderança do Brasileiro, com 45 pontos.

Enquanto isso na SM3 — que engloba motos nacionais de Trail dois tempos ou as quatro tempos homologadas pela CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo) — a palavra-chave foi solidariedade. Depois de treinar no período da manhã, o piloto de Jaú Sival Perez teve problemas com o motor. Sem pensar duas vezes, o bauruense Adalberto Gonçalves, num gesto bonito, emprestou a ele seu motor reserva.

Segundo Adalberto, que na somatória de pontos foi o vencedor da categoria, a recompensa veio com a vitória. “Sabia que fazendo isso eu iria ajudá-lo e contribuiria para o crescimento do esporte”. Mesmo com um quarto lugar, Paulo Nicoletti manteve a liderança do torneio e agora soma 88 pontos.

A próxima etapa será realizada em agosto, em local a ser definido pelos organizadores.


Confira os resultados de Bauru:

SM1
1) Marcel Sona
2) Rafael Fonseca
3) Álvaro Cândido Filho
4) Philippe Thiriet
5) Marcio Do Carmo

SM2
1) Rômulo Bottrel
2) Paulo Cesar Stedile
3) Arthur Thiriet

SM3
1) Adalberto Gonçalves de Oliveira
2) Paulo Nicoletti
3) Sinval Aparecido Perez
4) Rafael Figueiras
5) Edemir Correa de Oliveira Júnior


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br