SUPERESPORTIVA CAMPEÃ

Suzuki GSX-R1000 é para quem busca adrenalina e o coração pulsando em alta rotação.

Por Thiago Fuganti

Dentro e fora das pistas, a Suzuki GSX-R 1000 2006 é considerada a superesportiva mais “nervosa” do momento. Afinal, é a campeã Mundial de Superbike de 2005, o que dá uma dica do que o motociclista vai encontrar ao pilotá-la.

No WSBK (Superbike World Championship), competição realizada com modelos produzidos em série de até 1000 cm³, o australiano Troy Corser dominou a temporada passada, com a conquista de oito vitórias e da taça de campeão. Nas outras categorias de motovelocidade, a superesportiva nipônica também coleciona excelentes resultados.

No último fim de semana, na abertura do Brasileiro de Motovelocidade, não foi diferente: o piloto Pablo Martins, “o Baratinha”, pilotando o modelo 2006, venceu a corrida de Interlagos, mostrando na prática todas as qualidades da GSX-R.

Com novo grafismo, a moto promete agradar ainda mais. “Magra”, com apenas 166 kg, grande parte de seu sucesso se deve ao ótimo resultado do conjunto e à incrível relação entre peso x potência, com o resultado surpreendente de 0.932 gramas para serem “puxados” por cada cv dos 178cv disponíveis a 11.000 rpm; uma superesportiva feita, especialmente, para pilotos experientes.

Alto rendimento e engenharia avançada são suas principais características. O pequeno, mas potente propulsor tem 998,6 cc, quatro cilindros em linha, DOHC e 16 válvulas. A injeção de combustível foi aperfeiçoada e passou a ser controlada digitalmente, cobrindo uma ampla faixa de potência. Além disso, os sistemas de gerenciamento do motor contribuem, significantemente, para o aumento da performance da GSX-R1000.

O escapamento é todo em titânio e construído de forma triangular, e incorpora o sistema de ajuste (SET), no qual usa uma válvula de borboleta servo-controlada no duto entre a tubagem e o silenciador. Esta válvula controla as ondas de pressão dentro do sistema de escape, melhorando a resposta do acelerador e o torque em baixa rotação.

Mas sua força mesmo vem em altas doses de rpm. Aos nove mil giros, o motor gera 12 Kgm.f. Assim, o sistema abre e fecha baseado na rotação do propulsor, posição do acelerador e marcha engrenada, para um melhor rendimento em baixa.

O visual da moto foi atualizado, está mais radical. As setas dianteiras são integradas aos espelhos retrovisores e as traseiras estão embutidas na rabeta. A lanterna tem lente transparente e leds.

A GSX-R1000 pode ser encontrada nas cores preta, azul e amarela e o preço sugerido ao consumidor é de R$ 71.900,00. Uma máquina campeã de velocidade, adrenalina e emoção.



FICHA TÉCNICA:

Motor: DOHC, quatro tempos, quatro cilindros em linha com 16 válvulas e  refrigeração líquida

Cilindrada: 999 cc

Potência Máxima: 178 cv A 11 mil rpm

Torque máximo: 12 Kgf.m A 9 mil rpm

Diâmetro e Curso: 73,4 mm X 59,0 mm

Taxa de compressão: 12,5 :1

Transmissão: seis velocidades

Sistema de transmissão: Corrente

Sistema de lubrificação: Cárter úmido

Alimentação: Injeção Eletrônica

Ignição: Eletrônica digital

Partida : Elétrica

Suspensão dianteira: Garfo telescópico invertido, totalmente ajustável

Suspensão traseira: Monoamortecida a óleo tipo link, totalmente ajustável

Freio dianteiro: Duplo disco de 310 mm de diâmetro, ventilado e flutuante, mordido por pinças de 4 pistões opostos

Freio traseiro: Disco simples de 220 mm de diâmetro, ventilado de acionamento hidráulico, mordido por pinça de 2 pistões opostos

Rodas e Pneus dianteiros: 120/70 ZR17 M/C (58W),  sem câmara

Rodas e Pneus traseiros: 190/50 ZR17 M/C (73W), sem câmara

Comprimento: 2.030 mm

Largura: 710 mm

Altura: 1.130 mm

Entre-eixos: 1.405 mm

Distância do solo: 130 mm

Altura do assento: 810 mm

Tanque de combustível: 18 Litros

Peso seco: 166 Kg


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br