ONU propõe ações para deixar o trânsito mais seguro

A triste estatística de cerca de 1,3 milhão de vítimas fatais a cada ano no trânsito fez com que a ONU (Organização das Nações Unidas) proclamasse os próximos dez anos – 2011-2020 – uma Década de Ação pela Segurança Viária.

A Resolução aprovada na Assembléia Geral da ONU em 2010 descreve o número de mortos e feridos no trânsito como “um grande problema de saúde pública que, se não for combatido, pode afetar o desenvolvimento sustentável de muitos países”. Principalmente porque nos países de baixa renda acontecem 90% das mortes no trânsito.

Segundo a OMS, US$ 518 bilhões são gastos anualmente com acidentes de trânsito. Desse total US$ 65 bilhões em países de baixa e média renda, entre eles o Brasil. Valor que supera e muito a ajuda financeira para o desenvolvimento dessas nações. As despesas com a violência no trânsito giram entre 1 e 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB) de países como o nosso.

Classificada como uma crise humanitária, a violência no trânsito mata mais crianças entre 5 e 14 anos em todo o mundo do que a AIDS ou Malária, além de ser a principal causa da morte de jovens entre 15 e 29 anos.

A Década de Ação pela Segurança Viária traça diversas diretrizes e atitudes para solucionar questões simples como o não uso de capacete por motociclistas, a ausência de faixa de segurança para pedestres, entre outros.

De acordo com os especialistas, se as atitudes previstas forem tomadas mais de 5 milhões de vidas poderão ser salvas até 2020.



Fonte:
Agência Infomoto




Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br