Oficial: Yamaha e Rossi separam-se no fim do ano

A marca anunciou que a parceria de sete anos com o Campeão do Mundo vai terminar no final da presente temporada.

Por Roberto Brandão

A Yamaha anunciou que a parceria entre ela e Valentino Rossi terminará no fim desta temporada, já que o piloto assinou contrato de dois anos para correr com a “Rossa” de Borgo Panigale na Ducati Marlboro a partir de 2011..

Rossi e a Yamaha tiveram sete fantásticas temporadas, durante as quais conquistaram quatro títulos de campeões mundiais. Além disso, Rossi desempenhou importante papel na história da Yamaha e continuará sempre a ser uma parte importante da herança da marca. A

Lin Jarvis, Diretor da Yamaha Motor Racing, disse: “Em nome da Yamaha Motor Group, gostaria de expressar a nossa sincera gratidão pelos impressionantes sete anos que passamos juntos. O Valentino juntou-se à Yamaha em 2004 numa altura em que a Yamaha estava lutando nas pistas depois de 11 temporadas sem uma vitória no campeonato. A vitória no seu primeiro GP com a Yamaha na África do Sul em 2004 foi um momento incrível e apenas o primeiro de muitas mais vitórias que emocionaram os fãs de MotoGP e da Yamaha em todo o mundo. As suas capacidades como piloto de corridas e de desenvolvimento permitiram-lhe vencer quatro títulos mundiais da MotoGP até hoje conosco e ajudaram a Yamaha a tornar a YZR-M1 numa ‘moto de referência’ para a classe da MotoGP”.

"Existiram boas experiências e vitórias e estamos muito orgulhosos por termos feito história juntos. Apesar de lamentarmos a decisão de partir do Valentino, ao mesmo tempo respeitamos totalmente a sua decisão de procurar novo desafio e desejamos-lhe sorte para 2011 e para o futuro”.

"Para as restantes oito corridas de 2010 o Valentino vai continuar a ser piloto de Fábrica da Yamaha. Assim, ele vai continuar contando com todo o nosso apoio e esperamos vê-lo vencer mais corridas de ‘azul’ antes do final temporada”, completou Jarvs.

Rossi afirmou: “É muito difícil explicar em poucas palavras a minha relação com a Yamaha nos últimos sete anos. Muitas coisas mudaram desde esse longínquo 2004, mas especialmente ‘ela’, a minha M1, mudou. Na altura era uma moto de meio de grid da MotoGP, que não era vista da melhor forma pelos pilotos e pessoal da MotoGP. Agora, depois de a ter ajudado a melhorar e crescer, podem vê-la sorrir na garagem, cortejada e admirada, tratada como a melhor da classe”.

"Agora chegou o momento de procurar outros desafios; o meu trabalho aqui na Yamaha terminou. Infelizmente mesmo as mais belas histórias de amor terminam, mas deixam muitas boas memórias, como quando beijei a minha M1 pela primeira vez na relva em Welkom, quando ela olhou para mim e me disse ‘amo-te’!”

A chegada de Valentino Rossi à Ducati abre um novo e excitante capítulo da história esportiva da marca italiana e, na verdade, de todo o Campeonato da MotoGP. A oportunidade de tão extraordinária ligação é considerada pela Ducati como tendo um enorme valor acrescido para o projeto da marca na categoria.

Filippo Preziosi, Diretor Geral da Ducati Corse, disse: “Primeiro, o Valentino é um grande amante de motos, pelo que foi sempre para mim um prazer ouvir as suas opiniões. Até ao GP de Valência ele vai continuar a ser um rival, tão grande que deu sempre um sabor especial às nossas vitórias, mas assim que rodar com a Ducati pela primeira vez, vamos trabalhar em conjunto em todos os detalhes para desenvolvermos uma moto capaz de mostrar todo o seu enorme talento. Trabalhar com o Valentino é uma das coisas mais excitantes para todos os engenheiros e é bom saber que vamos ter esta grande oportunidade na próxima temporada.”


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br