Na trilha da concorrência

Yamaha lançará a TT-R 230 no próximo Salão das Duas Rodas para enfrentar a Honda CRF 230F.

Por Leandro Alvares

Murillo Ghigonetto

O lançamento e o sucesso de vendas da Honda CRF 230F motivaram os japoneses da Yamaha a seguirem a trilha da concorrência e correr atrás do mercado off-road. A montadora nipônica está preparando a comercialização da TT-R230 no mercado interno já para o final deste ano.

Além de disputar a preferência dos motociclistas adeptos do fora-de-estrada, o objetivo é minimizar prejuízos com as quedas das exportações, em função da taxa de câmbio desfavorável, uma vez que o modelo é produzido em Manaus (AM) exclusivamente para exportação. Pelo menos até o momento.

O lançamento oficial da TT-R 230 deve ser feito em outubro, no Salão das Duas Rodas. A máquina fez sua primeira aparição ao público na última edição da feira. Como já é fabricada no Brasil, a logística necessária para a comercialização da motocicleta no país está facilitada. Faltam apenas ajustes na linha de montagem.

Só para  a terra

Com desenho moderno e mecânica simplificada, o modelo é extremamente compacto e se mostra ideal para os iniciantes no mundo off-road. Seu baixo peso (109,8 kg) também é um fator que contribui para a pilotagem “sem sustos”.

Por ser uma moto voltada exclusivamente para o fora-de-estrada, itens como piscas, luz de freio e lanternas não fazem parte do conjunto. No lugar, a montadora japonesa prefere reforçar o espírito de competição do modelo com a adoção do number plate.

Os pára-lamas são altos, assim como a altura do assento (871 mm). No lugar do painel com velocímetro e conta-giros, há apenas o miolo de ignição para o acionamento do motor, que conta com partida elétrica.

E por falar em motor, o da TT-R230 já é conhecido dos brasileiros, o mesmo que equipava as extintas XT 225. O propulsor é um monocilíndrico quatro tempos de 223 cm³ com SOHC (comando de válvulas simples no cabeçote) e arrefecimento a ar. A versão atualmente produzida no Brasil e vendida na América do Norte oferece potência máxima de 18 cv a 7.500 rpm, e torque de 1,78 Kgf.m a 6.500 rpm.

A transmissão final é feita por corrente com câmbio de seis velocidades. Tanto os números de desempenho, assim como detalhes estéticos e especificações técnicas, podem mudar na versão para o mercado nacional, já que o TT-R 230 terá de atender às normas brasileiras.

Na parte ciclística o modelo não tem nenhuma grande inovação. A suspensão dianteira utiliza o tradicional garfo telescópico com tubos de 36 mm e curso de 239 mm. Na traseira a TT-R 230 traz uma balança de alumínio com monoamortecedor de 221 mm de curso. O conjunto utiliza freio a disco de 240 mm e rodas em alumínio de 21 polegadas na frente, e freio a tambor de 110 mm com rodas de 18 polegadas atrás.

Os grafismos devem seguir o mesmo padrão dos modelos de exportação, como mostrado nas fotos. O preço deve ficar próximo de R$ 9 mil, assim como a CRF 230F,  ou seja, uma ótima pedida para quem quer uma moto apenas para trilha. Agora é esperar para ver!

Fonte:
Agência Infomoto

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br