Mercado deve manter crescimento em 2007

Abraciclo divulga balanço do ano passado e prevê outra temporada de sucesso ao setor.

Por Leandro Alvares

Desde o início do ano passado, a Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares) pregou um discurso de que a industria nacional de motocicletas alcançaria um expressivo resultado em 2006, fato confirmado com o passar dos meses.
 
Com o fim de dezembro, a entidade enfim pôde repassar o balanço anual do setor, que fechou a "temporada" em alta. Foram produzidas mais de 1 milhão e 400 mil motos e motonetas no país, crescimento de 16,3% em comparação ao número registrado em 2005.

Um dos maiores picos de produção durante o ano recém findado foi alcançado em agosto, quando foram produzidas pouco mais de 143 mil máquinas de duas rodas. “Os preços mais acessíveis, vinculados ao maior número de modelos populares e linhas de financiamento e consórcio estão fazendo os consumidores brasileiros optarem pelos veículos de duas rodas”, afirmou Paulo Shuiti Takeuchi, presidente da Abraciclo.

No mês passado, 89 mil e 418 motocicletas foram produzidas, volume 23,4% superior as 68 mil e 467 unidades que saíram da linha de montagem no mesmo período de 2005, mas 51,7% menor em comparação as 141 mil e 838 motocicletas produzidas em novembro de 2006. “Essa oscilação ocorreu por conta do período de férias coletivas das montadoras”, explicou Takeuchi.

Para 2007, a entidade mantém perspectiva de crescimento de 11,3% para produção, chegando à marca de 1 milhão e 600 mil motocicletas produzidas.

No mercado interno, as vendas cresceram 23,7% em 2006, totalizando 1 millhão, 268 mil e 41 unidades comercializadas, contra pouco mais de 1 milhão e 24 mil motocicletas vendidas em 2005.

As vendas no segundo semestre do ano anterior foram ligeiramente maiores em comparação aos primeiros seis meses, diferentemente do que aconteceu em 2005, quando as vendas foram superiores no primeiro semestre. Foram comercializadas mais de 639 mil motocicletas no país durante os meses de julho a dezembro do ano passado, contra aproximadamente 629 mil unidades de janeiro a junho de 2006.

Para a indústria, novembro foi o mês de maior desempenho registrado nas vendas para o mercado interno, no qual foram vendidas mais de 124 mil equipamentos.
 
As motocicletas de 100 a 250cc foram as mais vendidas em 2006, e as regiões sudeste, com mais de 40%, seguida do Nordeste, com pouco mais de 20%, e da região sul, com aproximadamente 19%, lideraram o ranking da distribuição geográfica de vendas ao mercado interno. Em São Paulo, por exemplo, o volume comercializado foi superior no interior do Estado e representou pouco mais de 16% das vendas na região sudeste no período, contra os 7,7% na capital.

Para 2007, a Abraciclo mantém perspectiva de crescimento de 14% para vendas ao mercado interno, chegando à marca de 1 milhão e 450 mil motos vendidas.
 
Quanto às exportações, o balanço anual foi inferior ao ano retrasado. Em 2006 foram exportadas 163.401 unidades, o que indica decréscimo de 11,5% em relação ao resultado de 2005, que foi de 184.592 motos exportadas para mais de 30 países, com alta concentração no México e Argentina.

Em dezembro passado, 8.464 motocicletas foram vendidas ao exterior, volume 18% menor que o de novembro, quando 10.319 unidades deixaram o país, e 30,9% inferior às exportações do mês de dezembro de 2005.
 
De acordo com a Abraciclo, a tendência é de que o volume exportado em 2007 seja 9% inferior ao do ano passado, chegando a 150 mil unidades.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br