Mega São Lourenço

Encontro de motociclistas atraiu mais de 9.300 motos e cerca de 40 mil pessoas a Minas Gerais.

Por Leandro Alvares

Aldo Tizzani

Durante o feriadão prolongado do Dia do Trabalho, vários eventos motociclísticos pipocaram por este Brasil afora. Em Búzios (RJ), harlistas participaram do X National HOG Rally; em Curitiba (PR), o BMW Clube do Brasil reuniu seus associados, enquanto que na terra do peão do boiadeiro aconteceu o V Barretos Motor Cycles (SP).

Já na estância hidromineral de São Lourenço (MG), a 20ª edição do Megacycle apresentou lançamentos de motos e equipamentos para motociclistas, além, é claro, de shows musicais, globo da morte, motocross, Freestyle e lava-motos. O evento, segundo os organizadores, recebeu mais de 9.300 motocicletas e cerca de 40 mil pessoas.

Mas qual é a principal função desses encontros? A resposta é simples: rever velhos amigos de estrada e ficar “antenado” sobre todas as novidades do segmento das duas rodas.

No Megacycle, considerado um dos eventos motociclísticos mais importantes da América Latina, não faltaram atrações. No estande do Grupo Izzo — importador de oito marcas de motocicletas, scooters e quadriciclos — duas motos fizeram sua primeira aparição pública: a superesportiva Ducati 1098 e a Buell Lightning Super TTXB12STT, um mix entre os modelos street e on/off-road da marca norte-americana.

A Honda exibiu dois mega-lançamentos: a nova superesportiva CBR 1000RR e a GL 1800 Gold Wing, grã-turismo da marca nipônica equipada com air-bag. Na Suzuki, as esportivas sempre chamam muita atenção, porém a linha custom formada pelas Boulevard M 800 e 1500 já tem uma legião de fãs e que marcaram presença.

Na Sundown, os motociclistas puderam fazer test-drive com a VBlade 250, além de conferir de perto a trail STX e a Motard, primeiro modelo deste estilo fabricada no país.

Já no estande da Pirelli/Metzeler, o motociclista podia trocar os pneus de sua moto ou fazer alinhamento e balanceamento. Além disso, o fabricante promoveu gincanas entre motoclubes.

Mas as grandes estrelas do estande da Pirelli foram duas motos “fabricadas” pela customizadora Apocalypse Cycles, de Santa Catarina. A primeira, uma Harley-Davidson laranja, que demorou oito meses para ser reconstruída. Do modelo original só sobrou o motor e as pinças de freio. A segunda, uma Honda Shadow 600, que ganhou um banho de loja e se transformou numa autêntica “old school”.

A equipe da Pósitron instalava ali, no próprio estande, alarmes para motos de até 250cc. Para os motociclistas de plantão que quiseram se equipar havia inúmeras opções entre novos modelos de capacetes, jaquetas, calças, luvas e botas, além de um kit xenon (XBR) para motos.

O público ficou boquiaberto mesmo com o show dos irmãos Melo, em manobras radicais no globo da morte, e com os saltos acrobáticos do piloto Jorge Negretti, que voltou recentemente às pistas de motocross.

Para embalar o bate-papo entre amigos, nada melhor do que o bom e velho rock’n roll. Destaque para os shows musicais com Sérgio Duarte (Blues e Classic Rock), The Beatles Abbey Road e Credence Cover.

Resumindo: a 20ª edição do Megacycle ficou marcada pela qualidade do público, pelos lançamentos de motos e acessórios, que mostram o crescimento acelerado do setor de duas rodas no Brasil.

Fotos: Marcelo Altamiro.

Fonte:
Agência Infomoto

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br