Manutenção de motocicletas injetadas

Saiba quais procedimentos ideais para que seu sistema funcione sempre correta e eficazmente.

Por Roberto Brandão

Quando o assunto é manutenção de motos injetadas, já começa a afetar a vida dos proprietários, donos de oficinas e mecânicos. A manutenção é um procedimento praticado em motos carburadas normalmente, mas para motos injetadas algumas coisas mudam.

Primeiro, a boa notícia para os proprietários, os intervalos de manutenção são mais longos, a regulagem se mantém indefinidamente desde que o sistema esteja todo em ordem. Não existe regulagem, não existe ajuste de combustível e ponto de ignição como nas carburadas.

Mas quando os problemas começam a aparecer, aí tudo muda. Com muitos sensores, atuadores e fios que compõem o sistema de injeção, eles também se traduzem em mais fontes de defeitos. O uso de ferramentas especiais encarece o serviço de diagnóstico tanto para o proprietário quanto para o dono de oficina, que tem que investir alto em equipamentos.

O mais importante é o conhecimento técnico dos mecânicos. Por melhor que ele seja, com experiência de anos, ainda assim terá que se especializar profissionalmente para entender o sistema e operar os equipamentos especiais. Quando o mecânico não tem conhecimento especializado, não consegue diagnosticar alguns problemas, ou troca muitas peças caras sem necessidade, na base da tentativa e erro. O ideal seria que já estivessem se preparando, pois quando estas motos começarem a aparecer, já estarão atrasados. Quem corre atrás perde e quem corre na frente ganha! Afinal, leva-se um bom tempo para aprender na prática, mesmo depois de um treinamento completo.


Fonte:
Moto Vrum

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br