Há um ano, motociclista fazia história

Brasileiro Bozoka pilotou uma moto de 125cc nas geleiras da Antártica.

Por Leandro Alvares

O MOTO.com.br relembra nesta quinta-feira o feito inédito protagonizado por Francisco José Cavalcante Façanha, mais conhecido como “Bozoka”, que há exatamente um ano tornava-se o primeiro motociclista do planeta a pilotar uma moto nas geleiras da Antártica.

O brasileiro de 43 anos esteve a bordo de uma Traxx, modelo Fly 125cc, outra que entrou para a história como a única máquina de duas rodas no mundo a ter rodado no círculo polar.

A expedição moto-marítima partiu de Fortaleza, no início de dezembro de 2005, e exigiu uma operação complexa, que envolveu até militares da marinha. Já no destino da aventura, após uma viagem de 13.095 Km pelas estradas e mais de 2.240 Km pelo mar, a moto foi transportada em uma espécie de empilhadeira, rumo a base do morro da Cruz.
 
Na manhã do dia 10 de janeiro de 2006, a missão foi concluída. “Bozoka” andou com a motocicleta sobre a neve, mas não se sentiu satisfeito. “Sabe aquele coisa de mulher meio grávida, me senti assim. Não estava realizado. Nossa meta era realmente pilotar no gelo antártico e não apenas na neve”, afirmara na ocasião.
 
No dia seguinte, o comandante da Estação Capitão de Fragata identificou no Ice field Cracóvia o Glaciar Wanda, localizado na ilha Rei George, distante três quilômetros da Estação Brasileira na Antártica, Comandante Ferraz.

“Bozoka” seguiu até o local, onde finalmente completou o desejo, sob temperatura abaixo dos 15ºC negativos. “Apesar do forte frio, a moto pegou de primeira, mostrando toda a sua resistência, robustez e desempenho como vinha realizando nos nove mil e trezentos quilômetros rodados de Fortaleza à Punta Arenas, no Chile. Depois foi só diversão”, contou o brasileiro, que mal conseguiu descrever a sensação da conquista.
 
“Para mim foi pura diversão e realização pessoal. Mas essa não é só uma conquista pessoal. Dedico a expedição aos meus três filhos, aos meus pais, às Crianças da Casa do Menino Jesus, e divido minhas emoções e esse feito com todos os motociclistas do Brasil”, completou.
 
Esta foi a quarta expedição que entrou para o currículo do Ice Man, como passou a ser chamado pelos amigos.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br