Ducati promete moto com radar para 2020

Ducati anunciou recentemente que irá introduzir novos sistemas e tecnologias de segurança em suas motocicletas. O plano prevê que, até 2020, a fábrica italiana produza uma moto com radares frontal e traseiro para detectar a presença de outros veículos. Os sensores de radar já são utilizados em diversos automóveis de luxo.

Batizado de ARAS (Advanced Rider Assistance Systems), os sistemas de assistência avançada incluem a instalação de vários sensores - entre eles radares, para aumentar o nível de segurança do motociclista. De acordo com o comunicado da Ducati, os radares são capazes de fornecer informações sobre o ambiente circundanteevitando, assim, colisões com obstáculos ou outros veículos por meio de alertas ao piloto.

Confira ofertas de motos Ducati nos classificados do MOTO.com.br 

Pronto para ser produzido
A Ducati começou a desenvolver esses sistemas em 2016, em conjunto com o Departamento de Eletrônica, Informação e Bioengenharia da Universidade Politécnica de Milão (Itália). A parceria levou ao desenvolvimento de um sistema de alerta baseado em um radar traseiro, capaz de identificar e apontar veículos presentes no "ponto cego" (ou seja, a parte da estrada não visível diretamente ou no espelho retrovisor). O radar também detecta veículos se aproximando em alta velocidade por trás.

Segundo a fábrica, já foi protocolado um pedido de patente referente aos algoritmos de controle do sistema e as descobertas fizeram parte de uma publicação científica no Simpósio de veículos inteligentes (IEEE), realizado na Califórnia (EUA), em junho de 2017. 

Outro parceiro tecnológico da marca trabalha desde 2017 para viabilizar a produção em série do sistema. Afinal, os modelos 2020 da fábrica italiana devem ser apresentados no final do próximo ano. Mas para completar o pacote de segurança, haverá um segundo sensor de radar posicionado na parte dianteira da moto. O objetivo deste dispositivo frontal será gerenciar o controle de cruzeiro adaptativo (Cruise Control, também chamado de piloto automático). O sistema vai permitir que uma determinada distância, que pode ser definida pelo piloto, seja mantida a partir do veículo na frente e avisando o motociclista de quaisquer riscos de colisão relacionados à distração.

A Ducati garante que “todos estes sistemas, juntamente com uma interface de utilizador avançada, concebida para alertar o motociclista para quaisquer perigos existentes, estarão disponíveis em algum dos modelos da marca em 2020”.

Diferentemente dos automóveis, os sensores não deverão atuar passivamente nos comandos, frenando ou acelerando a motocicleta. Até porque uma atuação involuntária no acelerador ou no freio pode levar a uma queda quando se está em duas rodas.

Quer vender sua moto? Anuncie no MOTO.com.br!

ABS ainda mais seguro
Mas o primeiro passo real da estratégia da Ducati, batizada de "Safety Road Map", já está sendo implementado. A fábrica pretende estender para toda sua gama de produtos o Bosch ABS Cornering, um sistema de ABS mais avançado e preciso, que melhora a frenagem ativa garantindo mais segurança.

Enquanto o ABS padrão garante o controle durante a frenagem em linha reta, a versão mais avançada permite o controle total da aderência mesmo em curvas, descartando o risco de queda mesmo durante a fase de entrada de curva.

A Ducati tem sido pioneira na introdução de novas tecnologias que visam aumentar a segurança do piloto. Há alguns anos, a marca adotou o  Ducati Safety Pack, um pacote de controles eletrônicos que unifica o modo de pilotagem com a entrega de potência do motor, o controle de tração e os freios ABS

Além disso, desde 2014, a fabricante comercializa a "Multistrada 1260 D Air", que foi desenvolvida em conjunto com a Dainese, fabricante de equipamentos de proteção. A moto estabelece uma conexão wireless com a jaqueta Dainese e, em caso de uma colisão ou uma queda, infla automaticamente o airbag da jaqueta em 45 milissegundos.

Fotos: Divulgação



Fonte:
Equipe MOTO.com.br




Compartilhe essa notícia

Receba notícias de moto.com.br