Curso de pilotagem para a vida inteira

Motoschool proporciona mais segurança e prazer para o motociclista.

Por Bruno Rocco


Durante os dias 12 e 19 de novembro participei do curso de pilotagem do Motoschool realizado no Autódromo de Interlagos (SP), para conferir suas características e vantagens.

O instrutor chefe do curso é o vice-campeão Brasileiro de Motovelocidade de 2006, Bruno Corano, que vem acompanhado de outros instrutores, todos pilotos consagrados nos campeonatos realizados no Brasil.

Dia 12, apesar da chuva e da dúvida de se o curso seria realizado, todos os 38 alunos estavam presentes no autódromo. No box reservado para nós, havia motos de várias marcas, estilos e cilindradas como Ducati, Buell, Suzuki, Yamaha, Kawasaki e Custom.

Toda a estrutura armada estava voltada para que o aluno pudesse se sentir o mais confortável possível durante todo o dia. Durante as aulas teóricas, lanches eram servidos com sucos, refrigerantes e outras guloseimas.
 
Bruno Corano iniciou o dia falando da pista de Interlagos, de suas características e das técnicas necessárias para poder se pilotar em uma pista como aquela. Durante suas explicações os alunos intervinham e tiravam dúvidas.

Alguns já pilotavam moto há algum tempo, e mesmo assim se surpreendiam com as explicações. A técnica do contra-esterço (ato de virar o guidão para o lado oposto da curva), por exemplo, deixou alguns de boca aberta, pois certos alunos já faziam o movimento, mas o executavam de forma inconsciente.

Depois das explicações e das dúvidas esclarecidas, alguns sinais eram combinados para a comunicação entre aluno e instrutor na pista, como o de seguir o instrutor, passar, onde é a entrada da curva, postura, significado das bandeiras entre outros.

Após essa preparação, todos se dirigiam para a pista para executar o que foi discutido em sala. Cada grupo de alunos era acompanhado por um instrutor que acompanhava cada aluno por quantas voltas fossem necessárias para que ele aprendesse as técnicas ensinadas.  

Uma vez que o aluno adquiriu o que foi passado a ele, o mesmo era liberado para pilotar na pista sozinho. Mesmo não estando ao lado do instrutor os alunos se observavam e aprendiam juntos.

Depois de algumas voltas, todos retornavam para o box para mais explicações teóricas. Ao decorrer do curso tudo era destrinchado: a utilização dos freios, do acelerador nas entradas e saídas de curvas, a redução de marchas e muitas outras informações.

Mesmo com chuva todas, as aulas teóricas foram praticadas na pista. Alguns alunos preferiam não pilotar com o tempo chuvoso, mas quando São Pedro proporcionava uma trégua, mesmo com o asfalto molhado, todos subiam em suas motos e se dirigiam para o traçado.  

Dia 19 o tempo estava pior do que na aula passada, a chuva castigou e atrasou São Paulo, mas não desanimou nem atrasou os alunos, que estavam presentes e empolgados com mais um dia de curso.

Logo de início Bruno Corano nos informou que só entraríamos na pista se a chuva diminuísse, pois as condições estavam perigosas e que ficaríamos mais no bate papo. Mesmo com a notícia não muito agradável ninguém desanimou e mais uma aula era iniciada, com muita explicação e discussão sobre técnicas de pilotagem.     

Toda a teoria e a prática envolvida no curso era o tempo todo relacionada com fatos reais que poderiam acontecer na cidade ou nas rodovias, no dia-a-dia de cada um.

Depois de algum tempo, a chuva ficou mais fraca e nos dirigimos para a pista novamente.  Independente da chuva, toda a teoria e a prática foram desenvolvidas, desta forma, suprindo todas as expectativas dos alunos presentes.

Como em todo curso de pilotagem, alguns alunos se acidentaram e um deles fui eu. Estava na curva Bico de Pato, mas entrei um pouco cedo demais, resultando em uma saída completamente errada.

Tentei contra-esterçar ao máximo e trabalhar na aceleração, para o pneu de trás não pegar na zebra, mas não adiantou. Como a zebra estava molhada, resolvi colocar a moto em pé para não escorregar, mas me dirigi direto para a grama que também estava molhada. Resultado: chão na certa.

Nem eu, nem a menina da Honda de 600cc que estava comigo nos machucamos muito, mas o pior foi o susto (confira as imagens dela no final do vídeo).

A Hornet 600cc, disponibilizada pela Honda para os dois dias de curso de pilotagem, demonstrou ser uma grande guerreira. Nas curvas, mesmo com o chão molhado, a moto parecia agarrar no asfalto, seu quadro se mantinha firme e a aceleração respondia rápido aos torques.
 
Nas retas, mesmo sem carenagem, a menina se mantinha estável. Seu motor de 600cc proporcionava uma velocidade de 220 Km/h no final da reta principal e da reta oposta.

Esses dois dias de curso me proporcionaram maior habilidade, segurança, técnica e conhecimento sobre motos, asfalto e conforto durante a pilotagem. Após o primeiro dia, ao pilotar a moto durante a semana na cidade, a diferença entre o antes e depois era imensa.

Tudo mudou, desde a forma de sentar na moto, o modo de olhar para as curvas, até a maneira de frear. Se eu não tivesse caído com a moto no segundo dia de curso, com certeza eu repararia em outras diferenças que mudaram no meu jeito de pilotar no dia-a-dia.

Alguns dos alunos vieram de fora de São Paulo para participar do curso, outros estavam fazendo pela segunda vez, pois pretendiam aprimorar suas técnicas de pilotagem, afinal dois dias não são suficientes para adquirir e assimilar todas as técnicas envolvidas no curso.

Todos os presentes só podiam participar do curso com a utilização de macacão e de toda a proteção necessária, como luvas, botas e outros acessórios. As motos eram dos alunos, mas o Motoschool disponibiliza três motos para aluguel aos que não querem colocar suas motos em risco na pista ou àqueles que não possuem motos.

Muitos dos que fazem o curso querem realizar sonhos, como o de correr em Interlagos, melhorar sua habilidade ou simplesmente raspar o joelho no chão ao fazer curvas.

Quando retornam da pista é contagiante ver o sorriso e a satisfação estampado na cara de cada um. Todos comentam e trocam informações sobre o que fizeram e o que devem fazer para melhorar sua pilotagem.

Muitas amizades e grupos são formados ali, afinal todos que participam desse curso são apaixonados por motos, que pretendem pilotar cada vez melhor.

O Motoschool proporciona aulas não só em São Paulo, mas também em Brasília, Santa Cruz do Sul, Campo Grande, Cascavel e Curitiba. No calendário o próximo curso será realizado nos dias 03 e 17 de dezembro das 8:00 às 18:00 no Autódromo de Interlagos (SP).

O curso tem duração de dois dias e custa R$ 1.800,00 à vista ou R$ 2.000,00 em 5x de R$ 400,00.

Matéria realizada com o apoio da Casa do Capacete com capacete MHR.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br