Correndo como piloto profissional

2º Izzo Moto Experience, em Interlagos, mostrou evolução dos pilotos amadores.

Por Leandro Alvares

Leandro Alvares

Uma corrida de motocicletas de tirar o fôlego do menos aficionado por velocidade, a qual registrou um duelo pela vitória extremamente acirrado e emocionante desde a primeira à última volta.

Essa descrição caberia muito bem em uma prova de Motovelocidade, seja nacional ou internacional. No entanto, foi constatada numa competição destinada a pilotos amadores, a Daytona Cup, categoria que faz parte das atividades do Izzo Moto Experience.

A primeira etapa válida pela temporada 2007 do certame promovido pelo Grupo Izzo — importador oficial das famosas marcas Harley-Davidson, Buell, Triumph, Ducati, Polaris, MV Agusta, Husqvarna e Malaguti — aconteceu no sábado, véspera do Dia das Mães, no tradicional circuito de Interlagos (SP).

O grid, como de costume, esteve bastante cheio, com a presença de 35 máquinas superesportivas da marca Triumph, sendo 12 do modelo 675 e 23 da robusta 955i. “O grande desafio é manter a cabeça fresca para a corrida”, comentou Joel Soares, pole-position entre as motos 955i e segundo colocado na classificação geral.

No mês de abril, no lançamento do Izzo Moto Experience, Soares havia conquistado a vitória da corrida, que não contou pontos para o campeonato deste ano. “Minha meta é vencer novamente e abrir caminho na luta pelo título”, afirmou.

Para subir ao topo do pódio, porém, Joel teria de derrotar o destaque dos treinos classificatórios, Rodrigo Tchesco, que surpreendeu ao faturar a posição de honra do grid a bordo de uma Triumph 675, com a veloz marca de 1min54s016.

Momentos antes da largada, todos os pilotos demonstravam no semblante uma enorme ansiedade para encarar as 12 voltas do páreo. “Ser um competidor não é tão fácil quanto parece”, comentou Sérgio Souza, que ocupava o 14º lugar.

Na tentativa de transmitir mais segurança aos astros do dia, pilotos profissionais como Bruno Corano, Pablo Martins e Gian Calabrese — que atuaram como instrutores dos amadores — passaram moto a moto desejando boa sorte aos seus alunos.

Mas a cena que mais chamou atenção, a poucos instantes da luz verde acender, foi a do jovem piloto Eric Granado, de apenas dez anos, passando orientações aos amigos marmanjos. “Nesta hora, o mais importante é ficar calmo”, disse o pequeno ao pole Tchesco.

Sinal verde!

O ronco nervoso das 35 motocicletas alinhadas para a prova chegou a arrepiar a torcida, que foi ao delírio com o início bastante acalorado da disputa. Na largada, a surpresa foi Helder Shad, que tomou a ponta após sair do quarto posto. Tchesco e Soares vinham logo atrás.

Bastante embalado e com sede de conquista, Joel Soares partiu para o ataque e já na terceira volta assumiu a liderança. Rodrigo Tchesco, também nesta passagem, beneficiou-se com um erro de Shad e saltou para segundo. Começaria ali a grande batalha pela vitória.

No quinto giro, a Triumph 675 branca e cinza entrou na subida da reta dos boxes lado-a-lado do modelo 955i amarelo, e em plena passagem pela linha de chegada Tchesco conseguiu a ultrapassagem sobre o rival.

Soares, contudo, daria o troco na volta seguinte, retomando a liderança na freada do “S” do Senna. Eles entram no miolo do circuito de Interlagos, e Rodrigo retoma a dianteira. Além do confronto particular, surgia para os protagonistas uma outra adversidade: os retardatários.

O público não tirava os olhos da pista e ouviu do locutor oficial a informação de que Soares perdeu tempo ao negociar as ultrapassagens sobre os “atrasados”. Mas foi neste momento que a diferença técnica entre as motocicletas (675 e 955i) ficou evidente com a rápida recuperação do segundo colocado, que em menos de duas voltas voltou a andar nos calcanhares do adversário.

A troca de posições foi mantida até a última volta, aberta — pra variar — com os pilotos emparelhados. Joel estava na frente e em uma tentativa na base do tudo ou nada ultrapassou um retardatário no fim da reta oposta, deixando Tchesco para trás. Ali foi decidida a prova.

Com uma folga de 1s737 sobre Rodrigo, Soares recebeu a bandeirada bastante eufórico. “Foi uma disputa alucinante. O pessoal comprovou que o curso de pilotagem está surtindo efeito, pois todos andaram bem mais rápido, e eu fiquei muito feliz por ter conseguido chegar na frente”, declarou o vencedor.

Apesar de ter chegado em segundo no geral, Tchesco conquistou a primeira posição da categoria 675 e ainda fez a volta mais rápida da corrida, com 1min53s694 — giro superior ao alcançado na classificação. “Foi uma brincadeira muito divertida. Não fosse o retardatário entre nós na volta final, eu talvez conseguisse chegar colado no Joel. Mas valeu, consegui a vitória na minha classe, o mais importante”, afirmou o piloto.
 
O pódio das 955i foi completado por Helder Shad e Ricardo Jorge. Na 675, Felipe Rudge e Rodrigo Pacheco terminaram em segundo e terceiro, nesta ordem. E para encerrar a festa, a tradicional festa do champanhe. Afinal de contas, eles fizeram por merecer.

Emoção e agito para todos

Fora da pista, o Izzo Moto Experience também garantiu o entretenimento do público presente, que pôde conferir exposições de motos de todas as marcas comercializadas pelo Grupo Izzo, cada uma com um box exclusivo.

Um dos modelos mais cobiçados pelos visitantes foi a nova Ducati 1098cc, que impressionou tanto pela beleza quanto pelos ingredientes que fazem dela uma das máquinas mais velozes da atualidade — seu motor de dois cilindros em “L” (um V2 disposto a 90º) gera expressivos 160 cv de potência máxima a 9.750 rpm.

Houve ainda o Demo Ride, espaço para experimentação de algumas das motocicletas famosas do grupo; um verdadeiro “test-drive” de luxo. Já os proprietários de motos das marcas Buell, Triumph e Ducati, tiveram mais uma oportunidade para aprender sobre pilotagem, na teoria e na prática, com a supervisão de profissionais nos chamados “Track Days”.

A próxima ação do Izzo Moto Experience, de acordo com o calendário de atividades 2007 do Grupo Izzo, está agendada para os dias 26 e 27 deste mês, em Bauru (SP). Nestas datas, será realizada a abertura a temporada da Husqvarna Supermoto Cup, competição destinada a convidados e clientes da marca Husqvarna que adquirirem o modelo WR 125 Cup.

Confira os resultados da Daytona Cup:

Categoria 955i
1) Joel Soares
2) Helder Shad
3) Ricardo Jorge
4) Gaetano D’Angelo
5) Hovanes Emin
6) Sergio Souza
7) Euler Filho
8) William Silva
9) Guilherme Fran
10) Felipe Ribeiro

Melhor Volta: Joel Soares (1min54s367)
 
Categoria 675
1) Rodrigo Tchesco
2) Felipe Rudge
3) Pedro Pacheco
4) Giuliano Martin
5) Fabio Ferrari
6) Walter Willets
7) Rodrigo Ribeiro
8) Elton Leite
9) Luiz de Souza
10) Alex Piro

Melhor Volta: Rodrigo Tchesco (1min53s694)

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br