CAMPANHA POR MOTOPEÇAS NACIONAIS

Fabricantes aprofundarão tema durante evento marcado para outubro, em São Paulo.

Por Thiago Fuganti

Os fabricantes de peças e acessórios para motocicletas, liderados pela Anfamoto (Associação Nacional dos Fabricantes e Atacadistas de Motopeças), lançaram nesta semana uma inédita campanha de conscientização e valorização dos produtos nacionais, cujo lema é “Peça Brasil 100%”. O objetivo é mostrar a lojistas, donos de oficinas e também consumidores que a opção por peças de reposição nacionais é a garantia de qualidade, segurança e da manutenção de emprego de milhares de brasileiros.    

Inicialmente, a campanha conta com anúncios que serão publicados em revistas especializadas. Além disso, estão sendo confeccionados selos para serem distribuídos às lojas e oficinas e aos consumidores como, por exemplo, os motofretes. O comércio varejista também vai receber cartazes para serem fixados em pontos estratégicos e o tema será amplamente explorado durante o IV Salão Nacional e Internacional das Motopeças, marcado para acontecer de 18 a 21 de outubro, no pavilhão branco do Expo Center Norte, em São Paulo.

A idéia da campanha surgiu após algumas reuniões do Setorial de Fabricantes, em que eram discutidos assuntos diversos relativos ao setor, entre eles a invasão de peças importadas — boa parte fora dos padrões e com preços predatórios —, além dos produtos piratas, outra fonte de dor de cabeça para fabricantes e consumidores. O Setorial de Fabricantes é um departamento da Anfamoto, responsável por elaborar e implantar propostas que tornem a indústria nacional mais competitiva.

“Caso a invasão de importados permaneça da forma como está, a indústria nacional vai perder competitividade e ficará sucateada. Para sobreviver terá de se voltar também para a importação, demitir funcionários e algumas até podem fechar as portas”, previu Hélio Joaquim dos Santos, diretor do Setorial de Fabricantes.

“Essa possível redução da atividade industrial resultará em conseqüências negativas para outros setores como o de serviços e comércio, já que a indústria é usuária desses segmentos e os próprios empregados também formam uma importante massa de consumidores que, sem emprego e renda, não poderão gastar”, acrescentou.

No ano passado, o segmento de peças e acessórios para motocicletas movimentou cerca de R$ 4,5 bilhões, sendo ainda responsável por dezenas de milhares de empregos em todo o Brasil.


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br