Burgman a hidrogênio será produzido

Scooter com célula de combustível que emite apenas vapor d'água começa a ser testado.

Por André Jordão

Arthur Caldeira

Na próxima década, a União Européia tem como meta cortar a emissão de gás carbônico para um quinto da quantidade emitida em 1990. Mas as ações já se iniciaram agora em 2010: o principal alvo dos dirigentes do bloco de 27 países é começar a redução dos poluentes nos meios de transporte. De olho nessa oportunidade, a Suzuki Motor Corporation em parceria com a Intelligent Energy (Energia Inteligente), empresa inglesa que produz energias limpas, anunciou recentemente o lançamento do Suzuki Burgman Fuel Cell.

O scooter movido à célula de hidrogênio vai começar a ser testado nas ruas da pequena cidade de Loughborough já neste mês e deve rodar em Londres, até o final deste ano.

A tecnologia que movimenta o novo Burgman “limpo” é a mesma apresentada no protótipo da Suzuki Crosscage há mais de dois anos, no Salão de Tóquio. Alimentado por um cilindro de hidrogênio, que reage com oxigênio produzindo eletricidade e água. Uma bateria de íon lítio e a célula de combustível fornecem a energia necessária para que o scooter rode cerca de 350 km, segundo a Suzuki. Ou seja, praticamente a mesma autonomia de um Burgman 400cc movido a gasolina com a grande vantagem de que o único gás emitido pelo escapamento é vapor de água. 

Diferentemente de outros veículos movidos a célula de combustível, a bateria desse novo Burgman não precisa ser recarregada. Um mecanismo de auto recarregamento faz o trabalho enquanto você acelera ou desacelera e continua a fornecer energia desde que haja hidrogênio no cilindro e oxigênio, presente na atmosfera.  

Após os 350 km de autonomia, será necessário reabastecer o pequeno cilindro de hidrogênio, o que leva cerca de cinco minutos, segundo a Intelligent Energy. Apesar da rapidez do processo, este ainda é um dos grandes entraves para a adoção de um veículo como o Burgman Fuell Cell em grandes centros urbanos: a falta de “postos de hidrogênio”.

A London Hydrogen Partnership (LHP), parceria da prefeitura londrina para a distribuição do gás, projeta que haverá seis ou mais dessas estações até 2012. O que seria suficiente para atender frotistas, porém em pequeno número caso veículos com essa tecnologia fossem produzidos em grande escala, de acordo com Henri Winand, CEO da Intelligent Energy.

Entretanto, a Suzuki e a empresa inglesa projetam que em cinco anos, o Burgman Fuel Cell e outros veículos com essa tecnologia passem a ser produzidos em massa. “Está amadurecendo a idéia entre os governos, fabricantes, companhias de gás e petróleo, e também entre os usuários que, em 2015, já estaremos rodando com veículos movidos a hidrogênio”, afirmou Winand.

Opinião reforçada por Kit Malthouse, vice-prefeito de policiamento de Londres e também presidente da LHP: “Este scooter, que produz nada além de água, prova que podemos reduzir a emissão de gás carbônico e melhorar o ar que respiramos com veículos que já existem”.


Fonte:
Agência Infomoto

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br