BALANÇO DO MERCADO EM SETEMBRO

Acumulado da produção e comércio interno seguem em alta no comparativo ao ano passado.

Por Leandro Alvares

O mês de setembro mais uma vez confirmou as previsões feitas pela Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares) para o mercado nacional de motocicletas no ano de 2006.

As exportações registraram nova queda de seu volume, enquanto que os acúmulos anuais da produção interna e das vendas no mercado interno permaneceram em alta, no comparativo com o ano passado.

No total de exportações, registrou-se em setembro a comercialização de 13.504 motocicletas com outros países, o que representa uma queda de 10,7% em relação ao mês de agosto deste ano, quando foram vendidas 15.115 unidades ao exterior.
   
No acumulado de janeiro a setembro, 133.650 unidades foram vendidas ao mercado externo, volume 6,6% menor que o registrado no mesmo período de 2005. A tendência é de que as projeções da Abraciclo para 2006 se confirmem, ou seja, queda de 6% em relação ao volume exportado no ano passado.
  
De acordo com Paulo Shuiti Takeuchi, presidente da entidade, o câmbio desfavorável continua refletindo nos números do comércio internacional. No entanto, vislumbrando o longo prazo, as montadoras associadas continuarão com os esforços para manter os mercados conquistados. 
 
No país, a produção registrada em setembro também diminuiu. Com 121 mil e 875 unidades, o volume produzido foi 15,1% inferior a agosto, quando o setor atingiu 143 mil e 472 unidades produzidas. No acumulado de janeiro a setembro, no entanto, a situação no mercado doméstico é inversa. A indústria das duas rodas registrou, no período, aumento de 18% na produção de motocicletas, quando comparado com igual período de 2005. No total, 1 milhão, 69 mil e 339 motocicletas saíram das linhas de montagem das empresas instaladas no Pólo Industrial de Manaus. No ano passado, foram 906 mil e 199 unidades.
 
A análise feita por Paulo Shuiti Takeuchi é de que a variação da produção, inclusive das vendas ao mercado interno entre os dois últimos meses, não aponta para uma desaceleração do setor, mas sim apenas para uma oscilação de mercado, considerada normal por todas as fabricantes associadas. “As oscilações não alteram a projeção da entidade para a indústria de motocicletas neste ano”, afirmou o presidente da Abraciclo.
 
Quanto às vendas, os nove primeiros meses de 2006 acumularam 940.193 motocicletas faturadas aos distribuidores das fabricantes associadas, volume 23,9% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando 758.711 unidades foram comercializadas no mercado interno.
  
A oscilação registrada na produção no último mês também foi percebida nas vendas de motocicletas no mercado interno. Em setembro, 107.695 unidades foram vendidas, volume 13,3% menor em relação ao mês de agosto. Entretanto, se comparadas as vendas de setembro de 2006 com setembro de 2005, o desempenho deste ano foi 26,8% superior.
 
Segundo a Abraciclo, há perspectiva de 12% de crescimento para as vendas ao mercado interno.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br