Abram critica cobrança de pedágio

Presidente da entidade classifica decisão da Nova Dutra como um desrespeito ao motociclista.

Por Leandro Alvares

A decisão da Nova Dutra em retomar, a partir do dia 24 deste mês, a cobrança de pedágio para motos em toda a extensão da Rodovia Presidente Dutra deixou os integrantes da categoria das duas rodas revoltados.

Lucas Pimentel, presidente da Abram (Associação Brasileira de Motociclistas), foi um dos que se manifestaram contra o assunto polêmico, o qual classificou como “um desrespeito para com a comunidade motociclística, que no Estado de São Paulo totaliza quase dois milhões de cidadãos, entre usuários, profissionais, militares, esportistas e estradeiros”.

“O momento não poderia ser mais inoportuno, uma vez que os motociclistas têm diante de si  as novas resoluções do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), que estabelecem mudanças significativas que implicarão em despesas extras”, destacou o Pimentel, referindo-se às portarias 203 e 219, que tratam sobre providencias para o capacete e requisitos de segurança para o transporte remunerado de cargas, respectivamente.

De acordo com a concessionária, a cobrança de pedágio para motos se deve ao aumento da frota e, conseqüentemente, do índice de acidentes e ocorrências ocasionadas por esses veículos. Para o presidente da Abram, esta alegação é absurda e questionável.

“Em nenhum momento fomos procurados para tomar conhecimento desses números e, estranhamente,  esta  foi também a alegação apresentada pelo Governo Federal para o aumento do DPVAT para a motocicleta, que subiu  em 2007 para 130%, passando  de R$  81,90 para R$ 184,00. Este fato, aliás, está sendo denunciado ao Ministério Público Federal”, afirmou.

“A motocicleta é um veículo que vem ganhando espaço no cenário nacional em razão, principalmente, da economia que ela proporciona aos seus usuários; especialmente para aqueles que a utilizam como meio de transporte ou como ferramenta de trabalho. Por esta razão, entendemos ser absurda a cobrança de pedágio para motocicletas”, enfatizou, além de deixar o aviso de que a Abram lutará pela revogação da medida.

“Lamentavelmente esta atitude certamente resultará em protestos, manifestações e interpelações que poderiam ser evitadas com bom senso e com o diálogo. A Abram buscará os caminhos jurídicos e legais, a fim de coibir mais ‘esse fardo’ que querem colocar sobre os motociclistas brasileiros, pois nossa missão é contribuir para construção de um motociclismo melhor”, completou.

A divulgação da retomada da cobrança de pedágio está sendo feita por meio de faixas afixadas na rodovia, distribuição de folhetos em praças de pedágio, envio de cartas a entidades ligadas a motociclistas e moto clubes, além de informe divulgado pelo site da Concessionária.

Confira a relação de preços dos pedágios:

Sentido SP-Rio
- Parateí Norte - Arujá/SP (km 204): R$ 1,80
- Jacareí - Jacareí/ SP (km 165): R$ 1,60
- Moreira César - Pindamonhangaba/ SP (km 88): R$ 3,70
- Itatiaia - Itatiaia/RJ (km 318): R$ 3,70
- Viúva Graça - Seropédica/ RJ (km 207): R$ 3,70

Sentido Rio-SP
- Viúva Graça - Seropédica/ RJ (km 207): R$ 3,70
- Itatiaia - Itatiaia/RJ (km 318): R$ 3,70
- Moreira César - Pindamonhangaba/ SP (km 88): R$ 3,70
- Jacareí - Jacareí/ SP (km 165): R$ 1,60
- Parateí Sul - Guararema (km 180): R$ 1,80

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br