EFEITO COPA DO MUNDO NO MERCADO

Indústria das duas rodas registra queda no comparativo ao mês de maio.

Por Thiago Fuganti

Ao contrário dos meses anteriores, junho não registrou aumento no mercado brasileiro de motocicletas. De acordo com a Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), o recuo do segmento foi de 15,6%, tanto nas vendas quanto na produção.

Foram 117 mil e 922 unidades fabricadas neste período, contra as 139 mil e 666 motocicletas produzidas em maio. No acumulado de janeiro a junho, porém, a produção no país bateu a marca de 711.970.  

“O desempenho negativo em junho, tanto em produção como em vendas de motos no mercado interno, está relacionado ao efeito ‘Copa do Mundo’, que provocou o adiamento das decisões de compra, e também a uma certa sazonalidade na utilização da motocicleta durante o inverno”, esclareceu Paulo Shuiti Takeuchi, presidente da Abraciclo.

No mês passado, foram vendidos 103.189 equipamentos, volume 15,1% menor em relação ao mês de maio. No semestre, o acúmulo de vendas foi de 628.133 — se comparadas às vendas dos meses de junho de 2005 e 2006, houve incremento de 3,8%.
 
As exportações sofreram queda nos cinco primeiros meses de 2006, quando emparelhadas ao mesmo período do ano passado. Em junho, no entanto, o volume de motocicletas exportado cresceu por conta do adiantamento da produção e da venda aos mercados externos por parte das fabricantes, que terão férias coletivas em julho.
 
Com isso, as exportações registraram 20.213 unidades vendidas ao exterior, volume 76,3% maior que o de maio deste ano, quando foram comercializadas 11.464 unidades. Apesar desse aumento, a tendência é de que as projeções da Abraciclo para 2006 se confirmem, ou seja, queda de 6% em relação ao volume exportado em 2005.

Para maiores informações, acesse o site www.abraciclo.com.br.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br