moto.com.br
Publicidade:

Viagens

Nas curvas da Serra da Mantiqueira de H-D CVO Street Glide

Longe da badalação de Campos do Jordão, as cidades de Santo Antônio do Pinhal e São Bento do Sapucaí formam um roteiro de moto para quem procura sossego

20 de July de 2016
Compartilhe este conteúdo:

A estrada da Campista parte do centro de São Bento do Sapucaí (SP) e leva à famosa Pedra do Baú. Localizada a 1.950 metros acima do nível do mar, o imponente paredão de pedra é símbolo da pequena cidade e destino certo para todo montanhista que se preze. São cerca de 20 km de asfalto serpenteando pelas montanhas que convidam para serem percorridos de moto. Embora grandalhona, a Harley-Davidson CVO Street Glide e seu motor V2 de 1.800cc oferecem torque e conforto de sobra para enfrentar a elevação de quase 1.000 metros do seu início à base da rampa de voo livre existente no local. Tudo, claro, sem pressa e com diversas paradas para apreciar a bela paisagem da Serra da Mantiqueira.
 
Coladas em Campos do Jordão (SP), mas distante da badalação da famosa estância vizinha, os municípios paulistas de São Bento do Sapucaí e Santo Antônio do Pinhal formam um destino interessante para quem busca contato com a natureza e sossego nesse inverno. Próximas das grandes capitais do sudeste, São Paulo, Rio e BH, as duas cidadezinhas da Mantiqueira ainda oferecem charmosas pousadas e uma boa e variada gastronomia.



Outro ingrediente fundamental que torna a pacata São Bento do Sapucaí atraente para um roteiro de moto no final de semana são as sinuosas estradas. Em geral bem conservadas, as rodovias de mão dupla que cortam a Mantiqueira na divisa entre Minas Gerais e São Paulo exigem atenção em troca de muita diversão em suas incontáveis curvas.

História com charme e sabor
Ao desviar do agito de Campos do Jordão, o mototurista logo se depara com a charmosa Estação Eugênio Lefèvre, na entrada de Santo Antônio do Pinhal. Inaugurado em 1916, o prédio original está bem conservado e é uma parada do trem turístico da Estrada de Ferro Campos do Jordão que faz passeios diários. Se der sorte, pode-se apreciar a lenta manobra do trem no virador que há no local. Aproveite para apreciar os bolinhos de bacalhau vendidos na estação e feitos de acordo com a receita portuguesa, ou seja, com mais batata do que farinha. O Mirante da Santa é outro motivo para fazer uma parada e apreciar a primeira de muitas belas vistas da Serra da Mantiqueira.

Depois do tira-gosto luso, reduza a velocidade – há radares no percurso e também no centro de Santo Antonio do Pinhal – e estacione a moto na rua principal da cidade: acredite, não será difícil encontrá-la. Há a praça do artesão e a Igreja Matriz de Santo Antônio de Pádua, que dá nome à cidade. Enfeitada com bandeirinhas nessa época do ano para comemorar o dia de Santo Antônio (13 de junho), a igreja é rodeada de lojas de produtos caseiros, como queijos, mel e pinhões que dão nome à cidade. 



Se a fome bater, há um ajeitado boulevard com diversos restaurantes que servem desde pratos com truta, carnes, massas e até a boa e simples comida da roça, como o leitão a pururuca. Com a energia renovada, vale a pena pegar a estrada do Barreiro e conhecer o atelier do artesão Eduardo Miguel. Engajado na defesa do planeta, o artista transforma galhos, troncos e sementes em úteis e belos objetos.

A última trincheira
Outra charmosa cidadezinha da Mantiqueira, São Bento do Sapucaí fica a 28 km de Santo Antônio do Pinhal. Uma curiosidade é que para se chegar a São Bento é preciso sair do Estado de São Paulo, atravessar uma “pontinha” de Minas e depois voltar às terras paulistas por uma deliciosa estrada. 

Essa posição geográfica estratégica fez a cidade ter um importante papel na Revolução Constitucionalista de 1932: os soldados da trincheira de São Bento só receberam a ordem do cessar fogo dois dias após o final das batalhas. Se quiser saber mais sobre essa história basta dar um dedo de prosa com os moradores locais ou ainda visitar o pequeno museu da Revolução de 1932, uma casa de pau a pique que guarda alguns objetos históricos na Pousada do Quilombo



Uma das melhores acomodações na cidade, a pousada está localizada no bairro de mesmo nome: o local reuniu os escravos alforriados em 1888 nas terras doadas por um fazendeiro local. A praça do bairro é organizada como um quilombo com as pequenas casas em volta da Igreja, que antes era frequentada pelos negros. Ali mesmo fica o ateliê de Ditinho Joana, renomado artesão local. Vale a pena visitá-lo para apreciar as belas esculturas em madeira e ouvir boas histórias sobre a cidade.

Um passeio pelo centro da cidade revela diversas construções antigas que ajudam a dar um ar simples e aconchegante à cidade. A Igreja Matriz, construída em taipas de pilão em 1853 e reformada em 1916, tem o charme interiorano e está muito bem conservada. Vale a visita. 

Terras altas da Mantiqueira
Mas a grande atração de São Bento está mesmo no alto. De diversos pontos da cidade é possível avistar a Pedra do Baú. A estrada asfaltada que segue quase até a base da formação rochosa é por si só uma atração: com curvas fechadas e belas paisagens, além de cachoeiras e até mesmo alguns animais silvestres no trajeto. Antes de subir, aproveite para saborear uma truta recheada em alguns dos restaurantes no caminho. 



Destino de muitos escaladores e aventureiros, o Baú fica em um complexo cercado por duas outras pedras: Bauzinho e Ana Chata. O pico, a 1950 metros acima do nível do mar e com cerca de 400 m de altura, pode ser visitada por degraus e grampos que são chumbados com cimento em furos na rocha. Vista roupas mais quentes, pois o vento lá em cima é mais forte e a temperatura, mais baixa. 

De um riacho lá em cima vem a água para outra atração recente na cidade, a cerveja artesanal “Bauzera”, que tem fortes raízes nas montanhas. Afinal o mestre cervejeiro Michel Frechou carrega o sobrenome de um dos mais famosos escaladores do Brasil. Com apoio do pai Eliseu, Michel criou há três anos a Bauzera que produz quatro variedades de cerveja no Bairro Serrano, onde fica também a Montanhismus, escola de escalada.

Guia: Atrações 

- Estação de trem Eugênio Lefèvre – Há passeios nos trens turísticos até Campos do Jordão e Pindamonhangaba, mas são bastante concorridos e é preciso fazer reserva com bastante antecedência. Há uma pequena vila ferroviária e o Mirante da Santa no local, além do famoso bolinho de bacalhau. Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro. Mais informações, acesse www.efcj.sp.gov.br

- Igreja Matriz de Santo Antônio de Pádua – Construída em madeira em 1811, a igreja foi reconstruída em 1924 no mesmo local. Abriga festas religiosas, como a de Santo Antônio em junho e também Corpus Christi. Praça Mons. Azevedo, 50 – Centro – Santo Antônio do Pinhal.



- Ateliê Eduardo Miguel – O artista utiliza materiais reaproveitados, como troncos, galhos e sementes, e os transforma em móveis, luminárias e esculturas. Estr. do Barreiro, s/n, Santo Antônio do Pinhal. 

- Igreja Matriz São Bento – 
Única construção em tipas de pilão, feita em 1853, o prédio atual foi finalizado em 1916. Vale a pena visitar seu interior e ver a fenda que mostra a técnica construtiva. Praça Cônego Bento de Almeida, São Bento do Sapucaí.

- Ateliê Ditinho Joana – 
o ex-lavrador Benedito da Silva Santos, hoje o famoso escultor em madeira Ditinho Joana largou a enxada para dar belas formas a madeiras de lei. Seu ateliê fica na Praça do Bairro Quilombo em São Bento do Sapucaí.



- Cervejaria Bauzera – 
O mestre cervejeiro é Michel Frechou, filho do famoso escalador Eliseu. Utilizando água da Serra da Mantiqueira, a cervejaria produz quatro variedades de cerveja artesanal, entre elas a única Black IPA do Brasil. Uma vez por mês há visitação aberta ao público. No local também fica a Montanhismus, escola de escalada de Eliseu Frechou que organiza passeios e dá aulas na Pedra do Baú. Estrada Serranos, 1505 – São Bento do Sapucaí.

- Pedra do Baú – 
É possível ir de carro seguindo as placas para a rampa de voo livre da Pedra do Baú, pois a estrada é asfaltada até 5 km antes da base. Mas também é possível fazer caminhadas e até mesmo escaladas no local. Para isso procure um guia e/ou operador local. São Bento do Sapucaí.

Onde se hospedar
- Pousada Quilombo – Uma das mais sofisticadas e espécie de resort em São Bento do Sapucaí, a pousada fica no bairro de mesmo nome e ainda abriga um pequeno museu da Revolução de 1932 e o bom restaurante Trincheira. Site: www.pousadadoquilombo.com.br - Estrada do Quilombo 1403, São Bento do Sapucaí.

- Pousada Rota dos Passáros – 
A recém-inaugurada pousada oferece acomodações rústicas e modestas por um bom preço. Fica a 2 km do centro. Site: www.rotadospassaros.com.br – Estrada do Bairro do Sítio, 282 – São Bento do Sapucaí.



- Pousada Villa da Mantiqueira – 
Localizada a 4 km do centro, a pousada oferece chalés familiares e para casais em um local bucólico e tranquilo. Site: www.pousadavillamantiqueira.com.br- Estrada do Machadinho, km 4 – Santo Antônio do Pinhal.

- Pousada Il Villagio – 
Mais central, a pousada oferece apartamentos simples e também chalés. Uma boa opção para quem quer caminhar pela cidade e deixar a moto na garagem. Site: www.vilagio.com.br – Av. Antonio Joaquim de Oliveira, 220 - Centro - Santo Antônio do Pinhal.

Onde comer
- Sabor com Arte – No caminho da Pedra do Baú, o restaurante é especializado em trutas. Peça a Truta Caipira e se delicie. Rodovia Benedito Gomes de Souza (Estrada do Campista) km 5.

- Sabor da Serra – 
O local oferece comida típica mineira e da roça e uma grande variedade de pizzas. Bom lugar para tomar uma cerveja Bauzera acompanhada da linguiça flambada, especialidade da casa. Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 128 - Centro, São Bento do Sapucaí.



- Massa ao Mel – 
O aconchegante restaurante serve pratos da Itália, Suíça e Alemanha. Peça o fondue ou as boas massas. Av. Antônio Joaquim de Oliveira, 460, Santo Antônio do Pinhal.

- Fazenda Água da Capoeira – 
A Fazenda serve entre quinta e domingo um delicioso buffet de comida da roça, mas vai além de um simples restaurante. Há quadriciclos para alugar, pode-se visitar o pomar e ver animais da roça. Rua Benedito Hugo de Barros, s/n - Bairro do Rio Preto - Santo Antônio do Pinhal.

Como chegar 
- Rio de Janeiro – Fica a cerca de 320 km do Rio pela Via Dutra até a saída km 92 para Pindamonhangaba.

- Belo Horizonte – 
Siga pela BR-381 até Pouso Alegre e depois pegue a saída 850B para Santa Rita do Sapucaí/Itajubá e siga pela BR-459 até a Rodovia Antônio Simões de Almeida (MG-173) que passa em Paraisópolis (MG). Quem vem de Minas é mais fácil chegar em São Bento do Sapucaí, são 456 km. 

- São Paulo – 
São 170 km de distância pelo Corredor Ayrton Senna-Carvalho Pinto. Depois continue em direção a Campos do Jordão pela BR-383 e pegue a saída em direção a SP-046 para Santo Antônio do Pinhal.

Impressões de pilotagem: Harley-Davidson CVO Street Glide
A versão CVO da Harley-Davidson Street Glide, a linha CVO (Custom Vehicle Operations), traz pintura diferenciada, diversos acessórios já instalados, um motor de maior capacidade cúbica e, no caso deste modelo customizado de fábrica, o mais potente sistema de som a equipar uma motocicleta da marca. 

Mas a versão CVO vai além da pintura artesanal exclusiva e dos diversos acessórios, como comandos de punho iluminados, pedaleiras diferenciadas, malas rígidas laterais e freios ABS Reflex, com sistema combinado. A Street Glide CVO traz o motor de dois cilindros em “V” com auxílio da refrigeração líquida e preparado pela divisão Screamin’ Eagle da Harley. Com isso sua capacidade cúbica foi aumentada de 103 polegadas (1690 cm³) para 110 (1801 cm³), gerando assim mais torque – 15,9 kgf.m já a 3.750 rpm – e certamente mais potência, porém a Harley não divulga esses números. 

O motorzão ainda conta com uma ponteira de escapamento esportivo que emite um ronco empolgante, mas sem ser incômodo e alto demais. E claro que os 1.800 cc do motor bebem “bem”: com tanque de 22,7 litros, o consumo variou entre 14 e 16 km/litro. O preço dessa versão mais exclusiva é de R$ 134.200 – a versão Special com o motor refrigerado a ar de 103 polegadas custa a partir de R$ 90.400.


TEXTO: Arthur Caldeira/ Agência INFOMOTO
FOTOS: Mario Villescusa/ Agência INFOMOTO



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

De Cunha a Cruz de Ferro com a BMW F 800 GS

National HOG Rally 2017 vai acontecer em Foz de Iguaçu

BMW Rider Experience realiza cursos de pilotagem e expedições

Bike Fest esquentou o clima na histórica cidade de Tiradentes

BikeFest Tiradentes comemora 25 anos

Expedição Continente Americano termina após 18 países e 90 mil km

Explorando o Jalapão, no Tocantins, de quadriciclos e UTVs

National HOG Rally 2017 vai acontecer em Foz de Iguaçu

Viagem pela Serra do Rio do Rastro de Yamaha Midnight Star

Viagem pelo Pantanal de Yamaha XVS 950 Midnight Star

Yamaha realiza expedição de 2.449 km com Crosser 2017

Honda CRF 1000L Africa Twin enfrenta aventura de 6.000 km

Expedição Continente Americano termina após 18 países e 90 mil km

Uma incrível expedição de moto para Ushuaia em 3 dias


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras