moto.com.br
Publicidade:

Viagens

Expedição pelas terras geladas do Canadá

14 de May de 2014
Compartilhe este conteúdo:

Ayrton Foux

Os textos e fotos do canal Moto Repórter são enviados por motociclistas e internautas, leitores do MOTO.com.br, sem compromisso profissional de estilo e padrões, com o objetivo de compartilhar suas experiências e histórias com outros fãs do mundo das duas rodas.

Faça como o internauta Ayrton Foux (Agência ZHUKX Expeditions) e participe você também do Moto Repórter, canal de jornalismo participativo do MOTO.com.br. Envie sua notícia!

 
Detalhes da Viagem
-Snowmobile Ski-Doo Renegade E-TEC 600cc 2 tempos
Total :1200km em 5 dias.
Número de Participantes: 17
Número de Guias Locais: 2
Tradutor e Organizador: 1
Total de Acidentes:0
Província de Quebec: Mais de 32.000km de estradas sinalizadas e seguras apenas para snowmobil e 203 Hotéis e Restaurantes.
 
Organizador
Ayrton Foux
Contatos
foxfoux@uol.com.br
+55 (11) 97444-4447
Vagas limitadas para a próxima temporada
 

1˚ dia: 6 de março

Passaportes em mãos !todos com visto Canadense em dia (exceto para quem possui passaporte Europeu) e seguro de viagem para esportes de risco conferidos; Saímos de São Paulo em um voo com destino para Ottawa, no norte do Canadá. Todos muito animados!

2˚ dia: 7 de março

O grupo Zhukx desembarcou em Ottawa às 7:00 da manha com temperatura de -15˚C, logo pegamos um táxi para o hotel Fairmont Chateau Laurier, um dos melhores hotéis da cidade. Tivemos um dia livre na capital para conhecermos um pouco da cidade e comprarmos roupas térmicas e luvas.

3˚ dia: 8 de março

Às 8:00 da manha embarcamos em um ônibus que já nos aguardava em frente ao hotel, seguimos  200 km ao norte de Ottawa com destino ao hotel que seria a sede da nossa aventura. Ao chegar lá os snowmobils Ski-Doo renegate E-TEC 600cc dois tempos já nos aguardavam. Fomos recebidos com drinks de boas vindas e após o jantar, fomos experimentar os equipamentos alugados: macacão, jaqueta, bota, luva, capacete com viseira aquecida e uma mala à prova d’agua que levaríamos no snowmobil durante a expedição. Tudo isso já incluso no pacote.

4˚ dia: 9 de março

Apos o café da manha, fizemos a inspeção do seguro nas maquinas e nos reunimos para falar sobre os procedimentos de segurança. As 9:00 da manha a expedição começou, os 17 membros foram divididos em dois grupos, cada um acompanhado de um guia local e experiente, com curso de resgate na neve e boas noções de mecânica. Foram 150 km até a primeira parada em um pequeno restaurante onde almoçamos, seguidos de mais 100km até o hotel, estância de caça com piscina aquecida e 5 jacuzzis onde tivemos carne de caribu para o jantar. Após o jantar um momento de relaxamento e risadas entre o grupo na jacuzzi do hotel.

5˚ dia : 10 de março

No primeiro dia é comum que o equipamento cause certo desconforto, já no segundo tudo é ajustado e grupo consegue manter um ritmo melhor, seguimos por mais 270km até o hotel com uma parada para o almoço. Um pequena estância caça muito longe de qualquer civilização, indo cada vez mais para o norte e consequentemente para o frio, neste hotel não havia piscinas ou jacuzzi então o grupo se reuniu para um jantar delicioso e um momento descontraído em frente a lareira .

6˚dia : 11 de março

Começando o dia atravessando um lago congelado de 15km, onde não há o menor risco pois tudo é sinalizado e a camada de gelo chega mais 1 metro de espessura, grandes empresários das mais diversas aeras conseguem deixar os problemas de lado e apenas compartilhar com  os amigos a paixão pela aventura e adrenalina extrema com velocidades de até 170km/h. O grupo seguiu por mais 240km com parada para o almoço até um pequena cidade chamada Clova, com apenas 32 habitantes onde havia um placa em francês : “Aqui é o fim do mundo” onde passa uma ferrovia que limita do Canadá habitável do inabitável. Nos instalamos no único albergue da cidade onde não havia nenhum funcionário em seguida fomos jantar no único restaurante da cidade e encontramos os donos do albergue que eram os mesmo donos do restaurante e os únicos funcionários dos mesmos. O albergue não se mostrou abaixo do padrão dos hotéis que escolhemos, todos com aquecedor 24 horas ligado e não houve nenhuma reclamação sobre conforto.

7˚ dia : 12 de março

Penúltimo dia da expedição passamos por uma base militar americana onde havia uma pista de aviões abandonada, com 1 metro de neve fofa tivemos um tempo livre para brincar e fazer manobras. Como o grupo já estava bem mais experiente o rendimento foi melhor e chegamos mais cedo ao hotel de destino, onde ao invés de quartos duplos como nos outros hotéis,os 17 foram divididos em apenas 3 chalés de luxo com uma jacuzzi para cada, em frente a um enorme rio congelado com um por do sol que tornou toda neve laranja, cena que ficou marcada entre todo grupo. Recepção incrível do hotel por ser o segundo ano do grupo no mesmo, havia um cardápio exclusivo impresso em português e um jantar excepcional. Na hora de voltar para o chalé, com grupo já muito entrosado, levaram os snowmobils dos outros para o topo de bancos de neve e trocaram as chaves, pode parecer bobo mas a -20˚C procurar seu snowmobil de noite não é uma tarefa fácil ,muito menos agradável ! Graças ao bom humor do grupo entre essa e muitas outras brincadeiras não houve nenhum desentendimento, apenas risadas e mais risadas.

8˚ dia : 13 de março

Último dia de snowmobil, fomos até o topo da famosa Devil’s Mountain (Montanha do Diabo) com um visual incrível e sensação térmica de -40˚C por conta do vento. Paramos em um restaurante para tomar um chocolate quente e recuperar o calor para seguir até o próximo onde seria o almoço. Chegando de volta ao mesmo hotel base que começamos no primeiro dia nos organizamos para as atividades do ultimo dia, foram elas: Pesca no gelo, passeio no trenó de cachorro, e passeio em um avião monomotor sobre a região.

9˚dia : 14 de março

Fomos divididos em dois grupos pois só era possível escolher por duas das três atividades disponíveis, todas elas com custo adicional e opção de não fazê-las e apenas relaxar em frente a lareira, sauna e jacuzzi do hotel. A grande maioria fez o que era possível e falaram muito bem sobre, a adrenalina não chega aos pés do snowmobil mas é um passeio muito diferente que nunca poderíamos fazer no brasil , o comentário mais comum era : Aqui é outro mundo! Só quem já veio pode entender essa experiência, fotos e vídeos não traduzem nem 1% da emoção vivida.

10˚ dia : 15 de março

O ônibus  nos levou de volta ao aeroporto, todos com uma certa tristeza por ter terminado a aventura mas por outro lado cheio de histórias e com uma experiência incrível na bagagem.

Vídeos da expedição e depoimento dos membros participantes disponíveis no canal do YouTube : -ZHUKX EXPEDITIONS



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Expedição Inca: De Honda CG pela Cordilheira dos Andes

Yamaha realiza expedição de 2.449 km com Crosser 2017

Rodando de Harley-Davidson pela noite de São Paulo

Honda celebra 40 anos da CG com expedição de 6 mil km

Harley realiza Brasil Ride pela primeira vez no fim de semana

Mauritânia: Viajando de moto pela "Terra dos Mouros"

De moto fora do Brasil: Quando e onde tudo começou

Yamaha realiza expedição de 2.449 km com Crosser 2017

De Assis (SP) a Oiapoque (AP) de Yamaha Midnight Star 950

Capacetes: Ruído do vento x surdez do piloto

Paraíso de moto: Rastro da Serpente x Rio do Rastro

Viagem: De Curitiba a Florianópolis com moto alugada

Em Ushuaia com uma BMW HP2

Rodando de Harley-Davidson pela noite de São Paulo


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras