moto.com.br
Publicidade:

Viagens

Confira dicas importantes para pegar estrada

08 de July de 2015
Compartilhe este conteúdo:

Quem viaja pelas estradas brasileiras deve ter notado o aumento significativo de motos circulando nas rodovias. Muitos desses usuários são motociclistas novatos que optaram pelas duas rodas em detrimento ao transporte público. Devido a pouca experiência e à falta de orientação no processo de habilitação, muitos se colocam em risco ao executar manobras perigosas na rodovia.

Grande parte desses erros e imprudências acontece porque pilotar na estrada não é a mesma coisa que conduzir em uma via urbana. Pelo contrário: existem diferenças fundamentais entre a estrada e as avenidas. A começar pelo maior espaço necessário para a frenagem, pois a velocidade de rodagem é mais alta; outra é a necessidade de se atentar ao ritmo dos outros veículos, para não atrapalhar o fluxo ou se envolver em situações arriscadas. Confira algumas dicas para rodar com segurança em rodovias e estradas.

Entrar na estrada
Na hora de entrar na estrada é preciso ficar atento à distância e à velocidade dos veículos que já estão na pista. O mais indicado é ganhar velocidade no acostamento, acompanhando a faixa pontilhada, e depois entrar na faixa (da direita) da via.

Alguns motociclistas têm o péssimo (e perigoso) hábito de entrar na estrada sem que sua moto atinja uma velocidade compatível com os outros veículos. Nesse caso, existe o risco de abalroamento, ou seja: uma colisão traseira. Este risco aumenta ainda mais quando a moto entra na frente de um veículo pesado. Por conta do seu peso, tanto o caminhão quanto o ônibus, precisam de mais tempo e espaço para reduzir a velocidade.

Distância adequada
Um erro bastante comum por parte dos motociclistas é rodar próximo a caminhões ou ônibus, uma manobra chamada de “pegar o vácuo”. Na época de frio, dias de chuva ou garoa é fácil ver motos andando bem próximas aos veículos de carga. Como os veículos são grandes, agem como um grande escudo desviando o ar da frente da moto. O risco é ser surpreendido por uma frenagem de emergência e não ter tempo hábil para frear a motocicleta.

Outro problema é se deparar com um buraco, animal morto ou pedaço de pneu surgindo por baixo do caminhão ou do ônibus. Se estiver muito perto do veículo o piloto não terá tempo para reagir e acabará colidindo com o objeto ou mesmo entrando com a moto no buraco. Nos dois casos existe o risco de perda de controle e queda da moto.

Congestionamento na estrada
Nos horários de pico, no começo da manhã e no fim da tarde, as rodovias que cortam ou passam perto de grandes cidades costumam apresentar um tráfego intenso. Esse tipo de situação é um incentivo aos motociclistas a circular no corredor. Porém, o piloto deve levar em consideração que muitos motoristas nem imaginam que uma moto pode estar passando ao seu lado.

Existem os motoristas que mudam de faixa de forma abrupta – sem olhar no retrovisor e sem usar a seta – e o resultado pode ser um grave acidente. Muitos alegam não ter visto a moto (principalmente os caminhoneiros). E isso pode ser verdade, já que em muitos casos não existe condições de perceber a aproximação do motociclista. Por mais que o uso do corredor nas cidades seja um hábito comum, na estrada é preciso cuidado redobrado.

O ideal é não circular entre os veículos, porém se o motociclista decidir entrar no corredor deve fazê-lo de maneira cuidadosa. Prestar atenção aos outros veículos e rodar sempre em velocidade moderada, diminui consideravelmente os riscos. E, claro, jamais circular entre veículos de carga. A moto é pequena e não pode ser vista pelo motorista em meio a uma curva, por exemplo.

Óleo na pista
Próximo aos postos de combustíveis sempre existe uma placa informando redução de velocidade. Caso a pista seja simples, existe a linha continua que proíbe a ultrapassagem. Essa sinalização serve de alerta para os perigosos inerentes a esse tipo de local. Por isso vale reduzir a velocidade e analisar as condições do tráfego. Existe ainda a chance de veículos de carga cruzarem a pista para acessar o posto.

As entradas e saídas de posto de combustível também podem esconder armadilhas como pedriscos, calçamento irregular, buracos e até graxa e óleo derramados por caminhões pesados. Convém reduzir a velocidade e usar os freios com suavidade para não travar a roda e sofrer uma queda.

Próximo aos postos também é preciso ficar atento às curvas. Alguns caminhões podem derramar óleo diesel, ou por culpa de frentistas que se esquecem de fixar a tampa ou ainda pelo excesso de combustível no tanque. Infelizmente, um problema frequente nas estradas.

Ultrapassagem
Motos e caminhões não combinam. Além das diferenças de frenagem e aceleração, os veículos de carga oferecem outros perigos como a possibilidade de queda de objetos e detritos. A banda de rodagem do pneu do caminhão pode se soltar e voar na estrada. Por isso o ideal é ultrapassar rapidamente esses veículos ou aguardar o melhor momento para ultrapassar, evitando rodar ao lado de veículos pesados.

Saindo da estrada
A saída da rodovia deve ser feira com atenção e muito bem sinalizada – sempre indique com a seta a direção que vai seguir. Reduza a velocidade com antecedência e avalie as condições do piso e do tráfego antes de acessar alguma alça de acesso ou o acostamento. Após deixar a rodovia é importante prestar atenção ao limite de velocidade nas ruas e avenidas. Mesmo estando próximas, estradas e avenidas são muito diferentes.

Fotos: Mario Villaescusa e Ricardo Jaeger/Infomoto



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Expedição Inca: De Honda CG pela Cordilheira dos Andes

Yamaha realiza expedição de 2.449 km com Crosser 2017

Rodando de Harley-Davidson pela noite de São Paulo

Honda celebra 40 anos da CG com expedição de 6 mil km

Harley realiza Brasil Ride pela primeira vez no fim de semana

Mauritânia: Viajando de moto pela "Terra dos Mouros"

De moto fora do Brasil: Quando e onde tudo começou

Yamaha realiza expedição de 2.449 km com Crosser 2017

De Assis (SP) a Oiapoque (AP) de Yamaha Midnight Star 950

Capacetes: Ruído do vento x surdez do piloto

Viagem: De Curitiba a Florianópolis com moto alugada

Paraíso de moto: Rastro da Serpente x Rio do Rastro

Rodando de Harley-Davidson pela noite de São Paulo

Em Ushuaia com uma BMW HP2


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras