moto.com.br
Publicidade:

Viagens

Atacama - caminho com vista para o mar

14 de March de 2013
Compartilhe este conteúdo:

Marcio C Viana

A vontade de todo motociclista aventureiro é conhecer o deserto do Atacama, mas para isto precisamos  reservar um bom tempo, no mínimo  oito dias entre ida e volta para realizar os quase 4 mil km de São Paulo até Santiago, mais os 1900 km até o deserto do Atacama. Mas como não dispomos deste tempo, a solução foi alugar as motos em Santiago e acelerar até o Atacama.

Aproveitamos a semana do carnaval para fazer esta Trip!! Chegamos em Santiago na noite do dia 7 de fevereiro  e aproveitamos para conhecer o bairro de Santa Lucia que tem bons restaurantes, e comparando com São Paulo, tudo é mais em conta e a comida de ótima qualidade.

No dia 8 fomos até o bairro Nuñua buscar as motos que havíamos reservado . Existem algumas empresas que alugam motos no Chile, mas este havia sido o nosso primeiro contato com a Motorent Adventure (www.motorentchile.com), empresa que aluga motos. A princípio negociamos tudo com o proprietário, mas nosso susto maior foi ao chegar no local não havia nenhuma loja – era residencial – Uhn!! Mas, para nosso alívio, todas as motos estavam prontas e revisadas para a viagem, com os maleiros e explicações, caso tivéssemos algum imprevisto. Entre as sete máquinas que reservamos estavam duas BMW GS 800, uma para mim e outra para o Aguinaldo, uma BMW GS 650 bicilíndrica para o Salvador, duas Triumph Tiger XC 800, uma para o Eduardo e outra para o Paulo Dias, uma BMW GS 1200 para Paulo Aprile e uma Triumph Tiger Explorer 1200 para o Miguel, só nave!

Depois de acondicionar toda a mala em  três bauletos da moto, conseguimos sair por volta das 12h30 do horário local e tínhamos que andar 490 Km para chegar até a cidade de La Serena. Pegamos a rota 5 sentido ao Norte e aceleramos!!! A Estrada com pavimentação muito boa e faixa dupla com visual que alternava entre montanhas e praias, mas o que atrapalhava um pouco o embalo são os vários pedágios, que variam de 300 pesos a 800 pesos (1 Real = 243,00 Pesos chilenos)por moto. Como estávamos em grupo, quem estivesse à frente pagava o pedágio de todos para adiantar um pouco mais o tramite.

Em todo trecho há onde abastecer, aproximadamente a cada 150 km e uma das paradas foi o posto de serviço chamado  “Pura Carne”, localizado bem na estrada, em Hijuelas , no km 108 da Rota 5 - Norte. Conseguimos chegar no final da tarde na maior cidade que tinha no caminho – La Serena, para pegar uma praia do pacífico. Nosso Hotel de sugestão é o Hotel Club La Serena – pé na areia, bom para descansar pois no dia seguinte a “esticada” seria de 901km.

La Serena x Antofagasta

Saímos às 8h30 da manhã com visual do mar e pegamos o caminho do deserto, com paisagens lindas que alternavam entre montanhas de pedras, areias coloridas e retas que pareciam infinitas. No capacete estava instalado um intercomunicador  para ouvir várias musicas e curtir a longa estrada. A vontade é de tirar muito mais fotos, mas devido a distância fizemos poucas paradas...até tirar as luvas, o capacete, pegar a máquina e o fato de estarmos em sete motociclistas demanda um bom tempo. e então, um de nós parava, fotografava e depois para alcançar o grupo, enrolava o cabo!

Andar o dia inteiro, testando o limite da moto em um lugar sem radar, curvas em alta e retas com asfalto excelente, não tem preço! Como estávamos com modelos e marcas diferentes, algumas vezes trocávamos de moto para sentir as diferenças, com os melhores exemplares da espécie “Big Trail”, mas as 1200cc foram as melhores no asfalto. Aliás, o asfalto era impecável, sem buracos e quando tinha alguma parte recapeada, tinha uma sinalização branca ao redor, e conseguíamos identificar de longe.

Este trecho que ligas as duas cidades (La Serena e Antofagasta), os postos de gasolina ficam na distância da autonomia das motos e não podemos deixar de abastecer em nenhum. Faltando 70km para chegar a cidade de Antofagasta, paramos para tirar foto da celebre estatua “Mano de Dios”. Percorremos mais 40 km e paramos em um posto para abastecimento, ao lado há uma grande indústria que se assemelhava  a do filme Mad Max, no meio do deserto. Faltando apenas 30 km de serra para chegar em Antofagasta,  a estrada estava toda em obras, mas tudo bem. Importante é estar sempre com um equipamento bem adequado para todas as temperaturas, como o calor do dia ou o frio da noite. Eu usei o alpinestar com a jaqueta Cape Town que ajudou muito nas variações de temperatura.

Conhecida no Chile como Pérola do Norte, a cidade de Antofagasta é uma cidade portuária com aproximadamente 330.000 habitantes e surpreende pelo seu tamanho, principalmente depois de passarmos por varias regiões com pouca habitação. Na cidade, a rede hoteleira é muito boa e com ótimo custo/benefício,  o hotel Radisson é uma boa dica e possui uma ótima localização.

O domingo foi um dia livre para conhecer os pontos turísticos como o Porto de Antofagasta e  La Portada, que possui um visual rochoso com uma das pedras com um grande buraco formando um arco, lembrando um portal. Do outro lado pudemos avistar a “Isla Santa Maria” e com certeza fomos até o extremo da baia onde o asfalto era novinho por toda sua extensão. Pelo caminho, conhecemos algumas praias, mas não são muito bem cuidadas pelo povo chileno, que deixam lixos que se misturam com as conchas e pedras. Pela noite fomos jantar e conhecer o cassino Enjoy – gigante e nível de 1º mundo, com vários shows, restaurantes variados e uma grande quantidade de maquinas caça níquel, Black Jack, roletas e até mesmo um hotel 5 estrelas localizado no alto de um morro com uma bela vista para o mar.

Antofagasta x Atacama

Na segunda-feira, dia  11de fevereiro, saímos cedo para percorrer 320 km até chegar em San Pedro de Atacama. Novamente saímos de uma praia para o meio do deserto com mudanças no cenário e bom asfalto, embora seja mão única e tenha vários caminhões no trajeto. Ao chegar na cidade de San Pedro  de Atacama, a maioria das estradas são de terra, cheio de vielas. Para encontrar a cabana (palavra utilizada pelos nativos para se referir a pousada) foi um pouco mais complicado, pois o caminho parecia um labirinto, mas depois de muito pedido de informação, pois o GPS chegava perto, mas não localizava, chegamos em um lugar bem agradável – Racho Quitapenas (www.ranchoquitapenas.com), que alojou bem os 7 amigos.

Fazer uma viagem desta com amigos é excelente e deve ser feita por todos que são apaixonados por motos e gostam de acelerar nas estradas, caso contrário pode dar atrito, tem trajetos cansativos e o calor do deserto pode ser exaustivo. Mas, posso dizer que é uma experiência única viajar pelas estradas do Chile, e por mais fotos e vídeos que fizemos, fica difícil de expressar a trip: estradas que beiram o oceano pacíficio, sentindo o cheiro forte de maresia, depois no calor do deserto durante o dia e passando por vilas minúsculas e um povo bem hospitaleiro. Muito bom!

San Pedro de Atacama

Enfim chegamos para conhecer um dos lugares mais inóspitos do planeta, para istoreservamos três dias. Lugares para visitar é o que não falta! A cidade parece uma vila de “bicho grilo” com vielas de terra e construções de tijolo e barro com pessoas do mundo inteiro que chegam através de vários transportes, Jeep da Alemanha, carros com diferentes placas, bicicletas, ônibus, caronas com caminhões, além de várias motos.

Curiosidades

Com clima bem seco, o deserto do Atacama é o lugar na Terra que passou mais tempo sem presenciar chuvas, sendo registrados 400 anos sem indícios de chuva. Apenas  três dias antes de chegar a cidade, havia caído uma chuva que destruiu varias estradas, mas quando chegamos  tudo já estava consertado. Além disso, o deserto do Atacama é considerado o deserto mais alto e árido do planeta, e apesar de não ter as chuvas, é quase comum nevar em partes da região perto dos vulcões.

Turismo

O Deserto do Atacama é um ponto muito visado por turistas para a prática do trekking, montanhismo, montaria, off-road e mountain bike, e também por arqueólogos que desbravam os interessantes artefatos históricos. O deserto também possui salinas, gêiseres, vulcões, lagoas coloridas, vales verdejantes e canyons de água cristalina e na região, múmias com mais de 1000 anos deixadas pelos Chinchorros (antigos habitantes da área) já foram encontradas.

Em três dias não conseguimos visitar todos os lugares, mas segue abaixo os principais pontos: Negrito – visitado e azul a visitar.

Pontos turísticos

• Calama (Maior cidade do Atacama)
• Cordilheira do Sal
• Chuquicamata (Maior mina de cobre a cova aberta do mundo)
• Geisers de Tatio (Gêiseres na maior altitude do mundo, quase 5000 m, nuvens de até 11 metros)
• Museu arqueológico Padre Le Paige (Museu em São Pedro de Atacama, mostrando a cultura atacamenha no decorrer de 11000 anos de história)
• Museu de San Miguel de Azapa (Importante museu localizado no Vale de Azapa)
• Lagoa Miñiques (Lagoa altiplânica localizada próxima a Salar de Atacama)
• Lagoa Miscanti (Lagoa altiplântica)
• Lagoa Verde (Lagoa altiplântica na qual ocorre um fenômeno de mudança de cor)
• Pukara de Quitor (Antiga fortaleza Inca, ocupada em 1540 pelos espanhóis e restaurada em 1981 e 1992)
• Ruínas de Tulor (Antigas ruínas da região)
• Vulcão Corona (Possui 5.200 metros de altitude)
• Vulcão Lascar (Possui 5.592 metros de altitude)
• Vulcão Licancabur (Possui 5.916 metros de altitude)
• Vulcão Miñiques (Possui área de 1,5 km²)
• Vulcão Miscanti (Possui área de 15 km²)
• Vulcão Ojos del Salado (Possui 6 885 metros de altitude, é o vulcão mais alto do mundo)
• Vale da Lua (Depressão no meio da Cordilheira do Sal)
• Vale da Morte (Possui terreno arenoso e montanhoso, e admiráveis esculturas naturais. Com rara presença de vida, motivo pelo qual leva o nome de Vale da Morte, serve para a prática de sandboard e é disputada pelos turistas para ver o pôr-do-sol do alto de suas dunas. Com cerca de 2 km de extensão, fica no caminho para o Vale da Lua, próximo à cidade de San Pedro de Atacama, a 4 km do centro.)
• San Pedro de Atacama (Antiga cidade dos impérios Tiahuanaco e Inca, principal destino turístico do Chile)
• Salar de Atacama ou Salar de Surise (Planície de sal povoada por flamingos)
• Termas de Puritama (Termas com água variando entre 25 °C e 30 °C com propriedades medicinais)


Dia de retornar

Na quinta-feira, 14 de fevereiro, era o dia de retornar. Saímos de Atacama sentido Copiapó (cidade que ganhou fama depois que 33 mineiros ficaram soterrados durantes 69 dias). A distância entre as cidades é de 828 km e boa parte do caminho de ida, que alterna entre mão dupla e mão única. Mas, como o negócio é acelerar e curtir o visual, não se preocupe com as placas de sinalização de distância e não perceberá a cidade chegar! Desviamos um pouco da Rota 5 para almoçar na cidade praiana de Tal Tal, uma vila de pescadores bem charmosa e com ótima comida.Final da tarde chegamos em Copiapó, em cabanas já reservadas para descansar e, no dia seguinte, seguirmos para Viña Del Mar.

Copiapó x Viña Del Mar x Santiago

Neste trajeto a dica mais valiosa é não se esquecer de abastecer nos postos do caminho. Acelerando nas belas estradas, Eu e o Miguel que estávamos na frente, passamos direto de um pequena entrada do posto e só demos conta que não teria mais posto de gasolina depois de 40km e podia dar pane seca, o jeito foi pedir ajuda em um vilarejo...o povo nativo não gosta muito, mas depois de algumas informações, uma moradora nos vendeu 10 l de pura gasolina, cinco para cada moto, o suficiente pra chegarmos em La Serena e completar o tanque.  Saindo de praia de La Serena a pista duplicou e a pilotagem rendeu muito mais. No trajeto passamos por um túnel com mais de 3 km de extensão totalmente escuro e com a pista cheia de óleo, então aceleramos na boa com uma distância segura da moto da frente e rezando para não ter que frear. Passado isso, veio a sensação boa de ver a luz no fim do túnel!

Viña Del Mar é uma cidade grande que se parece muito com a Guarujá dos paulistas, com várias atrações noturnas, museus e diversos pontos turísticos que podem ser bem aproveitados se tiver tempo. O hotel que ficamos, chamado de Ha!  não tem boa estrutura para receber turistas e muito menos motociclistas, por isso não recomendo.

Viña Del Mar x Santiago

A cidade que é localizada em Valparaiso tem uma distância de 122 km até Santiago e passa no meio de várias fazendas com parreiras de uvas de onde saem os melhores vinhos do Chile.Chegamos em Santiago, entregamos as motos sem nenhum imprevisto e curtimos uma semana de carnaval de maneira diferente. Um modelo de viagem que recomendo para quem gosta de acelerar e não tem muito tempo.  A todos os amigos que acompanharam nesta trip e demonstraram muita união e amizade, um grande abraço...voltamos para São Paulo com a cabeça renovada e cheio de energia para os trabalhos e já planejando a próxima.



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Expedição Inca: De Honda CG pela Cordilheira dos Andes

Yamaha realiza expedição de 2.449 km com Crosser 2017

Rodando de Harley-Davidson pela noite de São Paulo

Honda celebra 40 anos da CG com expedição de 6 mil km

Harley realiza Brasil Ride pela primeira vez no fim de semana

Mauritânia: Viajando de moto pela "Terra dos Mouros"

De moto fora do Brasil: Quando e onde tudo começou

Yamaha realiza expedição de 2.449 km com Crosser 2017

De Assis (SP) a Oiapoque (AP) de Yamaha Midnight Star 950

Capacetes: Ruído do vento x surdez do piloto

Rodando de Harley-Davidson pela noite de São Paulo

Viagem: De Curitiba a Florianópolis com moto alugada

Paraíso de moto: Rastro da Serpente x Rio do Rastro

Roteiro de moto pela Serra do Rastro da Serpente e Curitiba


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras