moto.com.br
Publicidade:

Testes

Yamaha traz para o Brasil a MT-09, confira nossa avaliação!

12 de September de 2014
Compartilhe este conteúdo:

Paulo Souza

Como já esperado, a Yamaha apresentou oficialmente a chegada da MT-09 ao mercado brasileiro. O modelo, que já havia sido exposto durante o último Salão Duas Rodas, será montado em Manaus (AM) e chega às concessionárias da marca a partir do começo de novembro, com o preço sugerido de R$ 35.990 na cor cinza fosco, e R$ 36.590,00 para a versão roxa e laranja metálico.

Á convite da montadora tivemos a oportunidade de andar com a MT-09 no Autódromo de Piracibaca, interior de São Paulo, e avaliar as primeiras impressões desta moto. A expectativa era grande, pois se trata do primeiro modelo de três cilindros da Yamaha, e com um estilo totalmente diferente. Confira o que achamos do modelo!

Exclusiva
Quando a Yamaha apresentou oficialmente a MT-09 em 2013, muitos se perguntavam qual estilo esta moto se enquadra? Naked, Supermoto, Crossover? Pois bem, podemos dizer que todos estes estilos juntos! Falamos isto, por que o modelo reúne características que te dão a opção de andar de forma esportiva, e também rodar tranquilamente com o conforto de uma naked.

A partir do primeiro momento que você olha para a MT-09 fica claro que ela vai além de um simples modelo esportivo. Seu design é totalmente diferenciado mesclando atributos de uma naked e também de uma motard. Isto resulta em uma moto totalmente ágil, com o assento plano de ótimo encaixe, que permite a versatilidade de um modelo off road para utilização em várias formas de pilotagem.

Outros atributos aplicados neste modelo como chassi e balança traseira em alumínio ajudaram a diminuir o peso total da moto e contribuíram para uma pilotagem mais fácil e empolgante. Seu peso total em ordem de marcha é de apenas 191 kg, e com sua centralização de massa este modelo se tornou muito ágil e permite que o piloto se sinta a vontade ao acelerar.

Motor e tecnologia
A sigla MT utilizada pela Yamaha significa (Master of Torque), ou seja, um modelo que prioriza o torque em baixas e médias rotações, porém, com muita força e potência em altos giros. Seu propulsor de três cilindros de 850 cc geram 115 cv de potência a 10.000 rpm e torque de 8,92 kgf.m a 8.500 rpm.

Este motor possui a tecnologia crossplane no virabrequim, que deixa os três pistões trabalhando em alturas diferentes para obter torque e potência de forma mais linear e com menor vibração. Com este sistema a moto não precisa rodar com altos giros para que o piloto sinta sua força, como acontece com modelos de quatro cilindros em linha.

Para deixar a moto com maior linearidade a Yamaha introduziu o sistema YCC-T (Yamaha Chip Controlled – Throttle), este dispositivo está ligado à injeção eletrônica da moto e detecta as ações do piloto por meio do acelerador eletrônico e transmite os dados para a ECU, que calcula instantaneamente o quanto de combustível deve ser injetado no motor e o quanto de ar deve entrar no sistema. Com isso a moto responde sempre de forma linear e progressiva deixando a pilotagem sob controle do piloto.

Este propulsor permite ainda que o piloto opte por três opções de pilotagem: standard, indicado para o uso normal, A, indicado para o uso esportivo e B, para uma pilotagem mais moderada. Estas opções não são três mapas de pilotagem que altera a potencia da moto, ela possui apenas um, com três modos. Em qualquer configuração ela continuará com os 115 cv, o que muda é a abertura da borboleta, que pode entregar potencia instantânea ou de forma moderada.

Freios e suspensão
A MT-09 vem equipada com um potente e poderoso sistema de freios ABS. Na dianteira conta com dois discos flutuantes de 298 mm e 4 pistões em cada pinça e na traseira um disco simples de 245 mm. Não é possível desligar o sistema ABS neste modelo.

Já o conjunto de suspensão atendeu bem as expectativas e demonstraram harmonia com o conjunto chassi e motor da moto. Na traseira ela é do tipo Monocross com link, e 130 mm de curso na roda. Sua posição e inclinação contribuem para a centralização de massa no modelo.

Na dianteira a suspensão é invertida do tipo upside-down da marca Kayaba, com 41 mm de diâmetro interno e curso de 137 mm e possui ajustes de pré carga e retorno. Este conjunto garante uma pilotagem confortável, porém, está voltada mais para estradas e ruas irregulares, para pilotagem mais esportiva é necessário regulagens.

Na pista! Primeiras impressões
Ao subir na moto a primeira impressão é de estar em um modelo diferente de uma naked. O guidão é mais largo e deixam os braços mais abertos, e as pedaleiras não ficam para trás deixando os joelhos em posição mais confortável. A altura do acento de 81,5 cm do solo permite que pessoas de média estatura (1,70m) coloquem os pés no chão com tranquilidade.

Sua posição de pilotagem pode mudar de acordo com o piloto, isto acontece por que seu banco possui um formato bem estreito na frente possibilitando pilotagem mais agressiva na posição de ataque. Se o piloto se posicionar um pouco para trás o banco é bem mais largo e permite maior conforto para viagens e passeios.

Agora, a principal característica desta moto é o torque e a potência com linearidade deste motor de três cilindros. O acelerador responde com força mesmo no modo de pilotagem standard. No modo B, apesar de demorar um pouco mais para subir os giros, a emoção ainda é grande. Já no modo A, a roda dianteira não para no chão em retomadas, basta acelerar que a moto empina facilmente, é bruta, e com esta relação de peso potência se torna um canhão!

A Yamaha acertou em cheio na ciclística desta moto, a centralização de massa pode ser percebida durante a pilotagem. É uma moto de fácil condução, leve, porém potente. Indicada para quem já tem certa experiência sobre duas rodas. Com ela é possível curtir de forma esportiva na pista, mesmo não sendo um modelo superesportivo, e também viajar e andar de forma confortável.

Como disse anteriormente, o conjunto de suspensões agrada e é bastante eficiente, porém, está configurado para o uso urbano e estradas. Para andar na pista é necessário uma regulagem no conjunto, pois com a configuração original ela balança um pouco nas curvas. Isto vale apenas para quem for andar de forma esportiva utilizando o máximo que a moto pode oferecer.

As pedaleiras raspam no chão em curvas inclinadas graças à ciclística acertada da moto, que permite deitar bem. Se andar com a ponta do pé na pedaleira você não irá sentir este detalhe. Outro fato para quem coloca a moto na pista que pode atrapalhar um pouco é o do sistema de freios ABS não poder ser desligado, porém, o conjunto é bem rígido e eficiente resultando em frenagens precisas.

Para fechar as primeiras impressões podemos afirmar que a Yamaha possuí agora em suas mãos um modelo atraente, diferenciado e que atende uma quantia significativa de público, pois reúne em uma só moto facilidade de condução, esportividade, além de conforto, potência e torque para viagens.

Acessórios
A Yamaha também trouxe junto da MT-09 uma completa linha de acessórios para o modelo. Para reforçar a nova era da marca no Brasil, a montadora oferece diversos equipamentos para a motocicleta e também para cada estilo de motociclista. É possível equipar a moto com acessórios “Speed”, “Techno” e “Touring.

Os itens são compostos por sliders exclusivos, protetor do radiador e da tomada de ar, para-brisa esportivo, um conjunto de bolsas e malas, entre outros. Além disso, apresenta uma gama de vestuário completa para o piloto, como jaquetas, luvas, camisetas etc.

Ficha Técnica
Yamaha MT-09

Motor: Três cilindros em linha, DOHC, quatro válvulas por cilindro e refrigeração líquida
Capacidade cúbica: 847 cm³
Diâmetro x curso:  78 x 59,1 mm
Taxa de compressão: 11,5:1
Potência máxima:  115 cv a 10.000 rpm
Torque máximo:   8,9 kgf.m a 8.500 rpm
Câmbio:  Seis marchas
Transmissão final: Corrente
Alimentação: Injeção eletrônica
Partida: Elétrica
Quadro: Tipo Diamante
Suspensão dianteira: Garfo telescópico invertido com 137 mm de curso
Suspensão traseira: Balança monoamortecida com 130 mm de curso
Freio dianteiro: Disco duplo de 298 mm de diâmetro com pinças radiais (ABS)
Freio traseiro: Disco simples de 245 mm de diâmetro com pinça simples (ABS)
Pneus: 120/70-ZR17 (diant.)/ 180/55-ZR17 (tras.)
Comprimento: 2.075 mm
Largura: 815 mm
Altura: 1.135 mm
Distância entre-eixos: 1.440 mm
Distância do solo: 135 mm
Altura do assento: 815 mm
Peso em ordem de marcha: 191 kg
Tanque de combustível: 14 litros
Cores: Cinza fosco, Roxo e Laranja
Preço sugerido: a partir de R$ 35.990

Fotos: Stephan Solon



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: Triumph acrescenta tecnologia à Tiger Sport

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Yamaha Drag Star 650: Na medida certa

Teste: Nova Africa Twin é bigtrail para ir a todo lado


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras