moto.com.br
Publicidade:

Testes

Vídeo: Harley-Davidson Fat Boy Special 2016, uma Softail irada!

26 de February de 2016
Compartilhe este conteúdo:

A Harley-Davidson Softail® Fat Boy é um dos maiores ícones do motociclismo mundial e completou 25 anos em 2015. Sua inspiração vem das choppers hardtail dos anos 1960 e 1970. Seu design frontal amplo conta com um grande farol dianteiro que, entre outros itens cromados, atribuem ainda mais sofisticação ao modelo, incluindo as reluzentes rodas estilo bullet hole.

O modelo testado pela equipe do MOTO.com.br, porém, é ainda mais especial que surgiu faz pouco mais de 5 anos. Isso mesmo, estamos falando da Harley-Davidson Fat Boy Special, que realça o tom forte e agressivo de um verdadeiro ícone entre as motocicletas. Dotada de todas as características que fizeram da Fat Boy um clássico, a versão Special traz o lado mais sombrio desta fat custom original, com aparência dark e detalhes em cromo acetinado, realçando sua forte personalidade. As cores disponíveis para 2016 são Vivid Black, Black Denim, Charcoal Denim e Crushed Ice Pearl.

Teste 

Pegamos a nova Softail irada da Harley-Davidson para fazer testes na cidade e na estrada. Na cidade passamos por vários corredores com o trânsito intenso, atravessando os corredores entre os carros muito bem, mas devido ao peso é um pouco mais difícil de fazer as manobras curtas no meio do trânsito embaraçado. Na estrada o trajeto foi sair de São Paulo, pegar a Rodovia Carvalho Pinto – Ayrton Senna com muitas retas e bom asfalto, até chegar à entrada de Salesópolis (SP) que tem um estrada estreita e cheia de curvas e no meio de um belo visual. Esta estrada sai no meio da Rodovia dos Tamoios, caminho para São Sebastiao Litoral norte de São Paulo, com a volta pela Rodovia dos Imigrantes 

Originalmente branca com todo o conforto que o modelo oferece, o modelo tem uma ciclística muito boa, sendo empurrado por um potente motor Twin Cam 103 High Output de 1690cc, que antes equipava somente as motos da família Touring. Mas a grande novidade fica por conta do acelerador eletrônico Throttle by wire . Maior segurança nas frenagens com os freios ABS, que ajudam a segurar a máquina na entrada de curvas, mesmo em frenagens mais fortes e sem arrastar. Muito bom poder acelerar forte esta Softail e colar no freio, mas tem é preciso ficar esperto com vários radares que existem no caminho, pois com toda a empolgação acabei passando forte em dois deles. Fotografias para não esquecer mais.

Uma característica da Fat Boy são os armotecedores escondidos sob para-lamas, classico visual hardtail. O modelo da Harley-Davidson que os customizadores mais gostam de mexer é esta versão da Softail, mas a cada ano ela surge com alguma novidade, e não precisa fazer mais nada, é pegar e acelerar. Mas é lógico que muitos gostam de personalisar trocando os escapes, guidão e dando toque pessoal.

Na configuração Special ela sofre uma espécie de "blackout". Os diversos itens cromados presentes na Fat Boy convencional dão lugar a um acabamento em preto fosco. A cor é aplicada ao quadro, braço da suspensão traseira, tanque de óleo, cobertura dos amortecedores dianteiros e da buzina, tampa da embreagem e capa do filtro de ar. As rodas pretas fechadas de 17 polegadas em liga de alumínio têm furos milimetricamente espaçados – os "bullet holes" ou "buracos de bala" –, que combinam com os aros externos.



Os protetores pretos do escapamento contrastam com as saídas duplas estilo shotgun – em alusão ao formato semelhante ao de escopetas – de cromo acetinado. Esse material também está presente no chassi, nos emblemas laterais, velocímetro, console da chave de ignição e nos raisers do guidão de aço inoxidável. 

Uma motocicleta excelente para viajar, seja sozinho ou acompanhado, chamando a atenção por onde passa devido ao seu belo visual e que tolera a rotina diária em grandes cidades, embora acabe gerando desconforto para alguns por conta do aquecimento do motor quando em trânsito mais intenso.

Veja o vídeo:

FICHA TÉCNICA

HARLEY-DAVIDSON FAT BOY SPECIAL 2016

MOTORIZAÇÃO
Motor* Novo Motor Twin Cam 103B™ - High Output, Refrigerado a ar
Diâmetro do Pistão 98,4 mm
Curso do Pistão 111,1 mm
Cilindrada 1.690 cm³
Relação de Compressão 9,6:1
Sistema de Alimentação de Combustível Injeção Eletrônica de Combustível por Porta Sequencial (ESPFI)

DIMENSÕES
Comprimento 2.385 mm
Altura do Assento, Descarregada 670 mm
Distância do Solo 125 mm
Ângulo da Coluna de Direção (Graus) 31.6
Trail 147 mm
Distância entre Eixos 1.630 mm
Pneu Dianteiro (Especificação) 140/75R17 67V
Pneu Traseiro (Especificação) 200/55R17 78V
Capacidade de Combustível 18,9 l
Capacidade de Óleo (com filtro) 3,3 l
Peso Seco 313 kg
Peso em Ordem de Marcha 330 kg

TRANSMISSÃO
Transmissão Primária Corrente, relação 34/46
Relação de Transmissão - 1a marcha 9,311
Relação de Transmissão - 2a marcha 6,454
Relação de Transmissão - 3a marcha 4,793
Relação de Transmissão - 4a marcha 3,882
Relação de Transmissão - 5a marcha 3,307
Relação de Transmissão - 6a marcha 2,79

CHASSIS
Escapamento Cromo-Acetinado, coletor 2-1-2 estilo “Tommy Gun” com silenciadores duplos
Roda Dianteira (Estilo) Disco de liga de alumínio, preta, estilo "bullet holes"
Roda Traseira (Estilo) Disco de liga de alumínio, preta, estilo "bullet holes"
Freios (Tipo de Cáliper) 4 pistões na dianteria e 2 pistões na traseira

PERFORMANCE
Torque do Motor - Método de Teste EEC/95/1
Torque do Motor** 12,1 kgf.m
Torque do Motor (rpm) 3,000
Ângulo de Inclinação, Dir. (Graus) 26,2
Ângulo de Inclinação, Esq. (Graus) 27

ELÉTRICA
Luzes Indicadoras - Farol alto, ponto neutro, baixa pressão de óleo, luzes indicadoras de direção, diagnóstico do motor, alerta de baixo nível de combustível, sistema de segurança e 6a marcha
Painel de Instrumentos - Velocímetro eletrônico montado sobre o tanque com hodômetro total, relógio, hodômetro parcial duplo, indicador de marcha e rpm, mostrador de nível de combustível e contador de autonomia e luzes indicadoras de LED

PREÇO
Vivid Black R$ 70.900,00
Opção de Cor - 1 Tom R$ 550,00
Alarme e Imobilizador Ítem de série
Freios com ABS Ítem de série
Frete Incluso no preço

*Recomenda-se combustível com octanagem 91 ou superior
**Os valores mostrados são nominais. O desempenho pode variar de acordo com o país e a região

Fotos e vídeo: Kiko Tokuda/MOTO.com.br
Texto: Alexandre Ciszewski e Marcio C. Viana

 

Saiba um pouco mais sobre a história da Fat Boy

Para a Harley-Davidson Motor Company, a década de 1980 foi marcada por acontecimentos importantes. Após a recompra da AMF em 1981, a marca começou seu renascimento; o lançamento do H.O.G.® (Harley Owners Group) em 1983, a introdução do motor Evolution™ em 1984, seguidos pela entrada da empresa na bolsa de valores de Nova Iorque, em 1987. Na virada da década, em 1989, a Motor Company foi, mais uma vez, a fabricante líder em motos de alta cilindrada nos EUA. No mesmo ano, o lançamento dos modelos 1990 deu origem a um grande ícone, a FLSTF Fat Boy®, criação de Willie G. Davidson.

Fat Boy® foi um dos primeiros modelos da marca com rodas fundidas. Essas rodas robustas de 16 polegadas deram o toque de estilo mais característico da Fat Boy® que, durante seus primeiros 18 anos, foi a única motocicleta equipada com elas. O pneu traseiro também tem 200 mm de largura – o maior de todos os modelos de H-D® na época do lançamento – e estes atributos foram fundamentais para proporcionar um visual corpulento à moto.

Fat Boy® faz parte da família Softail®, que tem por característica principal os amortecedores escondidos sob o para-lamas, permitindo que os pilotos se beneficiem do conforto da moderna suspensão, sem perder o clássico visual hardtail.

O modelo original era alimentado pelo motor Evolution V-Twin de 1340 cc, que foi introduzido em 1984. Em 2000, houve uma atualização para o novo motor Twin Cam 88B de 1450 cc e, em 2007, a introdução do Twin Cam 96B de 1584 cc. Já o modelo 2016 recebeu o motor Twin Cam 103 High Output de 1690 cc, que antes equipava somente as motos da família Touring®, adicionando ainda mais força e desempenho à moto.

Fat Boy® é um exemplo clássico de motocicleta em que aparência e ergonomia andam de mãos dadas. Enquanto a aparência imponente nunca deixa de atrair a atenção, as amplas plataformas para os pés garantem o conforto em longos passeios, além do banco baixo que proporciona uma confortável posição de pilotagem.

Em 1991, a Fat Boy® foi a estrela do filme “O Exterminador do Futuro 2 – O Julgamento Final”, firmando sua posição como uma das motos mais desejadas do mundo. A motocicleta, pilotada pelo ator Arnold Schwarzenegger, realizou um dos saltos mais famosos da história do cinema, em que o Exterminador pula com a moto para dentro de um bueiro. A proeza foi realizada com o auxílio de cabos que prendiam a FatBoy®, reduzindo o peso da motocicleta e do piloto ao tocarem no solo. Os cabos foram apagados na pós-produção.

Várias Fat Boy® foram utilizadas na gravação do filme mas, na verdade, a moto pilotada por Schwarzenegger foi adquirida em 2014 pelo Museu Harley-Davidson, onde atualmente está em exposição. O modelo também repete seu papel com Arnie em “O Exterminador do Futuro 5 – Gênesis”, lançado nos cinemas este ano.

Após o sucesso de “O Exterminador do Futuro 2”, a Universal Studios, em Hollywood, EUA, criou a atração Terminator 2 – apresentando uma moto personalizada Fat Boy® como destaque principal da atração.

Linha do tempo

1990: Lançamento da Fat Boy®
O aparecimento da primeira Fat Boy® foi um sucesso instantâneo. Apelidada de “The Gray Ghost” (em português, “O fantasma cinza”), uma vez que só estava disponível nesta cor, a motocicleta tinha um estilo único e sua vigorosidade chamava a atenção. Rodas robustas, pneus largos e um tanque de combustível amplo contribuíam para seu estilo imponente. O sistema de duplo escape shotgun style também cooperou para um visual original que foi muito copiado por outras marcas de motocicletas.

2005: A Screamin’ Eagle Fat Boy®
Fat Boy® ganhou o tratamento CVO™, pela primeira vez, para o modelo 2005. A Screamin’ Eagle FatBoy® ostentava um motor Stroker Twin Cam de 1690 cc, uma suspensão traseira rebaixada e um novo assento estilo pan-style, em três novas combinações com duas cores e acabamento de metal.

2007: Mudanças no modelo
O lendário visual da Fat Boy® está mais robusto do que nunca, graças a uma nova roda dianteira de 17 polegadas, maior que a anterior, de 16, e um pneu traseiro mais largo, de 200 mm. A marca registrada do modelo é a roda dianteira em disco de alumínio, que ganhou novos bullet-hole. Novos detalhes gráficos no tanque de combustível e em ambos os para-lamas acrescentaram um toque ainda mais estiloso à moto.

2010: O surgimento da Fat Boy® Special
Fat Boy® Special 2010 (chamada de Fat Boy Lo nos EUA) incorporou todo estilo e sofisticação da FatBoy®, trocando os elementos cromados e deixando a moto um pouco mais baixa, com altura de 61 cm do assento até o chão. O assento e o guidão mais estreitos também ajudaram o modelo a se tornar um grande sucesso, principalmente entre os pilotos mais jovens e aqueles de menor estatura. Plataformas meia-lua além de pintura fosca e acetinada também diferenciam o estilo da Fat Boy® Special da Fat Boy® original.

2015: Novo sistema de freio, acelerador eletrônico e nova motorização
O modelo 2015 passou a contar com novo sistema de freio dianteiro, presente em todos as motocicletas da família Softail®, que proporciona uma redução de 40% na força aplicada nos freios durante frenagem máxima. O cilindro mestre de freio foi reestilizado. Ainda no mesmo ano, mas já como modelo 2016, a grande novidade fica por conta da chegada do acelerador eletrônico throttle by wire e do motor Twin Cam 103 High Output de 1690 cc.



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: Triumph acrescenta tecnologia à Tiger Sport

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Yamaha Drag Star 650: Na medida certa

Teste: Nova Africa Twin é bigtrail para ir a todo lado


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras