moto.com.br
Publicidade:

Testes

Triumph Rocket III: Um verdadeiro foguete inglês

03 de April de 2013
Compartilhe este conteúdo:

Aladim Lopes Gonçalves

A primeira impressão que passa ao se deparar com a monstruosidade que é a Triumph Rocket III é de intimidação. Essa verdadeira máquina equipada com poderoso motor de 2.294 cm³ e de dimensões protuberantes com 2,50 m de comprimento, largura 0,97 m de largura e peso de incríveis 367 kg.

A marca inglesa, mítica entre as motos com motor três cilindros, queria fazer um roadster com duas rodas e parece que a receita deu certo, e muito. Para quem curte capacidade volumétrica de motores, a Rocket tem 2.300cc, o que equivale a cilindrada superior a de dois carros populares e faz dela a moto de série equipada com o maior motor do mercado.

Com um preço sugerido de R$ 69.900, a Rocket III é a moto top de linha da Triumph no Brasil. É claro que uma moto exclusiva e avantajada dessas não é para poucos. Afinal, figuras ilustres das pistas, como Michael Schumacher, e das artes, como Tom Cruise, já foram vistos no comando de uma dessas “belezuras”. Vale lembrar também que por aqui o seu preço já beirou os R$ 100 mil, em um passado assim não muito distante.

Para os motociclistas com perfil low profile que gostam de rodar tranquilamente nos finais de semana pelas cidades, a Rocket III pode ser um inconveniente, pois praticamente todos os olhares nas vias se voltam para ela. É difícil não chamar a atenção de quem fica para trás nos carros e a inveja dos quem andam em motos menores. O motociclista que gosta de chegar bonito na festa não terá problema e ao estacionar será, com certeza, o centro das atenções.

Apesar de toda a sua exuberância e números superlativos, o motor da Rocket III não desenvolve uma potência (rende 148 cavalos a 5.750 rpm) de derreter o asfalto, mas é o bastante para mostrar sua disposição de acelerar. Por outro lado, o torque (força) é realmente cavalar. São 22,5 a baixos 2.750 rpm, capaz de enrugar o asfalto nas partidas com um pouco mais de energia.

Se apenas ficar admirando essa moto com sua pintura especial e vários detalhes cromados já é um prazer, apreciar as suas qualidades rodando então, é um verdadeiro delírio. Diferente do que se possa imaginar o seu porte avantajado não incomoda tanto no trânsito. A dificuldade maior fica nas manobras no trânsito mais congestionado, mas com a via livre essa roadster inglesa desliza com suavidade, conforto e potência.

A posição de pilotagem é bastante confortável, pois o assento de couro é largo e muito macio, o piloto fica praticamente ereto, o guidão é baixo e avançado, e as pedaleiras ficam posicionadas no meio da moto. O câmbio de cinco marchas tem engates precisos, com uma relação longa, em função do torque cavalar. Os cliques e claques nas passagens de marchas não chegam a incomodar. A transmissão final por eixo-cardã confirma a robustez do conjunto.

O painel de instrumentos é completo em dois mostradores analógicos VDO com displays digitais, com boa iluminação tanto de dia quanto à noite e que trazem informações claras, de rápida visualização, que também pode instalar com facilidade um GPS (sistema de navegação via satélite) para ajudar nas viagens e localização.

Um detalhe que acaba sendo um inconveniente é a ausência do para-brisa que tornaria a estrada menos cansativa, pois o peito do motociclista sofre com o vento. O entre-eixos de 1,69 m também dificulta um pouco a pilotagem nos trechos de serra. É preciso um braço forte no guidão.

As frenagens tanto na cidade quanto na estrada são dignas de motos esportivas com freios de alta performance. Quando você aciona o sistema dianteiro e traseiro na Rocket a resposta é imediata. O conjunto conta com dois discos de 320 mm na frente e disco simples de 316 mm na traseira, com o reforço providencial do sistema ABS.

A suspensão se destaca pela regulagem mais preparada para estrada, como uma boa cruiser. Na dianteira o sistema é dotado de garfos invertidos com curso de 120 mm e na traseira é do tipo bichoque de 43 mm com curso de 105 mm com pré-carga ajustável em cinco posições.

O tanque de combustível tem capacidade para até 24 litros e o consumo durante o teste rodando em ambiente urbano e rodoviário oscilou entre uma média 15 e 17 km/litro, o que podemos considerar como satisfatório para sua proposta. Levando em conta sua capacidade de combustível é possível rodar cerca de 400 quilômetros com um tanque cheio. Autonomia suficiente para um bom dia de viagem. Um verdadeiro convite para pegar a estrada.

O jornalista utilizou no teste capacete Joe Rocket, calça HLX Racing, jaqueta Race Tech e botas Dainese

Cotação de Seguro (*)
A vista: R$ 2.318,95
Franquia: R$ 4.455,46

(*) Perfil médio: Homem, 25 a 35 anos, casado, sem filhos, com garagem em casa e no trabalho, morador de São Paulo e com residência em região razoável (bairro da zona sul ou zona oeste, por exemplo).

Agradecimento
Cycle Assessoria e Corretora de Seguros
(11) 3159-0733
www.cycleseguros.com.br

FICHA TÉCNICA
MOTOR 2.294 cm³, refrigeração líquida, DOHC, 3 cilindros em linha
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO Injeção eletrônica multiponto sequencial com borboleta dupla e ligação progressiva nas borboletas principais
POTÊNCIA MÁXIMA 148 cv a 5.750 rpm
TORQUE MÁXIMO 22,5 kgf.m a 2.750 rpm
ESCAPAMENTO Aço inoxidável 3 em 1 em 2, catalisadores de grande volume em frente aos silenciadores de aço cromado
TRANSMISSÃO Final Eixo Cardã
CÂMBIO 5 velocidades
QUADRO Aço tubular de viga dupla
RODAS E PNEUS Dianteiro de alumínio injetado, 5-raios, 17 x 3,5 polegadas com pneus 150/80 R17 e traseiro de alumínio injetado, 5-raios, 16 x 7,5 polegadas 240/50 R16
SUSPENSÃO Garfo invertido KYB 43 mm, curso de 120 mm na dianteira e Mola preta KYB, amortecedores duplos com pré-carregamento ajustável de 5 posições, curso da roda traseira de 105 mm na traseira
FREIOS Dianteiro com discos flutuantes duplos de 320 mm, cáliper fixas de 4 pistões Nissin e traseiro com disco simples fixo de 316 mm, cáliper flutuante de 2 pistões Brembo, com sistema ABS (desligável)
PAINEL DE INSTRUMENTOS Velocímetro analógico com odómetro em LCD, informações da viagem, relógio e tacômetro analógico apresentando o indicador de nível de combustível, indicador de marcha
DIMENSÕES 2500 mm (comprimento), 970 mm (largura), 750 mm (altura do assento) e 1695 mm (entre-eixos)
TANQUE DE COMBUSTÍVEL 24 litros
PESO 367 kg (ordem de marcha)
PREÇO R$ 69.900

Fotos: Paulo Souza



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Teste: BMW F 700 GS é uma máquina surpreendente

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: BMW F 700 GS é uma máquina surpreendente

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Longa Duração: Honda Pop 110i supera os 1.000 km rodados

Teste: CG 125i Fan, R$ 6.790, é motocicleta mais barata da Honda

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Teste da Falcon NX4 por um usuário


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras