moto.com.br
Publicidade:

Testes

Teste: Triumph Tiger Sport uma viagem de adrenalina

11 de December de 2014
Compartilhe este conteúdo:

Arthur Caldeira

O tricilíndrico de alto rendimento, rodas de 17 polegadas calçadas com pneus on-road combinados com suspensões de longo curso e uma posição de pilotagem confortável e ereta. Assim pode ser resumida a nova Triumph Tiger Sport que traduz o conceito crossover, isto é, combina o visual aventureiro com características para longas viagens, porém em estradas asfaltadas. Recém chegada às concessionárias da marca, com preço sugerido de R$ 45.990, a Tiger Sport completa a família de aventureiras inglesas à venda no Brasil com uma proposta diferenciada e um bom custo-benefício.

Oferece desempenho suficiente para viajar com rapidez e contornar curvas com boa dose de esportividade. Além de proporcionar conforto e autonomia para longos períodos e muitos quilômetros sobre a moto. Para manter seu valor intermediário entre os modelos Tiger de 800 cc e 1200 cc, a Triumph abriu mão de muita eletrônica embarcada, deixando apenas os freios ABS e os indicadores de direção que desligam automaticamente como itens de série. Há ainda uma tela de LCD com um computador de bordo que informa consumo, autonomia e velocidade média. O conta-giros é de leitura analógica.

Ciclística refinada
Para reforçar sua vocação a viagens, a Triumph alterou a ergonomia da Tiger Sport: o guidão foi recuado 26 mm e ficou 11,5 mm mais baixo. Com isso o piloto fica com as costas retas e os braços abertos como nas big-trails. O para-brisa generoso desvia o vento do peito do piloto com eficácia e o banco largo e macio garante conforto. As pedaleiras são altas e um pouco recuadas fazendo com que os joelhos fiquem flexionados, cansando depois de algumas horas e exigindo uma parada para “esticar” as pernas.

O banco também teve sua altura reduzida para 83 cm do solo. O que sem dúvida facilita alcançar os pés no chão. Mesmo assim, é preciso atenção para realizar manobras em baixa velocidade, já que a Tiger Sport não é exatamente uma moto leve, pesa 235 kg em ordem de marcha, e tem um centro de gravidade alto.

Mas, em movimento, a excelente ciclística agora aprimorada, faz essa “massa” desaparecer. Montada sobre um quadro de alumínio, a Tiger Sport traz suspensões Showa, com garfo telescópico invertido (upside-down) na dianteira e curso de 140 mm, totalmente ajustável. Já o monobraço traseiro traz um amortecedor com curso de 155 mm e ajustável na pré-carga e compressão da mola.

Quem gosta de fazer curvas com uma esportiva, vai se surpreender com a desenvoltura desta Triumph em estradas sinuosas. As suspensões oferecem bom funcionamento para deitar nas curvas e curso suficiente para absorver as ondulações e imperfeições do asfalto em estradas secundárias.

Para parar essa fera inglesa, há discos duplos flutuantes com 320 mm de diâmetro e pinça radial de quatro pistões na dianteira, e um disco único de 255 mm e pinça de pistão duplo, na traseira. Ambos proporcionam frenagens progressivas e bastante seguras com o auxílio do sistema ABS de série – que pode ser desligado.

Motor vigoroso
Equipada com o mesmo motor tricilíndrico de 1.050 cm³ da naked Speed Triple, a Tiger Sport oferece 125 cv de potência máxima a 9.400 rpm - 10 cv a mais que a versão anterior. Potência suficiente para manter uma boa velocidade de cruzeiro ou rodar bem acima dos limites legais. Mas não foi só isso: o motor ganhou mais torque – agora são 10,61 kgf.m a 4.300 rpm – a uma rotação bem mais baixa que a Tiger anterior. Com isso, já há força suficiente para acelerar a partir dos 2.000 giros, o que facilita a pilotagem urbana e reduz as trocas no câmbio de seis marchas – também melhorado – de engates não tão suaves, porém precisos.

Embora a Triumph tenha melhorado o gerenciamento do motor e reduzido o consumo, esse motor tricilíndrico não é lá dos mais econômicos. Tanto que a fábrica aumentou o tanque para 20 litros para garantir autonomia. Em um ritmo comportado o consumo foi de 17,4 km/litro, mas um trecho com mais empolgação no acelerador resultou em consumo de 14,9 km/l. Com isso a autonomia média fica em torno dos 320 km, um bom valor para uma aventureira esportiva.

Bom custo-benefício
A Triumph “ressuscitou”, ou melhor, refinou a Tiger, agora chamada de Sport, pois havia clientes em todo o mundo que apreciavam o conforto e desempenho da versão anterior. Sua versatilidade em ser uma moto para a locomoção diária ou para longas viagens também é muito apreciada.
Potente, confortável e equilibrada, a Tiger Sport é uma boa opção para quem busca uma moto para viajar – até mesmo com garupa, já que o subquadro foi reforçado e a capacidade de carga do modelo aumentou para 222 kg. Montada em Manaus (AM), a Tiger Sport sai por R$ 45.990 e tem bom custo benefício, se comparada às concorrentes.

A inglesa de 1050cc vai encarar outras aventureiras esportivas, como a Kawasaki Versys 1000 com seu motor de quatro cilindros, vendida a R$ 49.990; e a nova Suzuki V-Strom DL1000A, equipada com um V2, cotada a R$ 49.900. Ambas são cerca de 10% mais caras, porém contam com mais eletrônica embarcada, como controle de tração e modos de pilotagem.

FICHA TÉCNICA 
Motor: Três cilindros em linha, 12 válvulas, DOHC, com refrigeração líquida
Capacidade cúbica: 1050 cm³
Potência máxima: 125 cv a 9.400 rpm
Torque máximo: 10,61 kgf.m a 4.300 rpm
Câmbio: Seis marchas
Partida: Elétrica
Transmissão final: Corrente
Alimentação: Injeção eletrônica multiponto sequencial
Quadro: Dupla trave superior em alumínio
Suspensão dianteira: Garfo telescópico invertido Showa com 43 mm de diâmetro totalmente ajustável com 140 mm de curso
Suspensão traseira: Monobraço com um conjunto de mola e amortecedor Showa totalmente ajustável com 155 mm de curso
Freio dianteiro: Disco duplo de 320 mm de diâmetro e pinça de fixação radial Nissin com quatro pistões e sistema ABS
Freio traseiro: Disco de 255 mm de diâmetro e pinça Nissin de dois pistões com ABS
Pneu dianteiro: 120/70 ZR 17
Pneu traseiro: 180/55 ZR 17
Comprimento total: 2.150 mm
Largura total: 835 mm
Altura total: 1.310 mm (sem os espelhos retrovisores)
Distância entre eixos: 1.540 mm
Altura do assento: 830 mm
Tanque de combustível: 20 litros
Peso em ordem de marcha: 235 Kg
Cores: Branca e Vermelha
Preço: R$ 45.990



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: Triumph acrescenta tecnologia à Tiger Sport

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Yamaha Drag Star 650: Na medida certa

Teste: Nova Africa Twin é bigtrail para ir a todo lado


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras