moto.com.br
Publicidade:

Testes

Teste: Nova Factor 150 é econômica e confortável

27 de January de 2016
Compartilhe este conteúdo:

Quando a Yamaha mostrou a Factor 150 no Salão Duas Rodas no ano passado, o modelo chamou atenção no estande. Em meio a tantas motos potentes e cheias de tecnologia, a singela Factor 150 era um “banho de realidade”. Voltada para quem busca uma moto urbana para o uso cotidiano, a Yamaha aposta que a Factor 150 conseguirá aumentar sua participação entre as motos de entrada no País, segmento de maior volume do setor.

A produção do modelo começou em setembro e, até o final de 2015, foram fabricadas mais de 10.000 unidades. Avaliamos a versão “ED”, mais completa, que custa R$ 7.990 e traz o freio a disco como diferencial para saber se o fabricante “acertou a mão”.

Motor flex
A nova Factor 150 agrada pelo visual, provando que uma moto de entrada não precisa ser feia. Seu motor de um cilindro, 149,3 cm³, com comando único no cabeçote (SOHC), injeção eletrônica de combustível e arrefecimento a ar, traz a tecnologia flex, que permite abastecer com etanol, gasolina ou mistura entre os dois combustíveis.

É o mesmo propulsor usado na Fazer 150 que, para ficar mais econômico, recebeu mudanças no ponto de ignição. O motor produz 12,2 cv de potência, quando alimentado com gasolina, e 12,4 cv com etanol, na mesma faixa de giro máxima: 7.500 rpm. O torque máximo é de 1,285 kgf.m com gasolina e 1,295 kgf.m com etanol, disponível a 5.500 giros.

O tanque, que traz a bomba de combustível embutida, tem capacidade para bons 15,2 litros de combustível. Com gasolina obtivemos o consumo de 40,5 km/litro mesclando uso urbano e estrada, sem abusar do acelerador. Afinal, é uma moto feita para quem busca economia. Sua autonomia pode superar (com folga) os 500 km e chegar aos 600 km rodados.

Conforto
Como fez com a veterana YBR, a Yamaha acertou na fórmula do conforto e leveza. Uma moto fácil de pilotar por conta dos seus 126 kg. Até mesmo no trânsito travado de São Paulo ela não cansou. Esguia, sua largura é de apenas 735 mm, o que permite passar pelos corredores com tranquilidade.

O conforto da Factor merece destaque. A posição relaxada e a generosa camada de espuma do banco em dois níveis permitiram viagens diárias entre Atibaia e a cidade de São Paulo (cerca de 70 km) sem cansar o piloto. Por falar em viagens, seu desempenho foi satisfatório na estrada. Atingindo a velocidade máxima de 120 km/h e conseguindo manter com facilidade os 90 km/h nas subidas da rodovia ainda em quinta marcha. Claro que não é uma moto estradeira, mas permite um “bate e volta” até a praia sem sofrimentos.

Um ponto a ser criticado é a alça da garupa. Infelizmente, a Yamaha manteve o mesmo componente usado nas primeiras YBR. Uma peça simples que não combina com o design atual e as soluções de engenharia presentes na Factor 150. Também sentimos falta do cavalete central – que é vendido como acessório nas concessionárias.

Ciclística
Montada sobre um quadro tipo diamante feito em aço, a Factor 150 traz suspensão dianteira com garfo telescópico convencional e curso de 120 mm e suspensão traseira bichoque, com 92 mm de curso. Na traseira é possível regular a compressão da mola para adequá-la ao transporte de garupa ou carga. Equipada com peneus Metzeler ME Street comportou-se bem nas curvas, permitindo contorná-las com segurança.

Já o sistema de frenagem conta com disco de 254 mm de diâmetro de acionamento hidráulico e freio traseiro a tambor, com 130 mm de diâmetro, de acionamento mecânico. O sistema se mostrou adequado à proposta da moto e eficiente em função do baixo peso da Factor 150.

Painel chique
O design na nova Factor 150 é um dos pontos fortes. Linhas esportivas são reforçadas pelo farol esportivo, aletas laterais e lanterna traseira bipartida.  Destaque para o painel completamente digital que traz todas as informações necessárias: velocímetro, conta-giros, hodômetros, marcador de combustível e até mesmo indicador de marcha engatada.

A única crítica vai para os números muito pequenos do conta-giros, o que exige olhar atento para saber as rotações por minuto. O motociclista que se preocupa com a economia tem a luz “ECO” no painel, que acende quando o motor trabalha na faixa de rotação de maior eficiência.

Os comandos são fáceis de operar e vale destacar a presença do lampejador de farol alto. Mas falta o botão “corta-corrente” (engine stop), muito usado em paradas rápidas por motociclistas que trabalham com a moto.

A versão ED, avaliada, tem rodas de liga e freio a disco. Está disponível em quatro opções de cores - branca, laranja, preta e vermelha - e tem preço sugerido de R$ 7.990. Já a versão mais básica, E, com rodas raiadas e freios a tambor nas duas rodas, custa R$ 7.390 (cores branca, preta e vermelha). Os três anos de garantia e o preço pré-fixado das revisões também são atrativos da nova Factor.

Conclusão
Rodando com a Factor 150 é possível afirmar que a Yamaha acertou em seu novo modelo de entrada. É uma moto leve, confortável e econômica. De construção robusta enfrentou com valentia a buraqueira de nossas ruas e estradas. Apesar disso, suas linhas são harmoniosas e agradáveis. Detalhes, como as aletas laterais, que encorpam a moto e transmitem a sensação de esportividade, e a lanterna traseira bipartida, dão ar de modelo mais sofisticado a essa utilitária Yamaha. 

Ficha Yamaha Factor 150
Motor         Monocilíndrico, 149,31 cm³, OHC, duas válvulas, refrigerado a ar
Diâmetro x curso                 57,3 x 57,9 mm
Taxa de compressão 9.58: 1
Potência máxima        12,2 cv a 7.500 rpm (gasolina) / 12,4 cv a 7.500 rpm (etanol)
Torque máximo 1,285 kgf.m a 5.500 rpm (gasolina) / 1,295 kgf.m a 5.500 rpm
Câmbio     Cinco marchas
Transmissão final       por corrente
Alimentação       Injeção eletrônica.
Quadro      Tipo Diamante em aço
Suspensão        dianteira Garfo telescópico com 120 mm de curso
Suspensão traseira    Balança com dois amortecedores e 120 mm de curso
Freio dianteiro    Disco de 245 mm de diâmetro
Freio traseiro      Tambor com 130 mm de diâmetro
Pneus 2.75 / 18 (diant.) 90/90 -18 (tras.)
Comprimento 2.015 mm
Largura 735 mm
Altura 1.085 mm
Entre Eixos 1.325 mm
Altura Mínima do Solo 175 mm
Altura do assento 785 mm
Tanque     15,7 litros
Peso a seco       126 kg
Preço/ cores      Versão ED R$ R$ 7.990 (branca, laranja, preta e vermelha) - versão E R$ 7.390 (branca, preta e vermelha) 

TEXTO: Cicero Lima / Agência INFOMOTO
FOTOS: Mário Villaescusa/ Agência INFOMOTO 



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste: BMW F 700 GS é uma máquina surpreendente

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: BMW F 700 GS é uma máquina surpreendente

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Longa Duração: Honda Pop 110i supera os 1.000 km rodados

Teste: CG 125i Fan, R$ 6.790, é motocicleta mais barata da Honda

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Teste da Falcon NX4 por um usuário


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras