moto.com.br
Publicidade:

Testes

Teste: KTM 1190 Adventure é o sonho austríaco

11 de December de 2013
Compartilhe este conteúdo:
Dário Marcelino
O teste da KTM 1190 Adventure (texto e fotos) foi gentilmente cedido por seu autor, que é parceiro do blog Moto-Teste (www.moto-teste.blogspot.com), de Portugal.
 
Foi com grande curiosidade que me desloquei à revenda autorizada Batquipa, em Lisboa, para testar a KTM 1190 Adventure.
 
Uma breve explicação sobre o funcionamento desta máquina, com o ajuste do para-brisa para minha altura. Um sistema muito fácil, basta regular duas abas e subir, descer, inclinar, fácil e prático. A posição de condução é de fácil encaixe, os comandos de toque são de fácil acesso, tudo à mão. 
 
Dado ao arranque sai do escapamento um rugido muito agradável e os toques no acelerador fazem com que o motor suba de rotação com vigor e sem apresentar qualquer atrito. 
 
Precisava sair de Benfica e segui pela marginal até Cascais. Depressa notei grande agilidade do conjunto e uma frenagem soberba, em modo “Street” a condução é feita sem dificuldades no meio do trânsito, sendo que o motor aparece na faixa de 1.500 rpm, mas não gosta de andar entre essa rotação e as 2.500 rpm, fazendo que na cidade seja preciso usar e abusar da troca de marchas. Já na marginal, circulando na casa de 3.000 rpm e apreciando a bela vista para o rio Tejo o consumo variou em torno de 18 km/l e 19 km/l, o que achei excelente para uma máquina desta cilindrada, num trajeto misto entre cidade e estrada.
 
É uma delícia acessar as informações do computador de bordo, extremamente fácil e muito intuitivo. Para mudar os modos de condução é rápido e fácil, basta desacelerar como a maioria dos concorrentes para ajustar a carga da suspensão e com a moto parada é muito fácil: uma pessoa, uma pessoa e carga, duas pessoas e duas pessoas e carga. Maravilhoso! 
 
Depois de umas fotos e feita mudança de marcha, desta vez para o modo “Sport” com o conta-giros já acima das 3.000 rpm é impressionante a forma como o motor sobe de rotação sempre com um belo ronco, nas saída das curvas. Ao acelerar com mais vitalidade a roda da frente levanta, sempre com um tato maravilhoso, como se andasse sobre trilhos. Ultrapassado Algés, na via rápida a moto da KTM acelera como um míssil aí aparece uma potência de 150 cv, sem dúvida nenhuma. Facilmente atingimos altas velocidades isto por incrível que pareça, se enrolarmos o punho com mais energia, rapidamente podemos chegar a velocidades até então impensáveis para uma maxi trail.
 
O para-brisa ajustável cumpre seu papel na perfeição, na posição mais alta protege bem os meus 1,90 m sem problemas. Nota negativa para o afundamento da suspensão dianteira, não que chegue a abalar o nível de estabilidade em velocidades elevadas, mas grande parte das concorrentes já eliminou este problema, segundo me informaram por 400 euros todas as que saíram poderão em 2014 contar com o controle de estabilidade que sairá nas versões desse ano. Um gesto muito bom bem acertado pela marca.
 
Não gostei também do acionamento das setas, e parece complicado para acionar ou para desligar. Em relação ao câmbio, não é fácil encontrar o ponto morto. O mostrador do lado esquerdo do painel perde a visibilidade com o sol, ao contrário do direito. A tomada 12 Volts do lado esquerdo é interessante e destaque para um pequeno, mas útil porta objetos.
 
Resumindo, a KTM 1190 Adventure é uma máquina impressionante, muito potente e ágil, fácil de utilizar e muito econômica. Um passo de gigante no conceito maxi trail.
 
- Confira o vídeo de apresentação da KTM 1190 Adventure

 

FICHA TÉCNICA
Motor: Dois cilindros em “V” a 75°, refrigeração líquida
Cilindrada: 1.195 cm³
Potencia máxima: 150 cv a 9.500 rpm
Torque máximo: 125 Nm (12,5 kgfm) a 7.500 rpm
Alimentação: Injeção eletrônica
Câmbio: 6 velocidades, transmissão final por corrente
Chassi: Multitubular de aço com basculante de alumínio
Suspensão: Dianteira com garfo invertido WP de 190 mm e Traseira monochoque WP de 190 mm com ajuste eletrônico
Freios: Disco duplo de 320 mm na frente e disco simples de 267 mm atrás. ABS de serie
Rodas: Dianteira de 120/70-19" e traseira de 170/60-17"
Dimensões (C/L/A): 2.263 mm, 893 mm, 1.447 mm
Entre-eixos: 1.560 mm
Altura do assento: 860/875 mm
Peso (seco): 212 Kg
Tanque de combustível: 23 litros
Preço: 16 mil euros (estimado em Portugal)
 
Fotos e vídeo: Blog Moto-Teste e Divulgação


Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Teste: BMW F 700 GS é uma máquina surpreendente

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: BMW F 700 GS é uma máquina surpreendente

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Longa Duração: Honda Pop 110i supera os 1.000 km rodados

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Teste: CG 125i Fan, R$ 6.790, é motocicleta mais barata da Honda

Teste da Falcon NX4 por um usuário


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras