moto.com.br
Publicidade:

Testes

Teste: Indian Chief Classic é cacique à moda antiga

19 de May de 2016
Compartilhe este conteúdo:

Representante fiel do estilo retrô – tendência que vem ganhando adeptos em todo o mundo –, a Indian Chief Classic chega ao Brasil com design clássico, quadro e balança em alumínio, acelerador eletrônico, piloto automático, sistema de freios ABS e um torcudo motor de dois cilindros em “V” de 1.811 cm³. Desnuda de adereços – e até de assento para o garupa -, o chefe da tribo custa “salgados” R$ 79.990. 

Com 2.630 de comprimento e 341 Kg de peso (a seco), a Chief Classic não impressiona só pelo porte, mas principalmente por seu estilo clássico - inspirado nos modelos da década de 1940 - evidenciado pelos paralamas que cobrem quase que totalmente as rodas e pelo parrudo tanque de combustível (20,8 litros).

Outra característica marcante desta cruiser é a altura do assento, a 660 mm do solo, que confere facilidade para fazer manobras em baixas velocidades. Além do guidão, que deixa o braço do motociclista semiflexionado, ou seja, oferece conforto numa longa tocada. 

Coração valente
O coração desta Indian é o “V2” batizado de Thunder Stroke 111. Este motor de 1.811 cm³ de capacidade cúbica gera impressionantes 16,48 kgf.m de torque máximo já a 3000 giros. Pena que a potência não é divulgada pela Indian. Com motor e câmbio (de seis velocidades) fazendo parte do mesmo bloco, a vibração gerada pelo conjunto é menor.

A arquitetura do propulsor é praticamente a mesma utilizada nas primeiras Chief construídas na década de 1940. Porém, o V2 traz materiais atuais e adota novas tecnologias como, por exemplo, a injeção eletrônica de combustível.

Na estrada, rodando em sexta marcha, a velocidade e a faixa de rotação crescem de forma progressiva e com entrega bastante linear: 100 km/h a 2.300 rpm, 110 km/h a 2.550 rpm, e 120 km/h a 2.800 rpm, já bem próximo da faixa de torque máximo. Na prática, a Chief Classic é feita para rodar com suavidade.

Não é preciso ficar reduzindo marchas, basta dosar o acelerador. Na rodovia, o consumo médio foi de 18 km/l. Na estrada, a cruiser americana roda com bastante desenvoltura, contorna bem curvas, sempre aproveitando o torque de seu motor V2. 

Suspensões macias
O que mais impressiona quando a moto está em movimento é o bom trabalho do conjunto de suspensões. De longo curso e copiando bem as irregularidades do terreno, a Chief Classic transmite conforto e segurança ao piloto. Na dianteira, o garfo telescópico, de 46 mm de diâmetro e dupla mola, tem bons 119 mm de curso. Na traseira, o monoamortecedor com ajuste na pré-carga da mola tem 94 mm de curso. 

Com sistema ABS de série, o conjunto de freios tem duplo disco e pinça dupla de quatro pistões na dianteira; e, na traseira, disco simples flutuante com pinça de dois pistões. Os três discos contam com o mesmo diâmetro: 300 mm. O ABS aliado ao sistema bem dimensionado de freios transmite confiança ao piloto e mostrou bom funcionamento.

Três características dessa clássica Indian contribuem para o piloto ter mais conforto: o banco, que apesar de único, é bem amplo; as pedaleiras (tipo plataforma) revestidas de borracha; e os pneus com medidas generosas - 130/90 na dianteira e 180/65 na traseira - calçados em rodas de liga leve, aro 16 polegadas.

Chefe da tribo
Em geral, a Indian Chief Classic é divertida de pilotar e um dos melhores modelos da marca. Motor torcudo, suspensões e freios compatíveis, bom nível de conforto, segurança e estabilidade. E para complementar o estilo retrô que agrada a muitos: peças cromadas, faróis auxiliares e o luminoso índio na ponta do envolvente paralama. Este “cacique sobre duas rodas” não é um modelo para quem tem pressa de chegar ao destino, mas é uma moto para ser vista, admirada! 

Agora, o ponto negativo é o preço da Indian Chief Classic, superior ao de sua principal concorrente, a Harley-Davidson Fat Boy, cotada hoje a R$ 69.900. Além da diferença de mais de 10% no valor, o modelo HD traz o assento para a garupa como item de série e o status de ser uma Harley

A centenária Indian – fundada em 1901 – ainda é desconhecida do consumidor brasileiro. Sua dura missão será mostrar ao motociclista que tem qualidades para enfrentar frente-a-frente a H-D, instalada no Brasil oficialmente desde a década de 1990.

Veja o vídeo:

Gostou do vídeo? Não esqueça de clicar em gostei, favoritar e compartilhar. Increva-se para receber nossos vídeo!

Ficha Técnica
Indian Chief Classic
Motor Dois cilindros em “V”, arrefecido a ar
Diâmetro x Curso 101mm x 113mm
Taxa de compressão 9.5:1
Capacidade 1.811 cm³
Potência Máxima n/d
Torque Máximo 16,48 kgf.m a 3000 rpm
Sistema de Alimentação Injeção Eletrônica 
Partida Elétrica
Câmbio 6 velocidades
Embreagem Multidisco banhada a óleo
Transmissão final Correia dentada
Suspensão 
Dianteira Garfo telescópico com tubos de 46 mm e 119 mm de curso
Traseira Monoamortecedor com 94 mm de curso e ajuste na pré-carga da mola
Freios
Dianteiro Disco simples de 300mm, com pinça de quatro pistões e ABS 
Traseiro Disco simples de 300mm, com pinça de dois pistões e ABS
Rodas Liga leve – 16 polegadas
Pneus
Dianteiro 130/90-16
Traseiro 180/65-16
Quadro Alumínio
Comprimento 2.630 mm
Altura do Assento 660 mm
Distância Mínima do Solo 140 mm
Distância entre-eixos 1.730 mm
Tanque de Combustível 20,0 litros
Peso (a seco) 341 Kg 
Cores: Preta e vermelha 
Preço R$ 79.990

TEXTO: Aldo Tizzani / Agência INFOMOTO
FOTOS: Divulgação e Kiko Tokuda/MOTO.com.br
VÍDEO: Kiko Tokuda/MOTO.com.br



Fonte:
Equipe MOTO.com.br / Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: Triumph acrescenta tecnologia à Tiger Sport

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Yamaha Drag Star 650: Na medida certa

Teste: Nova Africa Twin é bigtrail para ir a todo lado


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras