moto.com.br
Publicidade:

Testes

Teste: Honda CG 150 Titan X Yamaha Fazer YS 150

12 de November de 2014
Compartilhe este conteúdo:
Aldo Tizzani
Roberto Brandão Filho

Colocar dois ícones do segmento street frente a frente não é uma tarefa fácil. Honda CG 150 Titan e Yamaha Fazer YS 150 brigam pelo consumidor que busca uma moto resistente, de manutenção simples e econômica. Entretanto, esse consumidor também busca um modelo com apelo visual e esportividade nas motos básicas usadas pelos motoboys que circulam diariamente pelas ruas da cidade de São Paulo, por exemplo. Neste comparativo, além dos aspectos dinâmicos, nós analisamos outros detalhes, como preços das peças de reposição, garantia, seguro, rede de concessionárias etc. Condições que influenciam o bolso do motociclista e podem ser decisivas no momento da compra.

Visual
O modelo da Honda vem sofrendo atualizações constantes. Farol e lanterna traseira nos remetem aos modelos de maior capacidade cúbica da marca. O design, aliado ao novo grafismo e painel digital, deixou a Titan mais jovem. A receita também foi seguida pela Yamaha quando criou a Fazer 150. Conjunto óptico, aletas, suporte de placa com ares mais esportivos e lanterna traseira bipartida conferem um aspecto mais radical ao produto, que traz um belo painel análogo-digital.

Fixação e Bagagem
A CG 150 oferece mais pontos de fixação de bagagem, inclusive um sob o assento. A alça do garupa, no caso da Yamaha, envolve todo a parte de trás do banco, enquanto a do modelo Honda, mais ergonômica, fica posicionada nas laterais. Em ambas é possível usar o suporte das pedaleiras para ancorar a bagagem. Nesse quesito, a CG 150 ainda sai na frente por contar com uma trava lateral para prender o capacete.

Comandos
Em nenhum dos modelos avaliados há botão de corta-corrente no punho direito, só o de acionamento do motor. Tanto na CG 150, quanto na Fazer 150, o acionamento de farol, buzina e setas é feito por comandos posicionados no punho esquerdo.

Motor
A receita mecânica é praticamente a mesma nos dois modelos: um cilindro com arrefecimento a ar, injeção eletrônica e sistema bicombustível. A Honda adotou o termo “Flex One”, enquanto a Yamaha vai com a nomenclatura “BlueFlex”. No motor, a YS 150 conta com balanceador antivibração, pistão de metal leve e cárter de alta rigidez.

Já a CG Titan, comando de válvula no cabeçote e balancins roletados. Em ambas, o objetivo foi o de minimizar a vibração característica do monocilíndrico. Na prática, as soluções encontradas pelos times de engenharia surtiram efeito positivo em ambas as motos. A Yamaha vibra um pouco mais. Todavia, não chega a incomodar.

Quando abastecida com gasolina, a CG 150 Titan gera potência máxima de 14,2 cv a 8.500 rpm e torque máximo de 1,32 kgf.m a 6.500 rpm. Se o combustível escolhido for etanol, a potência máxima passa a ser de 14,3 cv a 8.500 rpm, e torque máximo de 1,45 kgf.m a 6.500 rpm. Já a marca dos diapasões divulga a mesma potência para gasolina ou etanol - 12,2 cv a 7500 rpm e torque de 1,28 kgf.m a 5.500 rpm.

Na prática, a Yamaha Fazer mostrou-se mais esperta do que a CG 150, estando ambas abastecidas com etanol. Motivo: o torque máximo da Fazer chega primeiro, facilitando o deslocamento pelo trânsito carregado dos centros urbanos. Rodando na cidade, o consumo médio foi de 30,7 km/l para a CG Titan e 28,8 km/l para a Fazer 150. Claro que esta medição pode variar muito por conta do estilo de pilotagem, peso transportado e condições das vias.

Suspensão
No quesito suspensões as receitas são tradicionais e eficazes: garfo telescópico convencional dianteiro e sistema bichoque (amortecedores e molas) na traseira. O modelo da Honda traz suspensão dianteira com 135 mm de curso. Na traseira, 106 mm. Na frente, os pneus são nas medidas 80/100 – 18 na dianteira e, na traseira, 90/90 – 18 (Pirelli de perfil convencional). A Yamaha Fazer usa 120 mm de curso na dianteira e 92 mm de curso na roda traseira. O modelo usa pneus 2.75-18 na frente e 100/80-18 na traseira, que não usa câmara (Metzeler de perfil esportivo). As duas motos contam com rodas de liga leve. Aqui ambas cumprem perfeitamente o que prometem. No entanto, a suspensão da Yamaha mostrou-se mais macia. A da Honda é mais firme para aguentar a “buraqueira” das ruas e avenidas dos grandes centros.

Freios
No quesito segurança a Honda leva grande vantagem pela adoção do sistema CBS (Combined Braking System). Ao acionar o pedal de freio traseiro da CG 150 Titan, o freio dianteiro é acionado. A proporção de frenagem passa a ser de 66% para a roda traseira e 34% para a dianteira. Segundo a fabricante há uma redução de 20% no espaço de frenagem, em comparação com um modelo standard. Na prática, quando o motociclista pisa no pedal de freio traseiro, o pistão do meio dos três da pinça dianteira é acionado juntamente com a lona traseira. Apertando somente o freio dianteiro, duas pinças da dianteira são acionadas. Na dianteira disco simples de 240 mm de diâmetro e, na traseira, tambor com 130 mm de diâmetro.

Os freios da Fazer 150 são mais convencionais: disco de 245 mm de diâmetro na dianteira e tambor mecânico de 130 mm de diâmetro na traseira. Embora a configuração seja bastante simoliar nas duas motos, na prática a CG vence justamente pelo CBS, que oferece resposta mais rápida e eficiente.

Seguro
Fizemos a cotação do preço do seguro com a corretora MM5, especializada em seguros de motocicletas. Usando como base o perfil de um motociclista de 37 anos, casado e morador em São Paulo conseguimos o melhor preço com a Mapfre Seguros. A cobertura é total e protege contra colisão, incêndio, furto e roubo por um preço a partir de R$ 1.056,32 anuais para a Yamaha Fazer e R$ 1.392,92 para a CG Titan. A cobertura só é valida para quem usa a moto como meio de transporte para se deslocar ao trabalho ou lazer. Infelizmente motos usadas por estudantes e profissionais (moto-frete e moto-taxi) estão fora dessa cobertura.

Preços
Os preços públicos sugeridos pela Honda são um pouco distantes. R$ 8.180,00 para a CG 150 Titan EX, sem as despesas de frete e seguro. A Yamaha Fazer 150, por sua vez, custa R$ 7.550,00 em sua versão ED, ano/modelo 2014/2014.

Garantia, revisões e preços de peças - Honda
Quem compra a CG 150 Titan tem direito a três anos de garantia e sete trocas de óleo grátis. Porém, para garantir este privilégio, todas as revisões tem de ser feitas em uma cessionária da marca. As sete trocas de óleo grátis, funcionam da seguinte maneira: a partir da terceira revisão feita na concessionária, o cliente não irá gastar com esse item nas próxima sete revisões. Ou seja, até a nona revisão, o consumidor não pagará nenhuma troca de óleo, mas arcará com as despesas dos demais serviços feitos na concessionária.

Pacote de peças de reposição*
Honda CG 150 Titan EX
Pastilha dianteira: R$ 92,00
Lona traseira: R$ 35,00
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 35,00
Manete esquerdo: R$ 20,00
Retrovisor esquerdo: R$ 40,54
Conjunto óptico: R$ 101,42
Troca de óleo: R$ 32,00
Garantia: 3 anos
Número de concessionárias: 1.200

Garantia, revisões e preços de peças - Yamaha
A garantia da Yamaha é de um ano e a fabricante oferece uma campanha de preços fixos nas revisões até 30.000 km. De antemão, o cliente sabe o quanto gastará e quais serviços serão executados pela concessionária. Veja o plano e os custos:
1ª revisão: 1.000 km, R$ 58 – Dois litros de óleo Yamalube, 1 gaxeta dreno, 1 filtro de óleo e 1 anel da tampa de óleo
2ª revisão: 5.000 km, R$ 25,00 – Um litro de óleo Yamalube, 1 gaxeta dreno, 1 gaxeta tampa válvula
3ª revisão: 10.000 km, R$ 216,00 – 2 litros de óleo Yamalube, 1 gaxeta dreno, 1 filtro óleo, 1 anel de tampa filtro de óleo, 1 gaxeta tampa de válvula, 1 vela de ignição
4ª revisão: 15.000 km, R$ 207,00 – 1 litro de óleo Yamalube, 1 gaxeta de dreno, 1 gaxeta tampa de válvula, 1 filtro de ar, 1 filtro de combustível
5ª revisão: 20.000 km, R$ 268,00 – 2 litros de óleo Yamalube, 1 gaxeta de dreno, 1 filtro de óleo, 1 anel tampa filtro de óleo, 1 gaxeta tampa de válvula, 1 vela de ignição
6ª revisão: 25.000 km, R$ 145,00 – 1 litro de óleo Yamalube, 1 gaxeta de dreno e 1 gaxeta da tampa de válvula
7ª revisão: 30.000 km, R$ 278,00 – 2 litros de óleo Yamalube, 1 gaxeta de dreno, 1 filtro de óleo, 1 anel da tampa do filtro de óleo, 1 gaxeta da tampa da válvula e 1 vela de ignição.

Pacote de peças de reposição*
Yamaha Fazer YS 150 ED
Pastilha dianteira: R$ 94,73
Lona traseira: R$ 93,28
Pisca dianteiro esquerdo: R$ 31,19
Manete esquerdo: R$ 18,26
Retrovisor esquerdo: R$ 25,00
Conjunto óptico: R$ 178,34
Troca de óleo: R$ 54,40
Garantia: 1 ano
Número de concessionárias: 500
*Pesquisa feita entre concessionárias da Grande São Paulo

Ficha técnica 
HONDA CG 150 TITAN EX
Motor Arrefecimento a ar, OHC, monocilíndrico
Capacidade cúbica 149,2 cm³
Potência máxima (declarada) 14,2 cv a 8.500 rpm (gasolina) e 14,3 cv a 8.500 rpm (etanol)
Torque máximo (declarado) 1,32 kgf.m a 6.500 rpm (gasolina) e 1,45 kgf.m a 6.500 rpm (etanol)
Câmbio Cinco marchas
Transmissão final corrente
Alimentação Injeção eletrônica
Partida Elétrica
Quadro Diamond Frame
Suspensão dianteira Garfos Telescópico de 135 mm de curso
Suspensão traseira Duplo amortecedor com 106 mm de curso
Freio dianteiro Disco simples de 240 mm de diâmetro
Freio traseiro A tambor com 130 mm de diâmetro
Pneus 80/100-18 (diant.)/ 90/90-18 (tras.)
Comprimento 1.196 mm
Largura 739 mm
Altura 1.086 mm
Distância Entre-eixos 1.315 mm
Distância do solo 164 mm
Altura do assento 792 mm
Peso em ordem de marcha não disponível
Peso a seco 116 kg
Tanque de combustível 16,1 litros
Cores Branca, Preta e Vermelha Metálica

Ficha técnica 
YAMAHA FAZER YS 150 ED
Motor 4 tempos, SOHC, refrigerado a ar, 2 válvulas, monocilíndrico
Capacidade cúbica 124 cm³
Potência máxima (declarada) 12,2 cv a 7500 rpm
Torque máximo (declarado) 1,28 kgf.m a 5.500 rpm
Câmbio Cinco marchas
Transmissão final corrente
Alimentação Injeção Eletrônica
Partida Elétrica
Quadro Diamond em aço
Suspensão dianteira Garfos telescópicos com 120 mm de curso
Suspensão traseira Balança com duplo amortecedor com 92 mm
Freio dianteiro Disco simples de 245mm de diâmetro
Freio traseiro Tambor mecânico de 130mm de diâmetro
Pneus 2.75-18 M/C (diant) / 100/80-18 (trás)
Comprimento 2.0150 mm
Largura 735 mm
Altura 785 mm
Distância entre-eixos 1.330 mm
Distância do solo 160 mm
Altura do assento 785 mm
Peso em ordem de marcha 132 kg
Peso a seco 119 kg
Tanque de combustível 15,2 litros (incluindo a reserva)
Cores Vermelho e preto 


Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: Triumph acrescenta tecnologia à Tiger Sport

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Yamaha Drag Star 650: Na medida certa

Teste: Nova Africa Twin é bigtrail para ir a todo lado

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras