moto.com.br
Publicidade:

Testes

Teste: Harley-Davidson Street Bob vai bem na estrada

12 de May de 2015
Compartilhe este conteúdo:

Aldo Tizzani

A Harley-Davidson Street Bob é uma moto de atitude que não passa despercebida na multidão. Montada em Manaus (AM), esta H-D tem vocação urbana, porém o espírito estradeiro fica evidenciado pela adoção do motor V2 de 1600 cm³ que esbanja torque. Isso sem falar no estilo jovial, traduzido pelos acabamentos em preto fosco, uma característica da linha Dark Custom da marca. Fizemos uma viagem até o Rio de Janeiro e rodamos mais de 900 km com o novo modelo da linha 2015 entre São Paulo e as avenidas badaladas da orla carioca. Com preço a partir de R$ 44.400, a Street Bob foi uma grata surpresa pelo bom desempenho e ciclística, mas também pelo conforto proporcionado pela boa ergonomia do modelo.

A Street Bob não traz um grande aparato tecnológico, além do sistema de freios ABS. Mas mesmo antes mesmo de dar a partida, esta integrante da família Dyna chama a atenção. Seu estilo flutua entre o clássico dos anos 50, com uma “pegada” mais agressiva, evidenciada pelo preto brilhante e fosco no acabamento de algumas peças: garfo dianteiro, aros das rodas, console preto texturizado e powertrain escurecido com capas também texturizadas. Além, é claro, do corpo da moto, todo fosco.

Na parte estética mais três detalhes chamam a atenção, o emblema da Harley no tanque de combustível com um estilo mais clássico e, para contrastar, lanternas traseiras multifuncionais. Ou seja, a luz de freio e a lanterna estão integradas às luzes indicadoras de direção. Isso cria um visual minimalista e clean na parte traseira da moto.

Bela peça, o console central é decorado com uma textura preta e inclui chave de ignição integrada ao tanque, com luzes de advertência, velocímetro e computador de bordo com indicador de marcha/RPM, tacômetro, relógio, medidor de quilometragem e diagnóstico do motor. As informações são alternadas por um botão no punho esquerdo e exibidas em uma pequena tela digital abaixo do velocímetro.

Conforto
Já nos primeiros metros, a moto se mostrou confortável. A posição de pilotagem está de acordo com a proposta da moto: o guidão alto, no melhor estilo “Ape-Hanger” sem exageros, oferece posição ergonômica, já que os braços ficam praticamente retos. Os membros inferiores – coxas e pernas – formam um ângulo de 90º graus. Apesar de a moto não contar com pedaleiras plataforma, a posição não cansa o piloto. O assento único, aparentemente desconfortável e com pouca espuma, se encaixa ao motociclista, que pode ficar um bom tempo pilotando a Street Bob na estrada. Além disso, esta Harley pode ser ideal para os pilotos de baixa estatura. Já que a altura do assento é de apenas 675 mm.

Motor
Seguindo os padrões estéticos da Street Bob, o motor Twin Cam 96, de dois cilindros em “V”, refrigerado a ar tem 1.585 cm³ de capacidade cúbica. Alimentado por injeção eletrônica de combustível (ESPFI), oferece respostas rápidas, sem ‘engasgar’. Mas o grande diferencial é seu torque: 11,9 kgf.m a 3.250 rpm. Força suficiente para ‘empurrar’ 304 quilos em ordem de marcha sem esforço.

Seja para largar nas frentes dos carros, ultrapassagens ou retomadas, a força do motor é brutal. Basta girar o acelerador com vontade. Ao mesmo tempo, o V2 trabalha dócil na estrada. Por exemplo: a 2700 rpm, sexta marcha engatada e sem forçar, a moto está a uma velocidade constante de 120 Km/h. O consumo médio nesta viagem foi de 19 km/l. Como a Dyna Street Bob tem capacidade para 17,8 litros de gasolina e possível rodar cerca de 300 quilômetros com um tanque.

Outra característica deste motor, cuja arquitetura tem mais de 100 anos, é a entrega de potência de forma linear, sem sustos, apesar do torque elevado. Na unidade avaliada, a transmissão de seis velocidades oferecia engates precisos. Suaves, nem tanto. Mas, como dizem os saudosistas, isso é uma característica da HD.

Ciclística
Na parte ciclística, o mais tradicional possível: garfo telescópico e sistema bichoque, com ajuste na pré-carga da mola, compõem o conjunto de suspensões que, aliás, copiam com propriedade as ondulações do piso. É claro que os pneus largos - 100/90B19 (D) e 160/70B17 (T), produzidos pela francesa Michelin Scorcher, também ajudam nesta missão.

Para oferecer mais segurança e confiança para o motociclista, a Dyna Street Bob traz freios a disco nas duas rodas com ABS de série. Na dianteira, pinça flutuante com quatro pistões e, na traseira, flutuante com dois pistões. O conjunto não foi exigido ao extremo, mas quando acionado com mais vigor trabalhou como esperado.

Dirigibilidade
Na cidade, a moto desfilava no meio do caótico trânsito carioca, já que a cidade se transformou em um grande canteiro de obras visando os Jogos Olímpicos 2016. Assim, o modelo oferece certa agilidade entre os carros. O guidão mais alto e fechado não briga com os espelhos retrovisores dos automóveis. Realmente o torque impressiona em todas as faixas de rotação e ajuda na pilotagem em meio ao caos pré-olímpico.

Na estrada, a Street Bob lembra, de certa forma, o antigo Ford Landau. Carrão da década de 1970 que rodava com bastante desenvoltura na rodovia, com destaque para o conjunto de suspensão.

Moto para egoísta, a Street Bob conta com banco solo, assim o piloto terá que viajar com uma mochila nas costas ou instalar algum acessório para acomodar a bagagem. Mas isso também é uma característica da Harley. Ou seja, incentivar a personalização de moto. Para levar garupa é necessário instalar um banco inteiriço e um par de pedaleiras, com o custo aproximado de R$ 2.200.

Um bom item de série é o sistema de segurança, Smart Security System, que proporciona o bloqueio automático da motocicleta. Ele ativa e desativa a ignição e o alarme, conforme você se aproxima ou se afasta da moto. O controle pode ficar na jaqueta, no bolso da calça, mas nunca ao alcance dos “amigos do alheio”!

O preço da moto varia entre R$ 44.400 e R$ 46.050, dependendo do padrão de cores – Vivid Black (preta fosca), um tom ou dois tons de cores (preto, cereja ou azul) ou a chamativa Hard Candy Custom, com muitos flakes (prata, com muito brilho).

Ficha Técnica
Harley-Davidson Street Bob
Motor Dois cilindros em “V”
Arrefecimento Refrigerado a ar
Cilindrada 1.585 cm³
Diâmetro x curso 95,3 x 111,1 mm
Potência máxima n/d
Torque máximo 11,9 kgf.m a 3.250 rpm
Sistema de alimentação Injeção eletrônica de combustível (ESPFI)
Relação de compressão 9,2:1
Transmissão 6 velocidades
Sistema de partida Elétrica
Chassi Tipo Duplo berço
Suspensão dianteira Garfo telescópico com 127 mm de curso
Suspensão traseira Bichoque com 80 mm de curso
Freio dianteiro Disco simples 300 mm de diâmetro
Freio traseiro Disco simples, com 292 mm de diâmetro
Pneu dianteiro 100/90B19
Pneu traseiro 160/70B17
Comprimento x Largura x Altura 2.395 x 915 x 1240 (em mm)
Distância entre-eixos 1.630 mm
Distância mínima do solo 110 mm
Altura do assento 675 mm
Capacidade do tanque 17,8 litros
Peso 304 Kg (em ordem de marcha)
Preço a partir de R$ 44.400



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: Triumph acrescenta tecnologia à Tiger Sport

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Yamaha Drag Star 650: Na medida certa

Teste: Nova Africa Twin é bigtrail para ir a todo lado


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras