moto.com.br
Publicidade:

Testes

Teste: Harley-Davidson Night Rod tem design radical

13 de July de 2015
Compartilhe este conteúdo:

Aldo Tizzani

Entre as 7.586 motocicletas Harley vendidas no Brasil em 2014, 1.225 unidades eram da família V-Rod. O resultado comprova um fenômeno que se repete há alguns anos: nosso país é um dos que mais consomem os modelos mais “esportivos” da marca americana. Gente disposta a gastar mais de R$ 60.000 para desfilar com uma moto capaz de oferecer desempenho radical e estilo.

Entre as duas versões da V-Rod – Muscle e Night Rod – 635 motociclistas optaram pelo modelo mais “sombrio”. Talvez hipnotizados pelo visual intimidador da Night Rod Special que traz tanque, quadro, motor, curva do escapamento, canelas da suspensão, guidão e até as molduras do painel e farol pintadas em preto fosco. Esta roupagem “dark”, que sugere uma moto personalizada, tem a finalidade de atrair o público mais jovem.

Além do visual, o modelo, montado em Manaus (AM), tem no motor de refrigeração líquida de 125 cv de potência, um grande atrativo. Ele foi desenvolvido em parceria com a alemã Porsche e combinado com outros requintes mecânicos, como a suspensão upside-down, embreagem deslizante e freios ABS, transformam a Night Rod Especial em uma opção interessante e mais esportiva entre as clássicas Harley.

Intimidadora
Intimidadora para quem mede menos de 1,70 m, as pedaleiras e o guidão são posicionados bem à frente. Com braços bem esticados e pernas semiflexionadas, o piloto fica sobre a moto com se fosse a letra “C”. Uma posição de pilotagem bem agressiva com o tronco inclinado à frente.
O assento compensa essa posição radical, pois é largo, confortável e acomoda bem o piloto com seu encosto lombar. Fora isso, está a apenas 675 mm do solo, o que facilita manobras em baixas velocidades. Porém, a Night Rod Special não é uma moto para longas viagens – não traz alforjes laterais, parabrisa, muito menos pontos de ancoragem para a bagagem – mas, com certeza, é muito divertida, principalmente na hora de acelerar.

Usina de força
A diversão fica a cargo do motor com dois cilindros em “V” dispostos a 60°, refrigerado a líquido, que gera 125 cv de potência máxima a 8.250 rpm. Além de ser o mais potente, trata-se do melhor propulsor construído pela HD, em termos de desempenho. O som – médio grave – que sai do escape duplo instiga o piloto a fazê-lo girar.

Na prática, o motor oferece respostas rápidas e torque bastante generoso (11,4 kgf.m a 7500 rpm). Trabalhando de forma linear, a moto se mantém a 120 km/h a apenas 4.000 rpm. A 140 km/h, a 5.000 giros. Mas esta Harley pode alcançar mais de 200 km/h.

Já nas retomadas de velocidade há duas opções: apenas girar a manopla ou reduzir uma marcha. E então o “V2” mostra toda sua força, despejando torque e potência para a roda traseira. Mas o bom desempenho cobra seu preço. O consumo girou em torno de 15 km/l.

Bem escalonada, as trocas no câmbio de cinco marchas são justas, porém o piloto não pode ter dó do pedal e, algumas vezes, é preciso força para trocar as marchas – principalmente para engatar a primeira. Detalhe: a moto ganhou embreagem deslizante, que diminui o atrito e suaviza os trancos, evitando o travamento da roda traseira em reduções.

Ciclística eficiente
Os sistemas de freio e suspensão da Night Rod surpreendem pela eficiência. Mas é preciso modular a frenagem para não se assustar. O modelo está equipado com disco de 300 mm - duplo na dianteira e simples na traseira -, com cáliper de quatro pistões em ambas as rodas. O diferencial fica por conta da adoção do ABS da grife Brembo. Em uma simulação de emergência, o sistema deu conta do recado, mantendo a moto na trajetória.

A suspensão dianteira traz garfos invertidos de 43 mm de diâmetro e 102 mm de curso. O conjunto oferece boa estabilidade nas retas e, principalmente, nas curvas. A roda dianteira de liga de alumínio tem aro de 19 polegadas e calça pneu 120/70 ZR. Uma receita que ajuda a estabilidade da Night Rod em altas velocidades.

Já na traseira, está presente o tradicional sistema com dois amortecedores. Copia bem as irregularidades do piso, porém o conjunto foi desenvolvido para rodar em “tapetes”, o que não é o caso de todas as estradas brasileiras. Apesar disso, em nenhum momento chegou ao fim de curso.

Esqueça qualquer pensamento racional ao olhar o enorme pneu traseiro de medidas exageradas. Com 240 mm de largura e perfil esportivo (40 mm) garante boa aderência e completa o visual imponente. E em curvas, a Night Rod oferece o melhor ângulo de inclinação entre os modelos Harley (32° para ambos os lados). O limite fica por conta das pedaleiras, que raspam nas curvas mais fechadas.

Receita de sucesso
Embora não seja o mais prático e confortável dos modelos Harley-Davidson, fica fácil compreender o sucesso da Night Rod Special no Brasil. Seu motor oferece bom desempenho (125 cv) e o conjunto ciclístico é bastante equilibrado. Tudo isso embalado por um visual imponente que remete às motos de arrancadas, comuns nos Estados Unidos. Uma receita bem-sucedida, pelo menos por aqui.

FICHA TÉCNICA
Harley-Davidson Night Rod Special
Motor Dois cilindros em “V” a 60º, refrigerado a líquido
Capacidade cúbica 1247 cm³
Potência máxima 125 cv a 8.250 rpm
Torque máximo: 11,4 kgf.m a 7500 rpm
Câmbio Cinco marchas
Transmissão final Correia dentada
Alimentação Injeção eletrônica
Partida Elétrica
Quadro Perimetral em aço
Suspensão dianteira Garfo invertido (upside-down) com 43 mm de diâmetro e curso de 102 mm;
Suspensão traseira Dois amortecedores com ajuste na pré-carga da mola e 74 mm de curso
Freio dianteiro Disco duplo de 300 mm de diâmetro e cáliper de quatro pistões com ABS
Freio traseiro Disco simples de 300 mm de diâmetro e cáliper de quatro pistões com ABS
Pneus 120/70 ZR19 (dianteira) /240/40 R18 (traseira)
Comprimento 2.440 mm
Largura 890 mm
Altura 1065 mm
Altura do assento 675 mm
Distância entre-eixos 1.702 mm
Distância do solo 115 mm
Peso a seco 289 kg
Peso em ordem de marcha 302 kg
Tanque de combustível 18,9 litros
Cores Black Denim, Vivid Black, Deep Jade Pearl e Superior Blue
Preço R$ 60.100



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste: BMW F 700 GS é uma máquina surpreendente

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: BMW F 700 GS é uma máquina surpreendente

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Longa Duração: Honda Pop 110i supera os 1.000 km rodados

Teste: CG 125i Fan, R$ 6.790, é motocicleta mais barata da Honda

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Teste da Falcon NX4 por um usuário


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras