moto.com.br
Publicidade:

Testes

Teste: Harley Iron 883 ganha visual de garagem

29 de September de 2015
Compartilhe este conteúdo:

Arthur Caldeira

Uma das principais novidades da Harley-Davidson para 2016 são as novas suspensões e o visual renovado da Iron 883. Pode parecer pouco em uma época em que modelos de motocicleta nascem e desaparecem, ou mudam completamente, em dois ou três anos. Mas é bastante quando se trata de uma marca tradicionalista como a fabricante americana que, por exemplo, utiliza motores V2 com arrefecimento a ar há pelo menos um século.

São grandes mudanças do ponto de vista da marca e também são melhorias importantes no modelo de entrada da Harley no mercado brasileiro. “Há tempos pedíamos que as suspensões da Iron fossem aprimoradas. Finalmente nos atenderam”, respirou aliviado, Julio Vitti, executivo brasileiro que é gerente de produtos da Harley-Davidson para a América Latina nos Estados Unidos.

Integrante da família Sportster, a mais crua e simplista entre os modelos da Harley, a Iron 883 2016 manteve seu design minimalista e a predominância da cor preta, característica dos modelos da série Dark Custom. Além das novas suspensões, ganhou novas rodas de liga de alumínio com nove raios, totalmente pretas e com detalhes usinados, que conferem um visual das motos customizadas em oficinas e garagens do mundo todo. Essa inspiração custom aparece também nos paralamas “cortados”, no protetor da correia dentada e na capa do filtro de ar arredondada – tudo pintado na cor preta, assim como a dupla saída de escapamento.

“A minha visão foi sempre de que uma moto fica com melhor aspecto com alguma sujeira ou envelhecida”, afirmou o designer sênior da H-D, o japonês Dais Nagao, que liderou a renovação da Iron 883 e buscou inspiração na efervescente cena custom de seu país de origem. Aqui vale ressaltar uma curiosidade: embora seja berço das maiores fábricas de motos do mundo, o Japão é, há algum tempo, o segundo maior mercado da Harley-Davidson em todo o mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

Bobber de fábrica
A Iron 883 pode ser vista como uma “bobber” de fábrica. Bobber é o nome que se dá às motos customizadas que têm as suas partes “excedentes” removidas. E o modelo 2016 reforça essa filosofia de ter apenas tanque, motor, um banco, guidão, um mostrador único no painel e rodas. Mas traz algumas novidades estéticas.

O tanque de 12,5 litros de capacidade ganhou um novo emblema com a tal águia americana. O motor é o mesmo Evolution, um V2 de 883 cm³ refrigerado a ar com comando de válvulas por varetas – os dutos do comando são, aliás, a única peça cromada no motor. De acordo com a Harley-Davidson, produz 6,7 kgf.m de torque máximo logo a 3.750 giros. E, embora a marca não divulgue o número no Brasil, em alguns mercados a Harley informa que essa versão do Evolution (há um de 1.200cc) oferece 49 cv de potência máxima.

Se não é assim uma primazia no quesito desempenho, tem bom torque em baixos giros para arrancadas vigorosas. E o câmbio de cinco marchas mostra-se bem escalonado para manter uma velocidade de cruzeiro de 120, 140 km/h nas estradas ao redor de Barcelona, onde rodei com a nova Iron 883.

O que interessa
Fora o visual renovado, a mais notável atualização na Iron 883 só aparece mesmo quando se monta nela. O banco único ganhou mais espuma e um novo acabamento. Ficou mais macio e acomoda melhor o piloto, aprimorando o conforto.

Mais foi só dar a partida – que não necessita de chave, pois a Iron 883 tem o H-D Smart Security System de série, que ativa a moto por meio de um chaveiro de presença – para perceber que a mais importante novidade são mesmo as suspensões.

Embora o garfo dianteiro mantenha o mesmo tubo externo de 39 mm de diâmetro, internamente a marca adotou o sistema de cartucho, com mola e amortecedor em óleo. E logo de cara, ao descer da calçada já pude notar que o funcionamento é mais progressivo, absorvendo melhor as imperfeições das ruas de Barcelona.

Já os dois amortecedores traseiros são completamente novos, até mesmo visualmente. Aparentam à primeira vista serem mais robustos e agora utilizam uma tecnologia de emulsão, com carga de nitrogênio, que funciona de forma mais macia. E mesmo que ainda atinja o batente ao fim do modesto curso de 41 mm em uma profunda tampa de bueiro de Barcelona, em ondulações menores e nas emendas de pontes, o novo sistema bichoque tem mais capacidade para deixar a pilotagem mais suave e isolar melhor o piloto. Os novos amortecedores também permitem ajustar a pré-carga da mola, por meio de uma ferramenta especial que fica guardada sob o banco.

Certamente, as novas rodas ajudam o novo conjunto de suspensão, afinal ficaram 3,7 kg mais leves que as anteriores e também mais bonitas. E menos massa rotante significa menos carga nos amortecedores.

O sistema de freios manteve-se o mesmo: disco de 300 mm de diâmetro na frente e outro de 260 mm atrás, ambos com pinças de dois pistões. O sistema ABS, opcional em outros países, é item de série no modelo brasileiro. Conjunto que não se destaca e nem atrapalha em nada: são suficientes para frear os 251 kg a seco da Iron 883 e seu desempenho modesto.

Máquina urbana
Apesar das mudanças no conjunto ciclístico, a posição de pilotagem da Iron 883 e sua distância do solo não foram alteradas. O piloto vai sentado, com as pernas levemente flexionadas, joelhos abertos e os braços retos, apoiados no guidão estilo drag-bar. À sua frente, apenas um mostrador com velocímetro de leitura analógica, com uma pequena tela de LCD, que alterna entre relógio, hodômetros, autonomia e marcha engatada e conta-giros, de acordo com a escolha do motociclista.

Uma posição boa para uma máquina urbana como a Iron pretende ser, mas que pode se tornar cansativa para pilotos mais altos e em viagens mais longas. A baixa autonomia do tanque é outro fator que limita a utilização desta Sportster como uma companheira de viagem. A pedaleira do lado esquerdo ainda raspa no asfalto em curvas mais fechadas, assim como o escapamento do lado direito. Entretanto, o novo modelo proporciona uma pilotagem mais equilibrada e estável, principalmente levando-se em consideração que não temos vias bem conservadas e asfaltadas deste lado do Atlântico.

A nova Iron 883 e outras novidades da Harley-Davidson para o próximo ano estarão expostas no estande da marca no Salão Duas Rodas 2015, que acontece entre 7 e 12 de outubro no Pavilhão Anhembi em São Paulo (SP). Só então o preço do modelo 2016 dessa Harley de entrada deve ser anunciado. O modelo 2015 é vendido a partir de R$ 34.900 para a cor única. Como o real desvalorizou-se e novidades são sempre um bom argumento para reajustar a tabela, a nova Iron certamente custará mais do que isso.

Lá fora, há quatro opções de cores: Charcoal Satin, cinza fosco; Black Denim, preto fosco; e Olive Gold, verde oliva metálico. Todos com o logo da águia americana no tanque. Há também a chamativa pintura Hard Candy Custom Gold Flake (um dourado brilhante) com flames em preto.

FICHA TÉCNICA
Harley-Davidson Iron 883 2016
MOTOR Dois cilindros em “V”, comando por varetas, quatro válvulas e arrefecimento a ar
POTÊNCIA MÁXIMA n/d
TORQUE MÁXIMO 6,7 kgf.m a 3750 rpm
CAPACIDADE CÚBICA 883 cm³
DIÂMETRO X CURSO 76,2 mm x 96,8 mm
TAXA DE COMPRESSÃO 9,0:1
SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO Injeção Eletrônica de Combustível Seqüencial (ESPFI)
SISTEMA DE PARTIDA Elétrica
CÂMBIO Cinco velocidades
TRANSMISSÃO FINAL Correia dentada
CAPACIDADE DO TANQUE 12,5 litros
CHASSI De aço tubular de secção circular
SUSPENSÃO DIANTEIRA Garfo telescópico do tipo cartucho com 92 mm de curso
SUSPENSÃO TRASEIRA Sistema bichoque com ajuste na pré-carga da mola
FREIO DIANTEIRO Disco simples de 300 mm com pinça de pistão duplo
FREIO TRASEIRO Disco simples de 200 mm com pinça de pistão único
PNEU DIANTEIRO 100/90-19
PNEU TRASEIRO 150/80-16
COMPRIMENTO 2.250 mm
ALTURA DO BANCO 735 mm
DISTÂNCIA ENTRE-EIXOS 1.515 mm
PESO A SECO 251 kg
PREÇO Não definido



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: Triumph acrescenta tecnologia à Tiger Sport

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Yamaha Drag Star 650: Na medida certa

Teste: Nova Africa Twin é bigtrail para ir a todo lado


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras