moto.com.br
Publicidade:

Testes

Teste: Harley CVO Street Glide tem som de 300 watt e motor preparado

05 de August de 2016
Compartilhe este conteúdo:

Modelo mais jovem da linha Touring da Harley-Davidson, a Street Glide ganhou uma versão CVO (Custom Vehicle Operations), customizada de fábrica. Além de uma pintura diferenciada, diversos acessórios instalados e um motor de maior capacidade cúbica, a Street Glide CVO traz o mais potente sistema de som a equipar uma motocicleta da marca e sistema de Infotainment com tela colorida de cristal líquido de 6,5’’ e sistema de navegação. Montada em Manaus (AM), a versão CVO está disponível na cor Atomic Red with Candy Apple Flames, ou traduzindo, um radiante vermelho com labaredas no mesmo tom, com preço sugerido de R$ 134.200.

O alto valor cobrado por essa Street Glide – pois a versão Special parte de R$ 90.400 – é justificado não apenas pelo acabamento e pelos acessórios, como comandos de punho iluminados, manoplas e pedaleiras conforto. A Street Glide CVO está equipada com motor de dois cilindros em “V” com auxílio da refrigeração líquida e preparado pela divisão Screamin’ Eagle da Harley. Com isso a capacidade cúbica do Twin Cam passou de 103 polegadas (1690 cm³) para 110 (1801 cm³), gerando assim mais torque – 16 kgf.m já a 3.750 rpm – e certamente mais potência, embora a Harley não divulgue o número. Além do motor “preparado”, a CVO tem assistente hidráulico de embreagem, que deixa o acionamento do manete mais leve. 



Na estrada
A Street Glide segue a tendência baggers, ou seja, motos estradeiras que contam com malas laterais rígidas, carenagem frontal e roda dianteira de diâmetro maior. Com sua pintura chamativa, a versão CVO reforça ainda mais essa inspiração nas motos customizadas. As rodas de liga-leve – 19 polegadas na dianteira e 18’’ na traseira – com cinco pontas são cromadas como nas baggers. 

Além de ser mais jovem que a Ultra Limited, a Street Glide CVO também é mais leve: são 395 kg em ordem de marcha contra os 414 kg do modelo que traz top-case. Outro detalhe interessante na Street Glide é seu banco somente a 69 cm do solo – o que facilita manobras em baixa velocidade e permite aos condutores mais baixos se acomodarem confortavelmente no assento bipartido dessa versão CVO. O banco com costuras aparentes aumenta também o conforto da garupa, já que é mais largo do que a Street Glide Special.



Com o tanque cheio (22,7 litros de gasolina), antes de pegar a estrada emparelhei meu celular por conexão Bluetooth com o sistema de Infotainment da CVO Street Glide para garantir a trilha sonora dos 200 km que tinha pela frente – há ainda rádio e entrada USB. O emparelhamento é fácil e intuitivo, assim como navegar pelo sistema, tanto pelos botões no punho como pelo sistema “touch” da tela colorida.

A qualidade e o volume do som impressionam. Até 120 km/h, é possível ouvir bem a música mesmo com um capacete fechado. Fiquei na dúvida se os muitos olhares vindos de outros motoristas na estrada eram motivados pela música alta ou pelo porte imponente dessa enorme Harley-Davidson.



Na estrada, o motor Screamin´ Eagle 110 mostra seu vigor. Com refrigeração líquida no cabeçote, o desempenho é melhor do que o modelo standard e o calor emanado também. Os engates no câmbio de seis velocidades são ruidosos, mas o auxílio de acionamento da embreagem é bem-vindo. Engatei a sexta marcha over-drive e o torque do motor mostrou-se suficiente para retomadas com um vigoroso ronco, que vem das ponteiras esportivas exclusivas da CVO. A roda de 19 polegadas garante a estabilidade nas retas, e a carenagem BatWing (asa de morcego) protege o piloto do vento. 

O conjunto de suspensões, reforçado em 2014 com tubos mais grossos, proporciona bastante conforto e não reclama de pequenas imperfeições do asfalto. A ciclística da linha Touring impressiona: mantém a moto na trajetória desejada e permite contornar curvas com facilidade – claro que é preciso levar em conta o porte e o peso desta CVO Street Glide. Os freios usam pinças Brembo e dão conta do recado para diminuir a velocidade em curvas mais acentuadas, enquanto o sistema ABS combinado garante a segurança em emergências.



Após 269,7 km rodados, a CVO Street Glide ainda não tinha entrado na reserva, mas parei para abastecer: couberam 19,54 litros no tanque. O consumo de 13,8 km/litro é elevado para motocicletas, mas justificado pelo motor de grande capacidade que instiga a acelerar e, claro, o peso da moto.

Exclusiva
O sistema de áudio Boom! Box que gera 300 watt de potência, por meio de quatro alto-falantes dianteiros e dois traseiros - instalados nas malas laterais rígidas - é um dos principais diferenciais da CVO Street Glide, mas não o único. 

Até mesmo parada e com som na caixa, a CVO Street Glide chama atenção com sua pintura chamativa e por detalhes como o para-lama traseiro com lanternas em LED embutidas, a ponteira esportiva do escapamento e o farol chamado de Daymaker, com LED

Os modelos CVO são criados para clientes que buscam uma moto exclusiva e com visual de customizada. Nesse quesito, apesar do preço elevado de R$ 134.200, a Street Glide cumpre sua proposta com estilo e som na caixa. 



Ficha Técnica
Harley-Davidson CVO Street Glide
Motor Screamin’ Eagle Twim Cooled 110, com dois cilindros em “V” e refrigeração mista (ar e líquida) 
Capacidade 1.801 cm³
Câmbio Seis velocidades
Potência máxima ND
Torque máximo 16 kgf.m já a 3.750 rpm
Suspensão dianteira Garfo telescópico de 49 mm de diâmetro com 117 mm de curso
Suspensão traseira Amortecimento bichoque com 54,6 mm de curso
Freio dianteiro Disco duplo flutuante de 300 mm com pinça fixa de quatro pistões e ABS
Freio traseiro Disco simples de 300 mm com pinça fixa de quatro pistões e ABS
Pneu dianteiro 130/60 - 19
Pneu traseiro 180/55 - 18
Comprimento total 2.455 mm
Largura total 970 mm
Entre-eixos 1.625 mm
Altura do assento (descarregada) 690 mm
Altura mínima do solo 125 mm
Peso (em ordem de marcha) 395 kg
Peso (a seco) 380 kg
Tanque de combustível 22,7 l
Cor Atomic Red with Candy Apple Flames
Preço R$ 134.200

 

TEXTO: Arthur Caldeira / Agência INFOMOTO
FOTOS: Mario Villaescusa / Agência INFOMOTO



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste: BMW F 700 GS é uma máquina surpreendente

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Yamaha Drag Star 650: Na medida certa

Teste: Nova Africa Twin é bigtrail para ir a todo lado


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras