moto.com.br
Publicidade:

Testes

Teste: Com novo scooter NMax, Yamaha quer 20% do segmento

01 de April de 2016
Compartilhe este conteúdo:

Apresentado no Salão Duas Rodas 2015, o scooter Yamaha NMax chega às lojas em maio deste ano com um preço competitivo: R$ 11.390 – seu principal concorrente, o Honda PCX custa a partir de R$ 10.814. O novo modelo marca o retorno da Yamaha ao crescente segmento de scooters de entrada, do qual estava fora desde 2012 com a descontinuação do Neo 115. O novo NMax tem a missão de conquistar 20% do segmento para a fábrica japonesa. "Como o mercado brasileiro de motocicletas está instável, fica difícil prever um número exato de vendas", declarou Helio Ninomiya, gerente de marketing da Yamaha Motor do Brasil. Em 2015, a venda de scooters teve crescimento em um setor de duas rodas em queda, chegando a cerca de 38.000 unidades. 


Para atingir esse objetivo, o novo scooter Yamaha traz um motor monocilíndrico de 155 cm³, quatro válvulas e refrigeração líquida. Sua potência máxima é de 15 cv a 8.000 giros e torque máximo de 1,4 kgf a 6.000 rpm com transmissão continuamente variável, o câmbio CVT. Batizado de Blue Core, o propulsor oferece o sistema variável de abertura de válvulas (inédito em scooters) e pistão forjado – segundo informações, o consumo deve girar em torno de 40 km/l.

Além disso, o NMax conta com freio a disco em ambas as rodas de 13 polegadas e sistema ABS de série – um diferencial em relação ao PCX que tem tambor na roda traseira e oferece apenas o sistema de freios combinados. A Yamaha ainda ressalta o uso de pneus mais largos que as concorrentes: 110/70-13, na dianteira; e 130/70-13, na traseira. 

Com farol e lanterna de freio de LED, o NMax tem painel 100% digital e design inspirado no TMax, o esportivo scooter de 535 cc da Yamaha também à venda no Brasil. No quesito praticidade, o NMax oferece 25 litros de capacidade de carga sob o banco, que carrega facilmente um capacete fechado e outros objetos pequenos. Descanso lateral e cavalete central são de série. 

Quando chegar às lojas, em maio, o NMax terá também revisões a preço fixo. "Dessa forma, o consumidor sabe quanto irá gastar para manter seu scooter", destaca Ninomiya. Outro atrativo, destaca o gerente de marketing, será o seguro fixo para as regiões da Grande São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas e Baixada Santista. Sem análise de perfil, o seguro irá custar R$ 1.850.

O NMax chega às concessionárias em maio em três opções de cores: branco e vermelho metálicos, além de um elegante cinza fosco. O sistema ABS é de série e o preço sugerido de R$ 11.390. 

 

Primeiras impressões
Durante o evento de lançamento do novo NMax e também da naked MT-03, foi possível dar algumas voltas na pista do autódromo Velocittà, em Mogi Guaçu (SP). Embora não seja o ambiente ideal para avaliar um scooter, foi possível notar o bom torque em baixos giros do NMax, fruto do comando de válvulas variável que altera o ângulo e a geometria das válvulas de admissão de acordo com a rotação do motor. O par máximo de 1,47 kgf.m é atingido a 6.000 giros e é superior o oferecido pelo PCX, que tem 1,36 kgf.m. A potência de 15,1 cv também é superior ao concorrente da Honda, que tem 13,1 cv. 

Outro destaque vão para os bons freios, com sistema ABS. Com discos de 230 mm nas duas rodas, oferecem frenagem segura e o sistema anti-travamento somente precisou atuar em situações exageradas. Mas o ABS mostra mesmo sua eficácia em pisos de baixa aderência ou molhados.

Com banco largo e confortável, o NMAx permite bom apoio para os pés em duas posições, tanto na plataforma como mais esticados. Os pneus largos e as suspensões rígidas garantiram estabilidade na pista, mas ainda é preciso avaliá-los nas nossas mal cuidadas ruas e avenidas.

FICHA TÉCNICA
Yamaha NMax 160 ABS
Motor: OHC, monocilíndrico, 155,1 cm³, quatro tempos, quatro válvulas, arrefecimento líquido.
Potência: 15,1 cv a 8.000 rpm 
Torque: 1,47 kgf.m a 6.000 rpm
Diâmetro e curso: 58 mm x 58,7 mm
Alimentação: Injeção eletrônica
Transmissão: CVT
Suspensão dianteira: garfo telescópico com 100 mm de curso
Suspensão traseira: sistema bichoque com 90 mm de curso.
Freio dianteiro: disco simples de 230 mm de diâmetro com pinça simples e ABS
Freio traseiro: disco simples de 230 mm de diâmetro com pinça simples e ABS
Pneus: Dianteiro 110/70-13 e traseiro 130/70-13.
Quadro: Underbone em tubos de aço
Dimensões: 1.955 mm de comprimento, 740 mm de largura, 1.115 mm de altura; 
Distância entre-eixos: 1.350 mm
Distância mínima do solo: 135 mm
Altura do assento: 765 mm
Peso a seco: 120 kg
Peso em ordem de marcha: 127 kg
Tanque: 6,6 litros
Cores: Branca metálica, vermelha metálica e cinza fosco 
Preço público sugerido: R$ 11.390

Texto: Arthur Caldeira/Agência INFOMOTO
Fotos: Divulgação



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste: BMW F 700 GS é uma máquina surpreendente

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: BMW F 700 GS é uma máquina surpreendente

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Longa Duração: Honda Pop 110i supera os 1.000 km rodados

Teste: CG 125i Fan, R$ 6.790, é motocicleta mais barata da Honda

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste da Falcon NX4 por um usuário


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras