moto.com.br
Publicidade:

Testes

Teste: BMW F 800 GS, boa companhia na estrada

22 de January de 2014
Compartilhe este conteúdo:

André Prado

A marca alemã BMW vem dando o merecido reconhecimento para o mercado brasileiro, tanto que iniciou a produção local da trail F 800 GS, terceiro modelo montado em regime CKD no país, na fábrica da Dafra, em Manaus (AM). Com preço mais competitivo em relação à versão importada, na faixa inicial de R$ 43 mil, a moto da BMW tem tudo para deslanchar de vez e conquistar novos consumidores, sedentos de produtos que oferecem um perfil aventureiro e motor de alta cilindrada.

Para comprovar as pretensões da nova F 800 GS, como modelo nacional, nada melhor do que botar a moto na estrada. E foi isso que a reportagem do MOTO.com.br fez, realizando uma viagem de São Paulo até Santa Catarina. Um roteiro que não chega a ser novidade, mas que se presta bem para conferir o comportamento rodoviário dessa trail de origem alemã.

Logo de cara essa BMW te ganha pelo design arrojado e que aparenta boa disposição e preparação para encarar qualquer tipo de terreno. A roda 21 polegadas na dianteira e as dimensões protuberantes da moto podem dar a sensação da F 800 GS ser um tanto arisca, mas não é isso o que acontece.

Comportamento suave
Para dizer a verdade, nas primeiras aceleradas da F 800 GS essa imagem de moto selvagem vai simplesmente por água abaixo. Ela é muito fácil de pilotar, simplesmente faz tudo para o piloto que praticamente não tem trabalho algum. Para ser sincero, em um trecho de cerca de 200 km de serra, com estrada esburacada, cheia de óleo na pista e, para piorar, ainda chovendo, ainda assim ela tinha um comportamento extremamente estável e dócil.

Quem estava rodando junto nessa empreitada, alguns colegas com DR 800, DR 650, BMW X-Moto 650 e KTM Duke, simplesmente não acreditam no que estavam vendo. Isso porque a cada 50 km rodando com a BMW F 800 GS tínhamos que ficar esperando entre 10 e 15 minutos para esse pessoal chegar, é mole?

A aceleração nessa trail alemã é precisa e sem trancos. Quando você precisa acelerar, ela vai sem trauma nenhum. Tem uma ótima retomada e muitas vezes nem é necessário reduzir pra retomar a aceleração, ou seja, basta “enrolar” o cabo que ela responde forte, mas com suavidade.

Câmbio “elástico”
Essa sensação é muito interessante, pois dá uma impressão de estar pilotando uma motocicleta automática, no estilo da sport touring Honda VFR 1200F. Você não precisa ficar mudando de marcha. Ainda bem que existe o marcador de marcha, pois muitas vezes você até esquece que marcha está usando e isso também não parece fazer muita diferença. A F 800 GS tem disposição e fôlego de sobra.
 
Por exemplo: em sexta marcha a 120 km/h, se você “enrolar” o cabo o motor despeja vitalidade facinho, facinho. Experimentamos várias vezes essa sensação e o grande problema mesmo é que acabava a estrada, senão dava pra seguir nesse ritmo por muito mais tempo, pois a vibração é pequena e a aerodinâmica também é boa sem nenhuma "passarinhada".

É claro que com um motor valente desses, são 85 cavalos de potência e 8,47 kgfm de torque, também é preciso de um sistema de freios à altura. A versão Premium que pegamos da F 800 GS tem eficiência e a conveniência do ABS (antitravamento). Tudo funciona muito bem e com boa margem de segurança. Quando você precisa frear, o ABS está lá à sua disposição. 

No entanto, fica a impressão que a F 800 GS tem o freio dianteiro bem mais forte e às vezes dá uma derrapadinha. Tem que ficar esperto e usar um pouco mais do freio traseiro mesmo, que é menos arisco!

Resumo da ópera: Quando você precisa acelerar nas retomadas a F 800 GS vai com força e tranqüilidade, quando você aciona, ela breca fácil e quando você precisa fazer uma curva ela também contorna suavemente e sem susto.

Foram praticamente 12 horas em cima da F 800 GS sem sentir nenhum desconforto maior. Aliás, ela é muito confortável. Bem própria mesmo para viagens de média e longa duração. Roda sem vibrar quase nada, mesmo em alto giro.

Apesar de oferecer tantas qualidades e virtudes a F 800 GS apresentou nessa viagem um mau funcionamento na manopla do lado direito, que não estava esquentando direito. Uma pena, pois isso ajudaria a encarar o frio do sul. No mais, essa trail alemã que fala português é simplesmente sensacional e não fica devendo para ninguém.

- Confira o vídeo de apresentação da BMW F 800 GS

FICHA TÉCNICA
Motor DOHC, 798 cm³, 2 cilindros paralelos, 4 válvulas por cilindro e refrigerado a água
Potência máxima 85 cv a 7.500 rpm
Torque máximo 8,47 kgfm a 5.750 rpm
Taxa de compressão 12:1
Desempenho / Consumo de Combustível
Consumo (90 km/h) 26,3 km/l
Consumo (120 km/h) 19,2 km/l
Câmbio 6 marchas
Transmissão Corrente O-Ring sem emenda
Suspensão dianteira Garfo telescópico invertido de 45 mm de diâmetro com
230 mm de curso
Suspensão traseira Balança traseira de alumínio com amortecedor centralizado
Com 215 mm de curso
Rodas e pneus: 90/90-21 54V (dianteira) e 150/70-17 69V (traseira)
Freio dianteiro Disco duplo flutuante de 300 mm com pinça flutuante de 2 pistões
Freio traseiro Disco simples de 265 mm com pinça flutuante de 1 pistão
Comprimento 2.320 mm
Largura 945 mm
Altura 1.350 mm
Altura do banco 880 mm / 850 mm (opcional)
Peso 185 kg (peso seco) e 207 kg (em ordem de marcha)
Tanque de combustível 16 litros
Cores Marrom metálico, Branco alpino e Azul córdoba
Preço Sugerido R$ 43.350


Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: Triumph acrescenta tecnologia à Tiger Sport

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Yamaha Drag Star 650: Na medida certa

Teste: Nova Africa Twin é bigtrail para ir a todo lado


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras