moto.com.br

Publicidade:

Testes

Suzuki Boulevard M 1500R: Uma custom que foge do padrão

07 de August de 2012
Compartilhe este conteúdo:

Paulo Souza

A Boulevard M 1500 desembarcou no Brasil em 2010 para substituir a C 1500. Totalmente reestilizada a motocicleta deixou para trás o estilo mais clássico e trouxe um toque de esportividade.  Em 2012 a Suzuki apresentou a versão R, edição limitada que trás como grande diferencial o design do farol e a opção de ficar com o banco monoposto.

Estilo Reformulado

Para proporcionar uma pegada mais esportiva, a Suzuki optou por diversas modificações na Boulevard M 1500R, diferente de sua antecessora ela conta com suspensão dianteira invertida, guidão mais reto e estreito, pedaleiras pouco avançadas, rodas de liga leve e freio dianteiro com disco duplo.

Seus detalhes cromados refletem toda sua imponência.  Avantajada, a Boulevard M 1500R chama a atenção por onde passa. Com dois metros e quarenta de comprimento e com 328 quilos em ordem de marcha, fica quase impossível não ser notada.

Potência e conforto

O motor, entretanto, segue o mesmo padrão das motocicletas custom, com o tradicional dois cilindros em V, tendo como diferencial o seu sistema de refrigeração líquida. Com um motor de exatas 1462 cilindradas em formato V-Twin, esta big custom é capaz de gerar 12,80 kgf.m a 2.700 rpm e cerca de 80 cavalos de potência, o que a torna uma verdadeira máquina em arrancadas.

No trânsito está máquina não é nada confortável, além de não passar em corredores apertados devido ao seu porte, a frequência no acionamento do freio dianteiro e da embreagem cansam facilmente as mãos e causa desconforto. Entretanto, com este motor ela desliza quando a colocamos na estrada, muito confortável e potente.

Sua posição de pilotagem é bem diferente das motos custom tradicionais, porém, o conforto pode ser considerado o mesmo. Com guidão mais reto e suas pedaleiras pouco avançadas permitem um pouco mais de inclinação nas curvas.

Com um motor potente e com torque de sobra a Suzuki optou por um câmbio com transmissão de cinco marchas. Sendo as duas primeiras mais curtas e as outras bem mais longas. Foi possível alcançar uma boa velocidade ainda em quarta marcha, e a moto ainda tinha fôlego para ir mais rápido, o que prova que ela não necessita de uma sexta marcha.

Detalhes

O conjunto de pneus da Boulevard M 1500R te convida a deitar um pouco mais nas curvas, com medida de 120 por 70 na dianteira e 200 por 50 na traseira, revela o seu lado mais esportivo.  Apesar de seu peso, o conjunto de freios da motocicleta é eficiente com dois discos de 290 mm na dianteira e um de 275mm na traseira, que freiam com segurança.

O seu painel sobre o guidão possui velocímetro analógico e uma pequena tela digital sem conta-giros, porém, com marcador de combustível. Alguns detalhes herdados da C 1500 permaneceram na motocicleta para manter a autenticidade da linha custom da Suzuki, como por exemplo, a sua transmissão final por eixo cardã, que ajuda a moto a ter poucas vibrações e evita manutenções periódicas.

Conclusão

Sem dúvidas o cenário ideal para a Boulevard M 1500R é a estrada.  Seu potente motor e o seu design volumoso combinam perfeitamente com viagens, sejam elas curta ou longa duração. Uma boa moto para você procurar belas paisagens com conforto e muita força.

Com preço sugerido de R$ 41.900, a Suzuki disponibiliza a Boulevard M 1500R nas cores preta e vermelha.

O jornalista usou nos testes jaqueta e calça Race Tech, capacete e luvas Joe Rocket e botas Tutto Moto.

Serviço
Cotação de Seguro (*)
A vista R$ 2.722,61
Franquia R$ 4.184,88
(*) Perfil médio: Homen, 25 a 35 anos, casado, sem filhos, com garagem em casa e no trabalho, morador de São Paulo e com residência em região razoável (zona sul ou zona oeste, por exemplo).

Kit de peças
Filtro de óleo: R$ 73,75
Filtro de ar: R$ 145,93
Pastilha dianteira: R$ 383,35 
Pastilha traseira: R$ 476,90
Lâmpada do farol: R$ 325,39
Pneu dianteiro original: R$ não disponível
Pneu traseiro original: R$ não disponível

Agradecimentos
Cycle Assessoria e Corretora de Seguros
(11) 3159-0733
www.cycleseguros.com.br

Ficha técnica
Motor: OHC 4 tempos, 2 cilindros V-Twin 45° com 8 válvulas,  refrigeração líquida
Cilindradas: 1.462 cm³
Diâmetro X Curso : 96,0 x 101,0mm
Taxa de compressão : 9,5:1
Sistema de lubrificação: Cárter úmido
Sistema de Partida: Elétrica
Alimentação: Injeção eletrônica
Tipo e ignição: Eletrônica
Potência máxima: 80 hp (métrico) a 4.800 rpm
Torque máximo: 12,80 kgf.m a 2.700rpm
Suspensão Dianteira: Telescópica invertida de amortecimento hidráulico, mola helicoidal
Suspensão Traseira: Balança articulada, tipo link de monoamortecimento hidráulico, mola helicoidal
Freio Dianteiro: Disco Duplo
Freio Traseiro: Disco
Comprimento Total: 2.410 mm
Largura Total: 870 mm
Altura Total: 1.110 mm
Distancia Mínima entre Eixos: 1.690 mm
Distancia do Solo: 145 mm
Altura do Assento: 716 mm
Peso:  328 kg (ordem de marcha)
Pneu Dianteiro:  120/70 ZR18 M/C (59W), sem câmara
Pneu Traseiro:  200/50 ZR17 M/C (75W), sem câmara
Tanque de Combustível: 18 litros
Óleo do Motor: 3,2 litros (com troca de filtro)

Fotos/Vídeo: POST VAREJOS



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Teste: Traxx Fly 250 vem brigar no segmento trail

Teste: Honda NC 750X Razão, espaço e emoção

Teste: Dafra Cityclass 200i encara Honda PCX 150

Teste: Triumph Commander é uma cruiser com molho inglês

Teste: Ducati Hypermotard é moto para os fortes

Teste: Rivale 800 é uma verdadeira moto italiana

Teste: S 1000 R a naked mais potente do Brasil

Teste: Traxx Fly 250 vem brigar no segmento trail

Teste: Honda NC 750X Razão, espaço e emoção

Teste: Comparativo Flex Honda CB 300R x Yamaha Fazer 250

Primeiras impressões Honda NXR Bros 160: Por que não 200 cc?

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Teste: KTM Duke 390 tem perfil de moto grande

Teste: Dafra Cityclass 200i encara Honda PCX 150


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Últimos Anúncios

Montadoras