moto.com.br

Publicidade:

Testes

Sundown Web Evo: Falta fôlego

14 de July de 2008
Compartilhe este conteúdo:
Arthur Caldeira

A Sundown Web ocupa a terceira colocação entre as Cub mais vendidas no Brasil, só perdendo para dois modelos da Honda, Biz 125 e Pop 100.

Entre janeiro e junho deste ano, foram comercializadas 12.327 unidades da motoneta da Sundown. Sucesso justificado pelo bem acertado conjunto ciclístico e pelo visual moderno, apesar de seguir a risca o tradicional design da categoria. Sem falar no preço competitivo e na economia de combustível.

A versão testada, a Web Evo, traz ainda rodas de liga-leve e freio a disco na dianteira — itens não presentes na versão standard. Com receitas consagradas, como suspensão telescópica na dianteira, sistema de amortecimento bichoque na traseira e um confortável banco, com espuma densa e revestimento anti-derrapante, a Web Evo atende bem sua proposta de ser uma moto urbana, exceto se você morar em uma grande cidade como São Paulo com vias de trânsito rápido, já que o baixo desempenho do propulsor decepciona nas acelerações e subidas íngremes.

Vibração demais, “força” de menos

O monocilíndrico de 97,2 cm³, com comando simples no cabeçote (OHC) e refrigeração a ar que equipa a Sundown Web Evo deixa a desejar tanto em torque quanto em potência.

Nas saídas de semáforo ou retomadas de velocidade, o torque máximo declarado de 0,85 kgf.m demora a chegar nas 5.250 rpm e também não é suficiente para empurrar piloto (de 71 kg) e os 90 kg da motoneta com rapidez.

A Web fica para trás até mesmo dos carros. Em uma subida íngreme com piloto e garupa foi necessário até certo “empurrãozinho” com os pés para que a moto saísse do lugar. Mesmo se levarmos em consideração que a unidade testada ainda não estava amaciada, já que tinha 300 km rodados, o torque deixa a desejar. Apesar de o valor declarado ser maior que de outras motonetas, como a Honda Pop 100 (0,72 kgf.m), a Sundown Web mostra-se, na prática, mais fraca que a concorrente.

Essa falta de “força” em conjunto com o câmbio rotativo com embreagem centrífuga semi-automática, que não permite “queimar” embreagem, faz com que a Web demore a ganhar velocidade. Em vias rápidas, como a avenida 23 de Maio na capital paulista, o motociclista passa apuros nos seus acessos, afinal a velocidade média da via é em torno dos 70 km/h, pouco abaixo da máxima de 80 km/h registrada no velocímetro da Web.
 
A potência também compromete na hora de manter a velocidade. Com apenas 7,5 cv a 8.000 rpm, a Web perde velocidade facilmente em aclives. Isso exige muita troca de marcha, o que se mostra um incômodo mesmo no câmbio rotativo. Outro ponto bastante criticado por quem pilotou a Web Evo é o excesso de vibração do motor transmitida ao piloto pelas pedaleiras, punhos e pelo banco.

Bolso


O sucesso da Sundown Web justifica-se por um quesito muito importante para os brasileiros: o bolso. O baixo desempenho que incomoda traduz-se em economia de combustível.

Mesmo precisando “torcer” o cabo da Web a média de consumo ficou em torno dos 30 km/l. Mostrando que, apesar de fraquinha, a motoneta da Sundown pode ser uma boa opção para quem vive em uma cidade pequena, plana e que não precise “enfrentar” as vias expressas de uma metrópole como São Paulo.

Além disso, o preço da versão Evo, a mais completa, é de R$ 4.876,10. Por se tratar de uma motoneta com rodas de liga-leve, partida elétrica e freio a disco na dianteira, o valor da Web Evo é bastante competitivo em relação à concorrência. Com motor mais potente e de maior capacidade, a Biz + 125, equivalente da Honda, não sai por menos de R$ 6.353,00.

Ficha Técnica

Motor: OHC, monocilíndrico, quatro tempos,refrigerado a ar
Potência máxima: 7,5 cv a 8000 rpm
Torque máximo: 0,85 kgf.m a 5250 rpm
Capacidade cúbica: 97,2 cm³
Diâmetro x curso: 50 x 49,5 mm
Sistema de alimentação: Carburador
Sistema de partida: Elétrica e pedal
Câmbio: Quatro velocidades rotativo
Embreagem: Centrífuga automática e multidisco banhado a óleo
Transmissão final: Corrente
Chassi: Flexbar
Suspensão dianteira: Garfo telescópico
Suspensão traseira: Braço oscilante com duplo amortecedor regulável com duas regulagens
Freio dianteiro: A disco
Freio traseiro: A tambor
Roda/pneu dianteiro: 2,50/17 Pirelli MT15
Roda/pneu traseiro: 90x80 /16 Pirelli MT15
Dimensões (C X L X A): 1950 x 840 x 1250 mm
Distância entre-eixos: 1260 mm
Altura do assento: 760 mm
Distância mínima do solo: 160 mm
Capacidade de carga do sob o banco: 12 Kg
Tanque de combustível: 4,0 litros
Peso seco: 92 Kg  
Cores: Preto e prata
Preço: R$ 4.876,10  

Fotos: Mario Villaescusa.


Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste: Diavel ganha face-lift e motor mais eficiente

Teste: Yamaha Ténéré 250 encara Honda XRE 300

Teste: Harley-Davidson Street Bob vai bem na estrada

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Teste: KTM 1190 Adventure encara qualquer aventura

Teste: Traxx Fly 250 vem brigar no segmento trail

Teste: Honda NC 750X Razão, espaço e emoção

Teste: Diavel ganha face-lift e motor mais eficiente

Teste: Harley-Davidson Street Bob vai bem na estrada

Teste: Yamaha Ténéré 250 encara Honda XRE 300

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Teste: Comparativo Flex Honda CB 300R x Yamaha Fazer 250

Teste: Honda NC 750X Razão, espaço e emoção

Teste: Traxx Fly 250 vem brigar no segmento trail


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Últimos Anúncios

Montadoras