moto.com.br

Publicidade:

Testes

Sundown Web Evo: Falta fôlego

14 de July de 2008
Compartilhe este conteúdo:
Arthur Caldeira

A Sundown Web ocupa a terceira colocação entre as Cub mais vendidas no Brasil, só perdendo para dois modelos da Honda, Biz 125 e Pop 100.

Entre janeiro e junho deste ano, foram comercializadas 12.327 unidades da motoneta da Sundown. Sucesso justificado pelo bem acertado conjunto ciclístico e pelo visual moderno, apesar de seguir a risca o tradicional design da categoria. Sem falar no preço competitivo e na economia de combustível.

A versão testada, a Web Evo, traz ainda rodas de liga-leve e freio a disco na dianteira — itens não presentes na versão standard. Com receitas consagradas, como suspensão telescópica na dianteira, sistema de amortecimento bichoque na traseira e um confortável banco, com espuma densa e revestimento anti-derrapante, a Web Evo atende bem sua proposta de ser uma moto urbana, exceto se você morar em uma grande cidade como São Paulo com vias de trânsito rápido, já que o baixo desempenho do propulsor decepciona nas acelerações e subidas íngremes.

Vibração demais, “força” de menos

O monocilíndrico de 97,2 cm³, com comando simples no cabeçote (OHC) e refrigeração a ar que equipa a Sundown Web Evo deixa a desejar tanto em torque quanto em potência.

Nas saídas de semáforo ou retomadas de velocidade, o torque máximo declarado de 0,85 kgf.m demora a chegar nas 5.250 rpm e também não é suficiente para empurrar piloto (de 71 kg) e os 90 kg da motoneta com rapidez.

A Web fica para trás até mesmo dos carros. Em uma subida íngreme com piloto e garupa foi necessário até certo “empurrãozinho” com os pés para que a moto saísse do lugar. Mesmo se levarmos em consideração que a unidade testada ainda não estava amaciada, já que tinha 300 km rodados, o torque deixa a desejar. Apesar de o valor declarado ser maior que de outras motonetas, como a Honda Pop 100 (0,72 kgf.m), a Sundown Web mostra-se, na prática, mais fraca que a concorrente.

Essa falta de “força” em conjunto com o câmbio rotativo com embreagem centrífuga semi-automática, que não permite “queimar” embreagem, faz com que a Web demore a ganhar velocidade. Em vias rápidas, como a avenida 23 de Maio na capital paulista, o motociclista passa apuros nos seus acessos, afinal a velocidade média da via é em torno dos 70 km/h, pouco abaixo da máxima de 80 km/h registrada no velocímetro da Web.
 
A potência também compromete na hora de manter a velocidade. Com apenas 7,5 cv a 8.000 rpm, a Web perde velocidade facilmente em aclives. Isso exige muita troca de marcha, o que se mostra um incômodo mesmo no câmbio rotativo. Outro ponto bastante criticado por quem pilotou a Web Evo é o excesso de vibração do motor transmitida ao piloto pelas pedaleiras, punhos e pelo banco.

Bolso


O sucesso da Sundown Web justifica-se por um quesito muito importante para os brasileiros: o bolso. O baixo desempenho que incomoda traduz-se em economia de combustível.

Mesmo precisando “torcer” o cabo da Web a média de consumo ficou em torno dos 30 km/l. Mostrando que, apesar de fraquinha, a motoneta da Sundown pode ser uma boa opção para quem vive em uma cidade pequena, plana e que não precise “enfrentar” as vias expressas de uma metrópole como São Paulo.

Além disso, o preço da versão Evo, a mais completa, é de R$ 4.876,10. Por se tratar de uma motoneta com rodas de liga-leve, partida elétrica e freio a disco na dianteira, o valor da Web Evo é bastante competitivo em relação à concorrência. Com motor mais potente e de maior capacidade, a Biz + 125, equivalente da Honda, não sai por menos de R$ 6.353,00.

Ficha Técnica

Motor: OHC, monocilíndrico, quatro tempos,refrigerado a ar
Potência máxima: 7,5 cv a 8000 rpm
Torque máximo: 0,85 kgf.m a 5250 rpm
Capacidade cúbica: 97,2 cm³
Diâmetro x curso: 50 x 49,5 mm
Sistema de alimentação: Carburador
Sistema de partida: Elétrica e pedal
Câmbio: Quatro velocidades rotativo
Embreagem: Centrífuga automática e multidisco banhado a óleo
Transmissão final: Corrente
Chassi: Flexbar
Suspensão dianteira: Garfo telescópico
Suspensão traseira: Braço oscilante com duplo amortecedor regulável com duas regulagens
Freio dianteiro: A disco
Freio traseiro: A tambor
Roda/pneu dianteiro: 2,50/17 Pirelli MT15
Roda/pneu traseiro: 90x80 /16 Pirelli MT15
Dimensões (C X L X A): 1950 x 840 x 1250 mm
Distância entre-eixos: 1260 mm
Altura do assento: 760 mm
Distância mínima do solo: 160 mm
Capacidade de carga do sob o banco: 12 Kg
Tanque de combustível: 4,0 litros
Peso seco: 92 Kg  
Cores: Preto e prata
Preço: R$ 4.876,10  

Fotos: Mario Villaescusa.


Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste Honda CBR 500R: Diversão na medida para iniciantes

Teste: Kawasaki Z1000 mais feroz e potente

Teste MV Agusta Brutale 1090RR: Ela gosta de falar alto!

Teste Benelli TNT 899: Uma Streetfighter de alma italiana

Teste: Kawasaki ER-6n e Suzuki Gladius: escolha com a razão

Teste Harley-Davidson XL 1200 CB: Pronta para a estrada

Teste: Yamaha Tmax 530 é um scooter com alma de moto

Teste: Kawasaki Z1000 mais feroz e potente

Teste Honda CBR 500R: Diversão na medida para iniciantes

Teste MV Agusta Brutale 1090RR: Ela gosta de falar alto!

Teste: Comparativo Flex Honda CB 300R x Yamaha Fazer 250

Yamaha lança XTZ 150 Crosser e nós já avaliamos, confira!

CB 300 ou Fazer 250. Qual é a melhor?

Teste: Honda PCX 150 é um scooter que esbanja tecnologia


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Últimos Anúncios

Montadoras
Ducati Honda CB 600 F Hornet Motos Usadas Kawasaki Motos Novas Fazer Transalp Fipe Yamaha YZF R1 Suzuki Kasinski Moto Velocidade Srad Sundown Motos CBR Harley Davidson MotoGP BMW XT 660 Tornado 600RR Ofertas Shadow Revista Off Road

Siga-nos

ícone orkut ícone youtube ícone twitter ícone facebook ícone rss