moto.com.br

Publicidade:

Testes

Sundown Hunter 100: Urbana básica

03 de March de 2008
Compartilhe este conteúdo:
Aldo Tizzani

Barata e com um motor um pouco mais potente. Essa é a proposta da nova Sundown Hunter 100 para ampliar sua participação em um mercado no qual 80% dos modelos vendidos no Brasil têm até 150 cm³.

O seu maior atrativo é o preço sugerido: R$ 3.100,00, uma das motos mais baratas do mercado.

Para facilitar ainda mais a vida do novo motociclista, que quer fugir do ineficiente transporte público, o “modelito básico” da Sundown conta com câmbio rotativo de quatro marchas, painel com conta-giros e indicador de marcha, além de protetor de corrente. O design não é seu ponto forte, já que parece um modelo dos anos 70. Ou para os mais novos, estilo retrô. Porém, tem cara de moto.

O propulsor monociclíndrico da Hunter 100 é um OHC (comando simples no cabeçote) de quatro tempos, refrigerado a ar, tem 97,2 cm³ de capacidade cúbica — contra 86 cm³ da versão anterior — e com potência máxima de 7,07 cv a 8.000 rpm. Resumindo, o motor ganhou cerca de 1 cv de potência, já que sua antecessora gerava 6,2 cv.

O torque máximo também teve uma pequena melhora. Agora tem 0,66 kgf.m a 6.000 rpm, se comparado a 0,59 kgf.m a 5500 rpm da Hunter 90. Outra novidade é a adoção de um catalisador. Os números não impressionam, mas são suficientes para fazer a moto rodar com desenvoltura pelos corredores apertados dos grandes centros urbanos. O motorzinho tem melhor desempenho entre a faixa de rotação que vai de 6500 rpm até 8000 rpm.
 
Mas não vá esperando um rendimento de uma 125 ou 150, a Hunter 100 não é uma moto para o “trabalho escravo”, mas sim como um veículo de transporte, que levará o motociclista ao seu local de trabalho, faculdade e ao clube no final de semana.

Pendurado no chassi monobloco, o motor posicionado horizontalmente está equipado com câmbio rotativo de quatro marchas, com embreagem de acionamento manual, similar ao utilizado na Honda POP 100 (R$ 3.990,00) e Dafra Super 100 (R$ 3.290,00), suas principais concorrentes.

O ponto alto desta motinho é sua economia de combustível, já que o modelo faz mais de 30 Km/litro. Para maior conforto do piloto, a Hunter 100 traz partida elétrica como item de série. Detalhe: a moto só liga se a embreagem estiver acionada.

Ciclística

Neste quesito, nenhuma novidade para uma moto de receita mais que simples. O conjunto dianteiro é formado por garfo telescópico, com 105 mm de curso, e freio a tambor de 100 mm. Já a traseira, suspensão com dois amortecedores — com cinco posições de ajuste na pré-carga da mola — e também freio a tambor.

Vai aqui uma sugestão. Para melhorar o desempenho da frenagem, a adoção do disco dianteiro deveria ser obrigatório em todo veículo de duas rodas. Porém, uma simples regulagem nos cabos de freios e ajuste na pressão da mola pode deixar a Hunter 100 mais segura de se pilotar. Outro ponto forte nesta nova versão do modelo da Sundown são os pneus Pirelli City Demon, os mesmos que equipam a Honda CG 150.

Estilo

O design não é o ponto alto da Hunter 100. No melhor estilo retrô da década de 70, o modelo da Sundown tem pára-lamas de lata, piscas redondos com lentes brancas e lanterna traseira praticamente idêntica a da Honda CG 125, de 1976.
 
O banco não é um dos mais confortáveis e sua espuma deveria ter uma maior densidade. Porém, a moto traz uma prática “churrasqueira”, que serve para transportar pequenos objetos.

Os comandos são espartanos, mas cumprem muito bem seu papel. Destaque para o indicador de marcha no painel. De tão simples que é o projeto, as pedaleiras do garupa são fixadas na balança.

A urbana básica da Sundown — que pode ser adquirida em planos de 36 até 42 meses (financiamento), com parcelas a partir de R$ 95,00 — tem dois anos de garantia sem limite de quilometragem.

Ficha Técnica

Motor: OHC, 4 tempos, monocilíndrico arrefecido a ar
Cilindrada: 97,2 cm³
Potência máxima: 7,07 cv a 8.000 rpm
Torque máximo: 0,66 kgf.m a 6.000 rpm
Diâmetro x curso: 50 x 49,5 mm
Sistema de alimentação: Carburador
Taxa de compressão: 8.8:1
Sistema de partida: Elétrica e pedal
Câmbio: Rotativo de quatro velocidades
Transmissão final: Corrente
Chassi: Monobloco estampado
Suspensão dianteira: Garfo telescópico, com curso 105 mm
Suspensão traseira: Bichoque, com curso 65 mm e cinco posições de ajuste na pré-carga da mola
Freio dianteiro: Tambor 110 mm
Freio traseiro: Tambor 110 mm
Pneu dianteiro: 2.50 - 17 43P - Pirelli – City Demon
Pneu traseiro: 2,75 - 17 47P – Pirelli – City Demon
Comprimento total: 1.920 mm
Largura total: 840 mm
Altura total: 1.175 mm
Distância entre-eixos: 1.230 mm
Altura mínima do solo: 180 mm
Altura do assento: 770 mm
Peso seco: 85 kg
Capacidade máxima de carga: 150 kg
Tanque de combustível: 10 litros
Cores: Preto e Vermelho
Preço público sugerido: R$ 3.100,00

Fotos: Renato Duraes.


Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste: Dafra Maxsym 400i oferece conforto na estrada

Honda anuncia chegada dos modelos CB 650F e CBR 650F

Avaliação da Triumph Tiger Sport

Teste: Triumph Thruxton é café racer customizada de fábrica

Teste: Yamaha VMax é pura força bruta

Duelo caseiro: NC 700X vs. CB 500X

Teste Honda CB 500X: A mais divertida da família!

Honda anuncia chegada dos modelos CB 650F e CBR 650F

Teste: Triumph Thruxton é café racer customizada de fábrica

Avaliação da Triumph Tiger Sport

Teste: Comparativo Flex Honda CB 300R x Yamaha Fazer 250

Yamaha traz para o Brasil a MT-09, confira nossa avaliação!

Yamaha lança XTZ 150 Crosser e nós já avaliamos, confira!

Teste da Falcon NX4 por um usuário


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Últimos Anúncios

Montadoras
Ducati Honda CB 600 F Hornet Motos Usadas Kawasaki Motos Novas Fazer Transalp Fipe Yamaha YZF R1 Suzuki Kasinski Moto Velocidade Srad Sundown Motos CBR Harley Davidson MotoGP BMW XT 660 Tornado 600RR Ofertas Shadow Revista Off Road

Siga-nos

ícone orkut ícone youtube ícone twitter ícone facebook ícone rss