moto.com.br
Publicidade:

Testes

Rocket III Classic: Uma inglesa de respeito

13 de April de 2009
Compartilhe este conteúdo:

Aldo Tizzani

Três cilindros em linha, 2.294 cm³, 142 cv de potência máxima, 2,5 metros de comprimento e 320 quilos. Por si só os superlativos números da Triumph Rocket III Classic impressionam. Agora imagine encarar esta muscle custom de frente e rodar centenas de quilômetros por estradas bem asfaltadas.

Este grande sofá de duas rodas esbanja conforto e força em qualquer regime de rotação. Enfim, a proposta dessa cruiser da marca inglesa é única: praticar o mototurismo. Para quem gosta de curiosidade, a Rocket III é a moto de série com motor de maior capacidade cúbica do planeta.

O preço desta quase exclusividade é de R$ 62.900, para pagamento à vista. Vale lembrar que o modelo já chegou a custar R$ 89.900.

A convite do Grupo Izzo, importador oficial Triumph no Brasil, rodamos com a moto em uma pista particular no interior de São Paulo. Não é o habitat natural desta moto, porém foi possível conferir suas qualidades e reações.

Ao sentar sobre a moto, a primeira sensação é de conforto, muito conforto. Traduzindo: banco largo no melhor estilo sela e guidão aberto. Ergonomia nota 10. Depois o motociclista passa os olhos sobre o painel e comando para se familiarizar com este “rinoceronte” sobre duas rodas. Quando a partida é acionada o piloto sente toda a força dos três cilindros trabalhando.

Motor

Hora de engatar a primeira marcha e entrar na pista. Os primeiros metros são desastrosos, desengonçados. No circuito travado, as pedaleiras raspavam no asfalto e as curvas ficavam quadradas. Mas, com o passar do tempo, o nervosismo e a excitação se transformaram em pura diversão.

Na pequena reta, aceleração total. Se a moto tivesse cinto se segurança, a Rocket III teria um de três pontas para grudar o motociclista no banco, tamanha a força de seu motor. Depois de “pegar a mão”, as curvas abertas em média velocidade eram feitas com muita desenvoltura.
 
Falando em propulsor, em um único cilindro, esta inglesa tem mais força que muita moto de média cilindrada, já que estão disponíveis 764,6 cm³ por cilindro. Realmente, uma ignorância. Em uma velocidade de cruzeiro, por exemplo, 120 km/h, o motociclista se sente muito à vontade. Porém, se for preciso baixar uma marcha, para enfrentar uma subida mais íngreme ou uma ultrapassagem, o piloto sentirá todo o vigor deste motor.

São 20,4 Kgf.m de torque já disponível a 2.500 rpm. Para completar o bom desempenho sem trancos ou engasgos, a Rocket III está equipada com injeção eletrônica multiponto seqüencial, câmbio de cinco velocidades e transmissão final por eixo cardã, que praticamente não requer manutenção. Já o tanque de combustível tem capacidade de 24 litros de gasolina.

Ciclística e desenho

Em circuito fechado, com asfalto em boas condições, o conjunto de suspensão e freios não foi muito exigido, porém se mostrou compatível com a proposta touring da moto, já que copia com propriedade as imperfeições do piso e as frenagens tem boas respostas.

Na dianteira, garfo telescópico invertido de 43 mm de diâmetro e freio de disco duplo de 320 mm, com picas de quatro pistões. Já na traseira, sistema bichoque, formado por molas cromadas e com ajuste na pré-carga da mola. Conta com freio de disco simples, de 316 mm.

Para ajudar no equilíbrio do conjunto, a Rocket III está calçada com pneus radiais Metzeler ME 880. Na dianteira com medida 150/80 R 17 e na traseira um enorme pneuzão de 240/50 R 16.

Para quem é fã de motos estradeiras, este foguete inglês chama bastante atenção por seu porte e desenho: dois faróis na dianteira, pintura bicolor — cereja e creme —, dois escapes de um lado e um do outro, dois discos dianteiros e rodas de liga leve. Porém, o que impressiona mesmo é o tamanho do motor.

Ficha Técnica

Motor: DOHC, 4 tempos, 3 cilindros em linha, refrigerado a água
Potência máxima: 142 cv a 6.000 rpm
Torque máximo: 20,4 kgf.m a 2.500 rpm
Capacidade cúbica: 2.294 cm³
Taxa de compressão: 8,7:1
Câmbio: Cinco velocidades
Partida: Elétrica
Transmissão final: Eixo-cardã
Alimentação: Injeção eletrônica multiponto sequencial
Quadro: Berço duplo em aço tubular
Tanque de combustível: 24 litros
Suspensão dianteira: Garfo telescópico invertido
Suspensão traseira: Duplo amortecida
Freio dianteiro: Disco duplo de 320 mm de diâmetro e cáliper de quatro pistões
Freio traseiro: Disco de 316 mm de diâmetro e cáliper de dois pistões
Pneu dianteiro: 150/80 R 17 - Metzeler ME 880
Pneu traseiro: 240/50 R 16 - Metzeler ME 880
Comprimento total: 2,500 mm
Largura total: 970 mm
Altura total: 1.165 mm
Distância entre eixos: 1,695 mm
Altura do assento: 740 mm
Peso seco: 320 Kg
Preço: R$ 62.900 (à vista)

Fotos: Caio Mattos.



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Teste: BMW F 700 GS é uma máquina surpreendente

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Primeiras Impressões: Novas Vespa Primavera 125 e 150

Teste: Fazer 150 UBS ganha freios combinados para ficar na lei

Teste: Nova Honda Africa Twin aposta em motor torcudo e chassi leve

Teste: Nova Kawasaki Versys 650 ganha fôlego extra para viajar

Teste: Com injeção e motor flex, nova Factor é 125 completa

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Yamaha Drag Star 650: Na medida certa

Teste: Nova Africa Twin é bigtrail para ir a todo lado


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras