moto.com.br
Publicidade:

Testes

Longa Duração: Teste com Dafra Smart 125 chega ao fim

Você confere aqui todos os detalhes sobre este pequeno sccooter que avaliamos por três meses

09 de January de 2013
Compartilhe este conteúdo:

Paulo Souza

A Smart 125 é a primeira moto que a Dafra trouxe para o Brasil em parceria com a chinesa Haojue, a mesma fabricante dos scooters Burgman. A fim de avaliar melhor o modelo para verificar sua durabilidade e confiabilidade, optamos em testar este scooter por um tempo um maior do que testamos habitualmente – uma semana.

O teste de longa duração com a Dafra Smart 125 chegou ao fim. Em aproximadamente três meses rodando com o modelo, pudemos testar sua proposta e o seu comportamento dentro da cidade. O resultado foi muito bom, a motocicleta rodou cerca de 1300 quilômetros em nossas mãos e o resultado de nossa avaliação você confere agora.

Durante estes três meses com a moto ao final do teste podemos definir a Smart 125 com dois adjetivos, guerreira e valente! Pois, de acordo com sua proposta urbana, essa scooter nos surpreendeu e em nenhum momento apresentou problemas mecânicos ou elétricos, mostranto-se um modelo confiável para locomoção em pequenas distancias dentro da cidade.

Percorremos todo o teste com o Smart 125 apenas no perímetro urbano, habitat natural dessa pequena guerreira. Para fugir do caótico trânsito de São Paulo e medir a diferença de preço para as pessoas que utilizam transporte público, o modelo passou por um trajeto diário de aproximadamente 30 quilômetros e facilitou muito a vida de nossa colaboradora, que teve sua motocicleta roubada em meados de julho e, desde então, utilizava transporte público.

Desempenho

Com um motor monocilíndrico refrigerado a ar, e cambio CVT (automático), a Smart 125 é capaz de gerar 10 cv de potência a 8.000 rpm, uma boa média para o seu pequeno porte. No teste conseguimos atingir a velocidade máxima de 100 km/h. Não é uma moto veloz, até mesmo por ser um scooter de baixa cilindrada com uma proposta para locomoção urbana, e analisando desta forma, é uma moto ideal para cidade.

O seu conjunto de freios é bom, realiza uma frenagem eficiente com um pequeno disco na dianteira e freio com expansão internana na traseira. Composta por garfos telescópicos na dianteira e braço oscilante mono-amortecida na traseira, as suspensões também agradam e são eficientes para manter a moto estável. Porém, como as rodas são muito pequenas, 10 polegas, o piloto sofre um pouco com a “buraqueira” da cidade e podem até travar em buracos maiores.

O painel de instrumentos é simples e completo, mas permite uma fácil visualização do velocímetro analógico e de outras informações como o nível de combustível, relógio e hodômetro, que estão dispostos em uma pequena tela de LCD.

Agilidade

A Smart 125 é uma moto muito fácil e prática para pilotar. Qualquer pessoa que não tenha muita experiência pode facilmente guiá-la, principalmente pessoas de baixa estatura, pois o modelo é pequeno e compacto. O câmbio automático garante praticidade e a comodidade de não precisar trocar de marcha, ideal para o perímetro urbano.

No entanto, pessoas com estatura elevada podem sofrer um pouco ao guiar o modelo, pois devido ao seu tamanho ser reduzido, as pernas podem encostar no escudo frontal, como se estivesse em um carrinho de um parque de diversões. Além disso, um piloto muito alto pode ter mais dificuldade para esterçar totalmente o guidão.

Custo/benefício

A Dafra Smart 125 chegou na redação com 2.482 quilômetros rodados e ao chegarmos a marca dos 3 mil quilômetros, paramos para deixá-la na revisão, onde foram feitos os serviços de troca de óleo, filtro e a verificação completa da moto. O preço da mão de obra para a revisão de 3 mil Km é de R$ 130 reais, o filtro custa R$ 25 e o óleo mais R$ 21,50, totalizando R$ 176,50.

A média de consumo da Smart 125 ficou na casa dos 30 km/l, se calcularmos uma distância percorrida de 30 km ao dia entre ida e volta do trabalho, o valor gasto seria de 1 litro de combustível por dia, ou aproximadamente R$ 2,70. Fazendo uma conta rápida, com 22 dias úteis do mês uma moto gastaria R$ 59,40. Pelo transporte público que sai a R$ 3 a passagem de ida e mais R$ 3 a volta, nos mesmos 22 dias seriam gastos R$ 132, ou seja, mais que o dobro.

Se calcularmos esta mesma conta pelo período de um ano, podemos chegar a uma economia de 872 reais menos as revisões. Mesmo assim, ainda sobra uma boa quantia e além de economizar dinheiro, ainda há uma grande economia em tempo, que muitas vezes vale bem mais que dinheiro.

Conclusão

A Smart 125 demonstrou ser uma boa companheira para quem deseja se locomover com rapidez dentro da cidade. Além de ser ágil é também bastante econômica, a scooter de entrada da Dafra ainda pode ser uma boa opção para quem deseja iniciar a vida sobre duas rodas, principalmente devido ao seu preço público sugerido de R$ 5.690.

Pontos positivos

- Luz interna do porta objetos abaixo do banco
- Suporte para baú
- Preço
- Ótimo custo/benefício
- Fácil pilotagem

Pontos negativos

- Espaço pequeno do porta objetos abaixo do banco (não cabe um capacete)
- Pedaleira do garupa (posição desconfortável)

Diário

Km inicial: 2482
Km rodados: 1333
Km total da moto: 3815
Consumo médio: 30 Km/l

O jornalista utilizou nos testes Capacete Norisk, jaqueta Race Tech e Calça HLX.

Ficha Técnica

Tipo: 4 tempos, monocilíndrica, refrigeração a ar
Diâmetro x Curso: 52,4 x 57,8 mm
Cilindrada: 124,6 cm³
Potência máxima: 10 CV a 8.000 rpm
Torque máximo: 9,6 N.m a 7.000 rpm
Sistema de injeção eletrônica: Mikuni
Combustível: gasolina
Sistema de partida: elétrica e a pedal
Filtro de ar: papel e poliuretano
Sistema de lubrificação: forçada por bomba trocoidal e banho de óleo
Chassi Tipo: Monobloco
Suspensão dianteira telescópica
Suspensão traseira  braço oscilante, mono-amortecida
Rodas: liga leve Aro 10”
Freio dianteiro Tipo: disco
Freio traseiro Tipo: expansão interna
Altura: 1.104 mm
Largura: 674 mm
Comprimento: 1.986 mm
Distância entre eixos: 1.240 mm
Altura mínima do solo: 110 mm
Altura do banco: 740 mm
Peso em ordem de marcha: 115 kg

Fotos: Leandro Lodo



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Tiger Sport tem potência, tecnologia e conforto de sobra para viajar

Can-Am UTV Maverick X3 é máquina quente para o Dakar

Yamaha Tricity 125 mostra evolução do scooter em teste

Teste: Honda CBR 500R desponta com visual esportivo

Análise: BMW F 700 GS, versatilidade a toda prova

Teste: Yamaha Neo mostra agilidade e economia no trânsito

Teste: Ducati 1299 Panigale S é superbike para as ruas

Yamaha Tricity 125 mostra evolução do scooter em teste

Teste: Honda CBR 500R desponta com visual esportivo

Teste: Yamaha Neo mostra agilidade e economia no trânsito

Análise: BMW F 700 GS, versatilidade a toda prova

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Yamaha Drag Star 650: Na medida certa

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras