moto.com.br
Publicidade:

Testes

Longa Duração: Honda Pop 110i supera os 1.000 km rodados

06 de January de 2016
Compartilhe este conteúdo:

Falem o que quiserem sobre a nova Honda Pop 110i, mas ela se mostrou uma boa opção para o deslocamento urbano, encarando o trânsito de São Paulo (SP) com bastante agilidade e facilidade, chamando a atenção de pedestres, motociclistas e até mesmo de motoristas, além claro, dos frentistas dos postos de combustível, por conta da capacidade do tanque (4,2 litros) e da autonomia, tema que será abordado no texto final do teste.

Em pouco mais de um mês rodando em testes com a equipe do site MOTO.com.br, o modelo 2016 da pequena notável de entrada da fabricante da asa já superou os 1.000 km rodados, tendo chegado com 545 km para nosso teste de Longa Duração.

Com esta quilometragem, chega a hora de realizar a primeira revisão programada em uma concessionária autorizada Honda. A motocicleta, que possui um preço público sugerido de R$ 5.100 (preço público sugerido, base São Paulo, para pagamento à vista, não inclui despesas com frete e seguro), apresenta um bom custo-benefício no que diz respeito à manutenção e também às revisões.

Quando levamos a Honda Pop 110i 2016 para a revisão dos 1.000 km fomos informados que não é cobrado o valor da mão de obra da primeira revisão da motocicleta, que leva cerca de 30 minutos para ser finalizada e custou apenas R$ 22,30, ou seja, o valor do litro de óleo e da arruela do bujão de óleo. Para a próxima revisão, com 6.000 km, o valor seria de R$ 77,88, sem cobrança de mão de obra, segundo confirmou a Honda. A partir dos 12.000 km, no entanto, o valor da revisão fica na faixa dos R$ 240,00, com as revisões programadas então de 6 em 6 mil km. Na revisão dos 18 mil km o valor cai para R$ 158,00.

Conforme a tabela de manutenção do manual do proprietário da Honda Pop 110i 2016, ao atingir 1.000 km a motocicleta é revisada em poucos itens: foi trocado o óleo da Pop, que utiliza apenas 0,8 L de fluído, com checagem e verificação da marcha lenta, corrente de transmissão, sistema de freio, porcas e parafusos, calibragem dos pneus e verificação dos aros e das rodas. 

Além da tabela de manutenção, o Supervisor de Oficina da Unidade STR Motos, Olavo Antonio Dias Junior, que foi muito atencioso durante toda a revisão, realizando um ótimo serviço, ajustou o freio traseiro, que estava um pouco “borrachudo”, e realizou o teste da Injeção Eletrônica PGM-FI, que não apresentou qualquer falha até o presente momento. Da terceira à nona revisão, o óleo é gratuito, ficando sob responsabilidade do proprietário da moto as peças e mão de obra.

Com mais da metade da estadia cumprida com a equipe do MOTO.com.br, a Honda Pop 110i vem se mostrando bastante valente ao longo do teste de Longa Duração, faça chuva ou faça sol. Acompanhe em breve a avaliação final, com todos os prós e contras da motocicleta de entrada da fabricante japonesa no Brasil.

Texto e Fotos: Alexandre Ciszewski



Fonte:
Equipe MOTO.com.br
Compartilhe este conteúdo:

Teste: Thruxton R acrescenta bom desempenho ao estilo café racer

Teste: KTM 1290 Super Adventure é aventureira luxuosa

Teste: Nova Ducati Multistrada 950 quer ser mais racional e acessível

Teste: Família Scrambler tem quatro versões e muita diversão

Teste: Nova Honda CB 250F Twister ganha roupa nova para 2017

Teste: BMW F 700 GS é uma máquina surpreendente

Teste: Nova Honda CB 650F impressiona de modo racional

Teste: Thruxton R acrescenta bom desempenho ao estilo café racer

Teste: KTM 1290 Super Adventure é aventureira luxuosa

Teste da Falcon NX4 por um usuário

Teste: Pega de Honda Bros 160 e Yamaha Crosser

Teste: Yamaha MT-03 tem desempenho e preço acessível

Teste: Yamaha Ténéré 250 encara Honda XRE 300

Yamaha Drag Star 650: Na medida certa


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras